Lecitina de soja – Reforço para seu cérebro e combate o colesterol

04/02/2021 0 Por cliquefarma

Hoje vamos falar de um produto natural que pode trazer diversos benefícios para você e que pode facilmente ser incluído no seu dia a dia, é a lecitina de soja. Já ouviu falar? Já fez uso dela? Quer saber onde comprar pelo melhor preço e condição de entrega? Pois então, acompanhe este artigo completo até o final e saiba tudo sobre ela agora mesmo! 

O que é a Lecitina de soja?

A lecitina de soja é derivada da soja, um vegetal que possui princípios ativos capazes de compensar a falta do hormônio estrogênio. Este está diminuído na menopausa, por isso o seu benefício é tão visível nesta fase da vida, reduzindo alguns incômodos, como a instabilidade emocional, as ondas de calor, a insônia e a obesidade. 

 

Além disso, este fitoterápico tem outros benefícios, como aliviar os sintomas de TPM, combater a dor de cabeça, combater o colesterol alto e ajudar a emagrecer.

 

O uso da lecitina de soja é uma excelente forma de reduzir os sintomas da menopausa, pois é rica em ácidos graxos poli-insaturados essenciais e em nutrientes do complexo B como colina, fosfatídeos e inositol, que atuam de forma benéfica nas alterações hormonais típicas deste período.

Para que ela serve?

Ela pode ser encontrada em forma de cápsulas e deve ser tomada ao longo do dia, durante as refeições, mas apesar de ser um medicamento natural só deve ser tomada sob indicação do ginecologista.

 

A lecitina é um tipo de gordura natural obtida durante a produção do óleo de soja, e é rica em colina, inositol, fosfatídeos e ácidos graxos poli-insaturados essenciais. Seus principais benefícios para a saúde são:

 

  • Regular a produção hormonal;
  • Aliviar os sintomas da menopausa;
  • Combater a dor de cabeça, por ser rica em ômega-3 e ômega-6;
  • Combater o colesterol alto, por estimular o metabolismo das gorduras;
  • Manter a saúde do fígado e evitar o acúmulo de gordura;
  • Melhorar a memória e estimula o cérebro, por conter colina;
  • Aumenta o metabolismo, auxiliando na perda de peso;
  • Melhora a memória em caso de Alzheimer;
  • Reduz o colesterol, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares;
  • Melhora o desempenho físico de alguns atletas ajudando a diminuir a fadiga e o cansaço.

Além do suplemento, a lecitina de soja também pode ser encontrada como aditivo em produtos como biscoitos, chocolates, sorvetes, margarinas e doces. Também na dieta é indicada para auxiliar a emagrecer, já que o ganho de peso é importante na época da menopausa.

Lecitina de soja é aliada do cérebro e controla o colesterol

Sabemos que, se existe um alimento polêmico que hora é apontado como benéfico e hora como vilão, este tem nome: SOJA. O motivo de se questionar a soja, segundo o grupo de ativistas ecologicamente corretos, é o fato dela hoje ser modificada geneticamente, ou seja, transgênica, palavra que mais assusta do que realmente signifique algo perverso para a saúde, pelo menos se baseando nos estudos atuais, que ainda não conseguem comprovar tal fato, mas que só mesmo o tempo, com o uso contínuo na alimentação humana, trará a certeza de sua segurança.

 

As evidências atuais ainda pendem no sentido de entender que vários nutrientes encontrados na soja têm potenciais benefícios à saúde. É importante compreender que a soja é composta de várias partes diferentes, como a fração oleosa e outra fração proteica. 

 

Algumas proteínas da soja, como a daidzeína e genisteína tem comprovadamente benefícios na diminuição dos sintomas da menopausa, fato amplamente comprovado por estudos. Na fração oleosa da soja é que encontramos a lecitina, composto orgânico (fosfolipídeos) formado por um ou mais ácidos graxos associados à outros nutrientes como serina, colina, inositol, formando fosfatidilserina, fosfatidilcolina e fosfatidilinositol, respectivamente, além do ácido fosfatídico, cálcio, fósforo e vitamina E. 

 

Este grupo de substâncias é chamado de LECITINA. A lecitina pode ser encontrada naturalmente na soja, gema de ovo, gérmen de trigo e semente de girassol como também pode ser “produzida” em maior escala pela indústria através de técnicas bioquímicas.

 

Muito utilizado pela indústria alimentícia, pelo seu poder emulsificante, ou seja, ajuda que a parte líquida do alimento se misture homogeneamente com a parte oleosa dele, trazendo estabilidade à esta mistura, a lecitina de soja é figura fácil na confecção de chocolates, biscoitos, leite em pó, margarinas, sorvetes, massas e panificação. Até mesmo na indústria cosmética é utilizada, como cremes e pomadas.

Quais os benefícios da lecitina de soja?

Os benefícios da lecitina de soja se devem, principalmente, ao seu conteúdo de fosfolipídios, colina e inositol. Estas moléculas são compostos encontrados naturalmente nas membranas celulares, ajudando a manter suas funções normais.

 

Por isso, o consumo de suplementos de lecitina podem oferecer os seguintes benefícios:

Controle do colesterol

O consumo de lecitina de soja ou a suplementação com fosfatidilcolina (um dos componentes da lecitina) pode reduzir o colesterol “ruim”, de acordo com alguns estudos com animais. No entanto, atualmente este suplemento não é considerado um “remédio” para este problema. Consulte seu médico antes de consumi-lo.

 

Mas, a lecitina de soja serve para emagrecer? Existem rumores que contam que este suplemento é um “queimador de gorduras”. Infelizmente, não existem estudos que confirmem esta hipótese, por isso não é recomendado como tal.

Defesas fortes

Ao alimentar ratos de laboratório com lecitina de soja, foi observado que suas células defensivas se tornavam “mais ativas”. Além disso, os ratos com diabetes (açúcar alto) foram capazes de criar mais células no sistema defensivo.

 

Não é possível garantir que estas mudanças afetem os humanos, mas é uma perspectiva interessante. Nos próximos anos, os cientistas estudarão o potencial da lecitina de soja para reforçar as defesas do organismo.

Remédio para amamentação

Amamentar nem sempre é uma tarefa fácil. Em algumas ocasiões, os dutos que levam o leite podem ficar obstruídos. Assim, surge a dor e inflamação. Esta “obstrução mamária” deve ser tratada por um médico. Mas, este problema pode ser prevenido antes de aparecer?

 

A “Liga do Leite” (uma organização que apoia a amamentação) recomenda o uso de lecitina de soja para melhorar o fluxo de leite e evitar as obstruções. Consulte seu médico antes de testar este método, para consumir uma dose adequada.

Mente desperta

A lecitina de soja fornece fosfolipídios e nutrientes, como os ácidos graxos ômega 3 e a vitamina E. Estas moléculas são essenciais para o funcionamento normal do cérebro. Também é possível que a nutrição com esta substância estimule o desenvolvimento dos neurônios.

 

Talvez, no futuro, seja possível utilizar a lecitina de soja para aliviar a deterioração que causa demência ou doenças de Alzheimer e Parkinson, que afetam os idosos. Porém, é necessário ter mais dados antes de confirmar estas hipóteses.

 

Por outro lado, a lecitina de soja também pode ter um efeito “anti-stress”. Ao administrar este suplemento em 80 voluntários saudáveis, foi observado que estas pessoas suportavam melhor a carga física e mental, o que é muito interessante!

Anti-fadiga

Um estudo japonês suplementou mulheres na menopausa com lecitina de soja (1200 miligramas ao dia). Este suplemento foi capaz de melhorar a fadiga nas voluntárias. Além disso, a lecitina de soja também reduziu a pressão arterial nestas mulheres. E quase sem efeitos colaterais!

Outros possíveis benefícios

A lecitina de soja tem sido utilizada na prevenção do surgimento de pedras na vesícula. Também tem sido estudada como um remédio para a osteoporose. Além disso, está sendo utilizada para melhorar a textura e elasticidade da pele.

 

Infelizmente, estes potenciais benefícios ainda não puderam ser demonstrados. Dentro de alguns anos, será possível confirmar ou desmentir esses “possíveis benefícios”. O futuro dirá!

 

O que podemos dizer no momento é que, os benefícios da lecitina de soja para a saúde humana, utilizados como suplemento alimentar em cápsulas, já foram comprovados por estudos nas últimas décadas. Como bem observado, seus componentes mais estudados e a alegação de seus benefícios, são a fosfatidilserina, colina e o fosfatidilinosítol.

 

Alguns estudos avaliaram os efeitos da fosfatidilserina e seus benefícios mais evidentes foram:

  • Melhora da cognição, ou seja, funções cerebrais como atenção e memorização em idosos com doença degenerativa cerebral;
  • Melhor tolerância ao estresse em indivíduos submetidos à ambientes estressores, por provável ação da fosfatidilserina no eixo hormonal hipotálamo-hipófise-supra renal, equilibrando níveis de cortisol que é o hormônio responsável pela adaptação do organismo em situações desfavoráveis.

 

Já a colina é um nutriente fundamental na formação da acetilcolina, sendo este um dos neurotransmissores responsáveis pela memorização e retenção da informação pelo cérebro. Por este motivo, estudos concluíram que a lecitina de soja favoreceu a saúde cerebral em adultos e idosos. 

 

Outra função importante da colina é atuar na preservação de algumas funções do fígado, como na produção da bile e digestão adequada dos alimentos, além de ser fundamental para a renovação das células hepáticas (hepatócitos). Estudos mostraram o efeito protetor da lecitina de soja no fígado de ratos expostos à ingestão crônica de álcool.

 

O fosfatidilinositol, outro componente da lecitina de soja, atua na proteção dos neurônios cerebrais, preservando suas funções e atuando como antioxidante. Estudos mostraram seus benefícios em pacientes com doença de Parkinson.

 

Vários outros estudos também mostraram que a lecitina de soja ajuda no controle dos níveis sanguíneos do colesterol no sangue, diminuindo o colesterol “ruim” ( LDL ) e aumentando o “bom” colesterol ( HDL ), fato que talvez explique porque o consumo de pelo menos 25 gramas de soja por dia diminui o risco de doenças cardíacas. Outro mecanismo de ação da lecitina de soja é diminuir a formação de placas de gordura nas artérias, diminuindo o risco de ataques cardíacos e melhorando a circulação sanguínea.

 

Embora se alegue que a lecitina de soja ajude no emagrecimento, como já vimos acima, nenhum estudo confirmou realmente este fato, ficando no campo da especulação este benefício. Também não há relatos de estudos que confirmem sua ação no “equilíbrio” hormonal e nem como diminuidor dos sintomas da menopausa, lembrando que este benefício foi comprovado com as isoflavonas ( genisteína e dadzeína ) da soja, sendo a parte proteica deste grão e não exatamente a lecitina de soja.

 

Vale ressaltar que existem doses limites e adequadas para se utilizar a lecitina de soja como suplemento alimentar, variando de 500 mg a no máximo 2 gramas por dia, sendo encontrada em cápsulas de 500 mg ou 1.000 mg. Não se recomenda o uso em gestantes e em pessoas com hipersensibilidade à soja. Seu consumo excessivo pode levar a efeitos colaterais como dores abdominais, náuseas e enjoos, gases e sensação de estufamento na barriga.

 

Na dúvida, após todo o exposto acima, converse com seu médico ou nutricionista para orientá-lo na melhor maneira de inserir a lecitina de soja no seu dia a dia.

Como tomar corretamente?

A lecitina de soja pode ser consumida de várias formas, seja mais natural, através da ingestão de grãos e brotos de soja, assim como na forma de suplementos alimentares, em cápsulas e comprimidos. A dose recomendada de lecitina de soja por dia varia entre 0,5 g até 2 g, sendo, geralmente indicado o uso de 2 cápsulas, 3 vezes ao dia, durante as refeições e com um pouco de água. 

 

Além da suplementação deste fitoterápico, caso os sintomas sejam intensos, o ginecologista também poderá indicar o tratamento feito com remédios para reposição hormonal. 

Possíveis efeitos colaterais

A lecitina de soja é bem tolerada, não havendo qualquer efeito desagradável após seu uso.

Quando não tomar?

A lecitina de soja só deve ser consumida durante a gravidez e a amamentação segundo recomendação médica. Além disso, deve-se estar atento ao surgimento de sintomas como dificuldade em respirar, inchaço na garganta e nos lábios, manchas vermelhas na pele e coceira, pois eles indicam alergia à lecitina, sendo necessário suspender a suplementação e ir ao médico.

Informação nutricional

A tabela a seguir traz a informação equivalente a 4 cápsulas de 500 mg de lecitina de soja:

 

Quantidade em 4 cápsulas
Energia: 24,8 kcal
Proteína 1,7 g Gordura Saturada 0,4 g
Carboidrato Gordura Monoinsaturada 0,4 g
Gordura 2,0 g Gordura Poli-insaturada 1,2 g

 

Além da lecitina, o consumo diário de soja também ajuda a prevenir doenças cardíacas e câncer.

 

Agora, fora a saúde, você sabia que ela é muito utilizada na cozinha também? Pois é, veja só para que serve a lecitina de soja no preparo da confeitaria em geral:

 

Emulsificante

Sabemos que os emulsificantes derivam de gorduras e são capazes de produzir emulsão entre dois ingredientes que não se misturariam sem ele (água e óleo, por exemplo). O resultado é mais cremosidade, estabilidade e rendimento na sua receita. Quando é utilizado em bolos, o emulsificante garante que a massa asse reta, sem aquelas indesejadas elevações no centro. Assim fica mais fácil decorá-lo, não é mesmo? 

O ingrediente também evita que o bolo resseque e aumenta o prazo de validade do alimento, ou seja, é indispensável para quem deseja trabalhar com confeitaria e vender bolos e doces. A lecitina presente na gema de ovo, por exemplo, como citada anteriormente, faz parte da lista como emulsificante e é responsável por criar essa liga que nós esperamos.

Conservante

Por causa dessa propriedade de ligar a água com gordura, a lecitina também tem função conservante em produtos à base de água. 

Mas por que então, lecitina de soja?

As lecitinas podem ser feitas de diversos grãos, no entanto, por ser amplamente cultivada aqui no Brasil, a soja torna-se de fácil acesso, tornando assim seu preço mais baixo também.

 

Além disso, além da soja possuir diversos benefícios para a saúde, como esse artigo vem sendo abordado, até a sua lecitina já estar sendo comercializada como suplemento alimentar, ela pode ser usada como substituta dos ovos em receitas veganas, isso não é incrível?! 

Mas afinal, qual a real função da lecitina de soja no chocolate, por exemplo?

Por incrível que pareça, no chocolate propriamente dito, a lecitina de soja não exerce a função nem de emulsificante e nem de conservante e sim de lubrificante, atuando como uma facilitadora da movimentação das partículas de sólidos entre si, o que deixa a mistura mais homogênea.

 

Sua função é deixar o chocolate mais fluido, permitindo que seja manuseado e modelado com mais facilidade pelo chocolateiro. Chocolates com inclusões de frutas e castanhas, por exemplo, assentam melhor nas forminhas e evitam as temidas bolhas de ar.

 

Casquinhas de bombons e ovos de páscoa ficam mais finas e uniformes e até moldam melhor nos desenhos das forminhas.

Posso obter a lecitina de soja dos alimentos?

Como bem explanado até o momento, a lecitina de soja é um preparado extraído do óleo de soja. Através do seu processamento, é possível concentrar nutrientes, como a colina e a vitamina E. Também é possível encontrar esses nutrientes diretamente no óleo ou nos grãos desta leguminosa.

 

Suas concentrações serão muito diferentes:

Grãos de soja Óleo de soja Lecitina de soja
470 quilocalorias 884 quilocalorias 763 quilocalorias
35 gramas de proteína 0 gramas de proteína 0 gramas de proteína
25 gramas de gordura 100 gramas de gordura 100 gramas de gordura
1694 mg de ômega-3 6700 mg de ômega-3 5000 mg de ômega-3
145 mg de magnésio 0 mg de magnésio 0 mg de magnésio
116 mg de colina 0,2 mg de colina 350 mg de colina
0,85 mg de vitamina E 8 mg de vitamina E 8,2 mg de vitamina E

 

*Por cada 100 gramas de produto.

 

Os grãos de soja são alimentos muito completos. São ricos em proteínas, minerais e gorduras saudáveis. Além disso, fornecem grandes quantidades de ácidos graxos essenciais ômega-3, muito benéfico para a saúde do coração.

 

Por outro lado, o óleo de soja não oferece proteínas, nem minerais, mas concentra grandes quantidades de ômega-3 e do antioxidante vitamina E. Utilize na salada ou como tempero dos seus pratos favoritos.

 

Infelizmente, o processo de obtenção do óleo geralmente elimina a colina, umas das substâncias mais benéficas da lecitina de soja.

 

Por fim, a lecitina de soja concentrará as maiores quantidades de fosfolipídios, colina, inositol e vitamina E. No entanto, sua quantidade de ômega-3 será menor que no óleo. Como podemos ver, há muita diferença entre cada um destes derivados de soja!

Voltemos a falar dos suplementos de lecitina de soja: Quais tipos existem?

Se o seu médico autorizou o uso de um suplemento de lecitina de soja, é importante conhecer os principais tipos que podem ser adquiridos no mercado online e físico:

 

  • Cápsulas: Neste caso, a lecitina estará disponível em cápsulas ou comprimidos. Você poderá tomar e armazenar de forma prática e rápida. Infelizmente, estes produtos costumam ser envoltos em gelatina animal, não sendo aptos para veganos.
  • Grânulos: A lecitina granulada é fácil de armazenar e conservar. É muito mais fácil de consumir que as cápsulas. Os grânulos podem ser adicionados em líquidos, iogurtes e outros alimentos (preferivelmente frios).
  • Líquido: Também é possível suplementar com líquido. Este formato é mais complicado para levar em uma viagem e exige armazenamento em um ambiente fresco e seco (não na geladeira). Porém, é mais fácil e rápido de tomar.

Como tomar a lecitina de soja?

Não foi definida uma dose diária recomendada de lecitina de soja. Por este motivo, é recomendado consultar um especialista para consumir uma dose que se ajuste às suas necessidades individuais.

 

No âmbito da suplementação, são utilizadas doses que oscilam entre os 500 mg e 2 gramas de lecitina de soja ao dia. Esta quantidade será dividida e consumida com as três refeições principais.

A partir de 25 gramas de lecitina de soja ao dia foram descritos efeitos colaterais desagradáveis. Entre eles, estão a náusea, dor abdominal, diarreia e falta de apetite.

 

E lembre-se que você deve esperar mais de um mês antes de ver os efeitos deste suplemento. Se depois de três meses você não observar nenhuma melhora no seu estado, recomendamos que você consulte um especialista.

A lecitina de soja é segura?

Geralmente, os produtos com lecitina de soja são considerados seguros sempre que utilizados de acordo com as instruções. Exceder a dose recomendada pode provocar náuseas e outros desconfortos gastrointestinais.

 

Atualmente, não foi descrita nenhuma interação considerável entre a lecitina e os medicamentos mais comuns. Porém, um experimento entre a lecitina e a tacrina (um medicamento para o Alzheimer) apresentou lesões no fígado.

 

Também não foi possível comprovar a segurança da lecitina de soja nas mulheres grávidas. Apesar de ser seguro na amamentação, é importante verificar antes de usar. Menores de idade e pessoas frágeis (idosos e pessoas com doenças graves) também devem ter cuidado.

 

Por isso, é recomendado que, se você toma qualquer medicamento, está grávida, amamentando ou é menor de idade, consulte seu médico antes de utilizar a lecitina de soja.

Critérios para comprar

A escolha de um bom suplemento de lecitina de soja não tem porquê ser difícil. Nas seguintes linhas, vamos mostrar uma série de dicas que você poderá utilizar para fazer uma compra de sucesso. Confira:

Alergia à soja

Se você é alérgico à soja, pode tomar lecitina de soja? A resposta pode parecer um óbvio “não”. Porém, alguns fabricantes garantem que o processamento da lecitina elimina a maioria dos alérgenos da soja.

 

Se estiver correto, o produto pode ser consumido por pessoas alérgicas a esta leguminosa. Sempre verifique com seu médico se você pode ou não consumir este produto. Também existem as opções de lecitina de outros derivados, como o girassol.

Vegetarianismo/veganismo, doença celíaca e alergias

Se você é vegano ou vegetariano, a lecitina de soja é um produto que não deve ser uma “transgressão” ao seu estilo de vida. Mas, tenha cuidado! É possível que as cápsulas com esta substância possuam ingredientes de origem animal.

O mesmo acontece com a lactose, o glúten ou qualquer outro composto que pode provocar reações alérgicas em pessoas sensíveis. Garanta que o seu suplemento de lecitina de soja foi devidamente analisado e está livre dos alérgenos mais comuns.

Proporção de fosfolipídios

Você sabia que a maior parte dos benefícios da lecitina se devem ao seu conteúdo de fosfolipídios? Por este motivo, recomendamos que você escolha produtos com uma grande proporção desses nutrientes.

 

Evite gastar seu dinheiro em suplementos com mais “óleo” que fosfolipídios. Por exemplo, uma proporção aceitável é de 16% de fosfolipídios e 36% de óleo de soja. Verifique antes de comprar.

Método de extração

A lecitina é extraída do óleo de soja, utilizando compostos químicos. Solventes, hexanos e outras substâncias “misteriosas” entrarão em contato com este suplemento durante sua fabricação.

 

Por este motivo, algumas pessoas temem que o uso da lecitina de soja pode ser tóxico a longo prazo. A verdade é que estes compostos são muito utilizados na fabricação de outros produtos, como chá e café.

 

Seu uso é legal, sempre que não supere os limites determinados. Mas, o que você pode fazer se os possíveis efeitos te preocupam?

 

  • Escolha a lecitina que atenda as normas de fabricação vigentes;
  • Escolha um produto que cumpra com os padrões de boas práticas de fabricação;
  • Escolha suplementos que não precisam de solventes para sua extração, como a lecitina de girassol.

Origem da soja

Você sabe de onde vem sua lecitina de soja? A maioria da soja consumida no mundo é transgênica. Ou seja, foi modificada geneticamente para melhorar sua resistência ou acelerar seu crescimento.

 

Até que não sejam melhor conhecidos os riscos dos alimentos transgênicos, algumas pessoas preferem evitá-los. Se for o seu caso, escolha produtos que especifiquem a origem da soja ou opte pela lecitina de girassol que normalmente é de origem 100% natural.

O que podemos concluir do consumo da lecitina de soja?

A lecitina de soja é um produto com grande potencial. É possível que, no futuro, este suplemento possa ajudar a controlar os níveis de colesterol e, inclusive, “reparar” as membranas das células. No entanto, este produto atualmente não é considerado tratamento para nenhuma doença. Por este motivo, não substitui o tratamento médico adequado.

No mercado, você poderá encontrar centenas de suplementos de lecitina de soja diferentes. Para ter uma melhor experiência, recomendamos que você consulte um especialista para saber a dose adequada para você. Esperamos que este suplemento te ajude a cuidar ainda mais da sua saúde!

Onde comprar?

É possível você adquirir qualquer suplemento de lecitina de soja no conforto do seu lar, sem nem precisar sair de casa. Como? Através do Cliquefarma, nosso buscador e comparador é uma ferramenta extremamente útil para você realizar suas compras em farmácias e drogarias que estejam localizadas na sua região.

Além de encontrar as melhores ofertas, você ainda garante as melhores condições de entrega, tudo isso com apenas um clique! Confira agora mesmo e depois nos conte nos comentários como foi sua experiência fazendo uso deste produto. Sua opinião é importante para nós!