O que é e para que serve Finasterida?

29/10/2019 0 Por cliquefarma

Finasterida é um princípio ativo que é geralmente prescrito para pacientes que apresentam uma condição conhecida como hiperplasia prostática benigna (HPB), ou seja, sua próstata, localizada próximo da bexiga, aumentou de tamanho, causando dificuldades para a passagem da urina. 

Ela tem também mais uma comum indicação. A finasterida é provavelmente o remédio mais famoso contra a calvície masculina. Disponível no Brasil para o tratamento da alopecia androgenética desde 1998, o medicamento é muito receitado para conter o avanço da queda de cabelo de causa genética e hormonal e ajudar na recuperação das áreas calvas.

O que é a próstata?

A próstata é uma glândula exócrina que existe somente no homem. Ela é do tamanho de uma noz e está localizada abaixo da bexiga. A próstata envolve a uretra – um tubo que transporta a urina da bexiga até o orifício de saída do pênis – e sua principal função é produzir fluído para o sêmen (líquido que transporta o esperma).

 

E a HPB? Devo me preocupar?

A HPB é a hiperplasia prostática benigna, um aumento benigno da próstata, comum em homens com mais de 50 anos de idade. Como a próstata está próxima da bexiga e envolve parte da uretra, seu aumento pode prejudicar a capacidade de urinar. 

 

Uma pessoa com HPB pode apresentar alguns sintomas, como necessidade de urinar com frequência (principalmente à noite), sensação de urgência para urinar, dificuldade em começar a urinar, fluxo urinário fraco ou interrompido ou sensação de não conseguir esvaziar completamente a bexiga.

 

Em alguns homens, a HPB pode causar problemas graves, incluindo infecções urinárias, incapacidade repentina de urinar, e até a necessidade de cirurgia. Por essa razão, o homem com sintomas de HPB deve consultar um médico.

Como foi feita a descoberta da finasterida

A base para a criação do medicamento foi uma pesquisa publicada em 1974, que observou uma mutação genética em crianças com quadros de pseudohermafroditismo (que tinham genitália ambígua, nem totalmente masculina nem totalmente feminina, mas desenvolveram o padrão masculino normalmente após a puberdade).

 

Essa mutação fazia com que as crianças tivessem níveis baixos da enzima 5-alfa-redutase, que converte o hormônio testosterona em di-hidrotestosterona. As crianças apresentavam próstatas menores que o normal, e também não desenvolviam a calvície masculina.

 

Foi a partir desse estudo, o laboratório Merck buscou desenvolver um medicamento que imitasse esse efeito e reduzisse os níveis de DHT no organismo, com a intenção de utilizá-lo para tratar aquela condição que citamos mais acima, a hiperplasia prostática benigna, que provoca o aumento do tamanho da próstata e pode causar problemas urinários.

Em 1992 a FDA (Food and Drug Administration, agência que regula a comercialização de medicamentos nos Estados Unidos) aprovou a comercialização da finasterida 5mg (que recebeu o nome comercial de Proscar) para o tratamento da HPB.

 

Em 1997 a versão de 1 mg (que ganhou o nome de Propecia) foi autorizada para o tratamento da alopecia androgenética nos Estados Unidos, e em 1998 a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão brasileiro de função correspondente à FDA) autorizou a sua comercialização no Brasil.

 

A patente (direito de exclusividade na fabricação e venda do remédio, para obter lucro e cobrir os custos da pesquisa que o desenvolveu) que o laboratório Merck tinha sobre a finasterida 5mg caiu em junho de 2006, e a da finasterida 1mg venceu em novembro de 2013. Desde então, vários laboratórios desenvolveram versões genéricas do fármaco, tais como: Finalop, fabricado pelo laboratório Generis e o Finastil, da Sigma Pharma.

Mecanismo de ação de Finasterida

A finasterida é um inibidor da 5-alfa-redutase. Este medicamento causa regressão da hipertrofia (aumento do tamanho) da próstata.

 

A finasterida diminui o volume aumentado da próstata e alivia os sintomas urinários. Este medicamento ajuda a reduzir o risco de desenvolvimento de uma incapacidade de urinar repentina (retenção urinária aguda) e de necessidade de cirurgia.

 

A testosterona é considerada o principal hormônio masculino. Ela é produzida principalmente nos testículos, mas também em menores quantidades nos ovários das mulheres, e em ambos os sexos nas glândulas adrenais (ou suprarrenais). Esse hormônio tem diversas funções no organismo. 

Explicando a função da testosterona na prática

 

Ela promove o desenvolvimento do sistema reprodutor masculino do feto dentro do útero, as mudanças pelas quais os meninos passam durante a puberdade, incentiva o crescimento muscular, a conservação da densidade dos ossos, interfere nos níveis de energia e atividade física, no desejo sexual, na agressividade e em diversos outros aspectos.

 

Em algumas partes do corpo, como a próstata (que participa da produção do sêmen e da ejaculação, além de poder estar associada ao prazer sexual nos homens) e os folículos capilares (estruturas onde os fios de cabelo são produzidos), cerca de 5% da testosterona corporal é convertida em di-hidrotestosterona, uma espécie de versão mais forte do hormônio (o efeito do DHT pode ser de 2 a 5 vezes mais intenso que o da testosterona).

 

O DHT trata-se de um hormônio fundamental para a formação do feto masculino (mais importante que a própria testosterona), participa do amadurecimento do sistema sexual dos homens durante a adolescência e regula o funcionamento da próstata, mas não parece ter muita influência sobre o crescimento muscular, a densidade óssea e outros sistemas onde a testosterona interfere. Uma questão complicada é que o DHT também pode fazer os cabelos caírem.

 

O hormônio se conecta aos receptores androgênicos presentes nos folículos capilares e faz com que a fase de crescimento do cabelo fique cada vez menor, reduzindo progressivamente o calibre e a atividade dos folículos, podendo chegar ao ponto de fazer com que eles parem completamente. 

 

Por isso que a finasterida entra em ação, ela vai inibir a ação da enzima 5-alfa-redutase, que faz a conversão da testosterona em DHT. Com isso, os níveis de DHT no organismo são reduzidos, mas não há impacto significativo sobre o nível de testosterona no corpo.

Finasterida x Dutasterida

A finasterida não é o único medicamento capaz de inibir a enzima 5-alfa-redutase. Outro medicamento dessa mesma classe terapêutica, a dutasterida (produzida pelo laboratório GlaxoSmithKline – o GSK – e vendida com o nome comercial de Avodart) é considerada ainda mais potente que a finasterida.

 

Isso acontece porque a 5-alfa-redutase se apresenta em algumas “versões” diferentes. Tanto a finasterida quanto a dutasterida parecem ser capazes de interferir na atividade dos tipos 2 e 3 dessa enzima, mas apenas a dutasterida tem eficácia sobre o tipo 1 (que é o mais abundante no couro cabeludo).

 

Enquanto a finasterida é capaz de reduzir a atividade do DHT no corpo em até 70%, a dutasterida pode reduzir os níveis em até 99% ou mais. No entanto, apesar de podermos esperar efeitos mais intensos e prolongados com o uso da dutasterida, os efeitos colaterais também podem ser bem mais severos.

 

Por isso a dutasterida, assim como a versão de 5mg da finasterida, só é comercializada atualmente para tratamento da hiperplasia prostática benigna. O seu uso no combate à calvície é considerado off-label, ou seja, é aquele cuja indicação do profissional assistente diverge do que consta na bula.

 

Como armazenar, quais as datas de fabricação  e de validade e aspecto físico de Finasterida

Este medicamento deve ser mantido em temperatura ambiente (entre 15 e 30 °C). Proteger da luz e umidade.

 

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

 

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

 

A finasterida apresenta-se como comprimido revestido, circular e de cor azul celeste. Ou  comprimido revestido branco, circular, biconvexo, liso, contendo núcleo branco. Ou ainda comprimido revestido em formato octogonal e cor marrom claro, com a insígnia do laboratório gravada nele. 

 

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.  

 

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Precauções e advertências de Finasterida

Informe seu médico sobre quaisquer problemas médicos e alergias que esteja apresentando ou tenha apresentado. 

 

A HPB desenvolve-se ao longo de um extenso período de tempo. Alguns pacientes apresentam melhora dos sintomas logo no início do tratamento, porém outros podem precisar tomar este medicamento por pelo menos seis meses até que essa melhora seja observada. 

 

Percebendo ou não qualquer melhora ou alteração dos sintomas, a terapia com finasterida pode reduzir o risco de incapacidade repentina de urinar, assim como de necessidade de cirurgia. O paciente deve consultar seu médico regularmente para realização de exames periódicos e avaliação de seu progresso.

 

Embora a HPB não seja um câncer e não cause câncer, as duas condições podem existir ao mesmo tempo. Apenas o médico pode avaliar seus sintomas e suas possíveis causas.

Uso Pediátrico

Este medicamento não é indicado para o uso em crianças.

Dirigir ou operar máquinas

Este medicamento não afeta a capacidade de dirigir veículos ou operar máquinas.

Interações medicamentosas de Finasterida

Em geral, a finasterida não interage com outros medicamentos. No entanto, você deve sempre informar seu médico sobre todos os medicamentos que esteja tomando ou planeje tomar, incluindo os obtidos sem prescrição médica (venda livre).

 

Este medicamento pode alterar um exame de sangue chamado antígeno específico prostático (ou simplesmente PSA). Por isso, se você realizou um exame de PSA, avise seu médico que está tomando finasterida.

 

Qualquer dúvida, procure o médico.

Uso de Finasterida na gravidez e amamentação

Este medicamento é indicado somente para homens.

 

A finasterida 5 mg é indicada apenas para o tratamento de homens. Mulheres grávidas ou em idade fértil não devem tomar este medicamento nem devem manusear comprimidos quebrados ou esfarelados deste medicamento. 

 

Essa precaução é necessária porque, quando uma mulher grávida de um feto do sexo masculino absorve o ingrediente ativo deste medicamento por via oral ou pela pele, o feto pode nascer com anomalias nos órgãos sexuais. Portanto, consulte um médico caso uma mulher grávida entre em contato com a finasterida.

 

É importante ressaltar, porém, que o contato com o ingrediente ativo deste medicamento só é possível quando se manipula comprimidos quebrados ou esfarelados do medicamento. Por serem revestidos, os comprimidos de finasterida impedem o contato direto com o ingrediente ativo quando estão em sua forma original.

 

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde. 

Contraindicações e riscos de Finasterida

Você não deve tomar este medicamento se: 

 

Apresentou casos de hipersensibilidade a qualquer componente do produto 

 

A condição para a qual este medicamento é indicado ocorre somente em homens. Mulheres e crianças não devem tomar finasterida.

 

Este medicamento é contraindicado para uso por mulheres e crianças.

 

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.

Posologia, dosagem e instruções de uso de Finasterida

Tome um comprimido revestido de finasterida diariamente, com ou sem alimentos. Siga as orientações de seu médico.

 

É importante o homem se lembrar que leva muitos anos até que sua próstata aumente o suficiente para causar sintomas de HPB. Da mesma forma, este medicamento pode tratar seus sintomas e controlar a doença apenas se você continuar o tratamento por um longo período.

 

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

 

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

 

Deve-se tomar este medicamento conforme a prescrição médica. No entanto, se você deixou de tomar uma dose, deverá tomar a dose seguinte como de costume, isto é, na hora regular e sem duplicar a dose.

 

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico, ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Quais os efeitos colaterais de Finasterida?

Como qualquer medicamento, a finasterida pode provocar efeitos inesperados ou indesejáveis, denominados efeitos adversos. No entanto, estes efeitos não são comuns e não afetam a maioria dos homens. 

 

Os efeitos adversos comuns (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento) decorrentes do uso de finasterida 5 mg podem incluir: impotência (incapacidade de obter ereção) ou menos desejo de manter relação sexual.

 

Alguns homens podem apresentar (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento) também alterações ou problemas com a ejaculação, como diminuição da quantidade de sêmen liberado durante o ato sexual (esta diminuição, porém, parece não interferir com a função sexual normal). 

Em alguns casos, estes efeitos colaterais desaparecem com a continuidade do tratamento com finasterida. Caso persistam, geralmente desaparecem com a interrupção do tratamento.

 

Além disso, alguns homens podem apresentar (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento) inchaço e/ou sensibilidade nas mamas.

 

Alguns homens também reportaram: reações alérgicas (como erupções cutâneas, coceira, urticária e inchaço dos lábios, língua, garganta e da face); dor nos testículos; incapacidade de ter ereção que continuou após a descontinuação do tratamento; problemas com a ejaculação que continuou após a descontinuação do tratamento; infertilidade masculina e/ou baixa qualidade do sêmen, que melhora após descontinuação do tratamento; depressão; diminuição do desejo sexual que continuou após a descontinuação do tratamento; em raros casos câncer de mama masculino.

 

Informe seu médico imediatamente se apresentar estes ou quaisquer outros sintomas incomuns.

 

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O que fazer em caso de superdosagem de Finasterida?

Se você tomar muitos comprimidos, entre em contato com seu médico imediatamente.

 

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.

 

Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Uso da Finasterida em mulheres

O uso da finasterida em mulheres é controverso: os resultados não aparentam ser tão animadores quanto nos homens, apesar de existirem casos de sucesso no tratamento da calvície feminina. O maior problema é que o medicamento pode causar malformação no feto durante a gravidez (a bula adverte que mulheres grávidas não devem nem mesmo manusear o produto, pois o pó do comprimido esfarelado poderia ser absorvido em algum nível pela pele).

 

Por esse motivo, a finasterida não deve ser utilizada por mulheres em idade fértil que não sigam um rígido controle anticoncepcional durante o tratamento. Ela é uma opção bem mais segura no tratamento de mulheres que já passaram pela menopausa ou que não podem engravidar, e geralmente só é considerada como tratamento para a calvície feminina se as demais alternativas não forem eficazes.

Como a bula da finasterida contra-indica o medicamento para mulheres, o seu uso para tratamento da calvície feminina também é considerado off label, como explicamos acima do que se trata.

Onde comprar?

Nosso buscador e comparador de preços ajuda você a encontrar as melhores condições de entregas de cada medicamento que contenha finasterida como princípio ativo em sua composição. Acesse agora mesmo o Cliquefarma e decida qual irá adquirir já! 

 

E você já teve alguma experiência com o uso deste medicamento? Conte para a gente aqui embaixo nos comentários!