Medicamentos controlados

10/07/2017 0 Por cliquefarma

No geral, medicamentos são todos aqueles produtos farmacêuticos elaborados com o objetivo de curar, prevenir ou ter fins de diagnóstico. O uso deles é muito comum no Brasil, fazendo do nosso país um dos campeões mundiais em vendas de fármacos dos mais diversos segmentos. Isso não quer dizer, contudo, que as pessoas saibam ao certo o que estão comprando e quais os benefícios e riscos que aquelas substâncias podem trazer para quem faz uso delas.

Os medicamentos controlados são aqueles fármacos sujeitos a controle especial. Eles são compostos por substâncias com ação no sistema nervoso central. Com ação intensa e potente, a maioria deles pode causar grande alívio e ser de grande utilidade para os humanos. Porém, também são capazes de causar muitos problemas, como dependência física e psíquica. Alguns são inclusive teratogênicos, ou seja, pode causa má formação fetal e danos irreversíveis ao futuro bebê.

Para adquiri-los é necessário obter receita médica especial correspondente, que sempre será retida na farmácia após a venda. É essencial, obviamente, seguir à risca as recomendações médicas. A venda e dispensação de medicamentos controlados (éticos) só são permitidas mediante a apresentação de prescrição médica. Em nenhuma farmácia ou drogaria, você poderá comprar remédios sem receita quando se tratar de medicação controlada. Seu médico, ao prescrever o remédio controlado, deve fazê-lo em duas vias, pois no ato da compra, é obrigatória a retenção da receita.

Também se enquadram na classificação de medicamentos controlados, segundo a Portaria 344/98, do Ministério da Saúde, substâncias anabolizantes; substâncias abortivas ou que causam má-formação fetal; substâncias que podem originar substâncias psicotrópicas; insumos utilizados na fabricação de entorpecentes e psicotrópicos; plantas utilizadas na fabricação de entorpecentes, bem como os entorpecentes; além de substâncias químicas de uso das forças armadas.

Tarja Preta x Tarja Vermelha

Os medicamentos são classificados conforme o grau de risco que o uso pode oferecer à saúde do paciente. Por conta disso, os fabricantes são obrigados a marcar as caixas de medicamentos com tarjas pretas ou vermelhas. Saiba a função de cada uma:

Não tarjado: venda livre. São medicamentos com poucos efeitos colaterais ou contra-indicações, desde que usados corretamente e sem abusos. Esse tipo de medicamento dispensa prescrição médica e é utilizado para o tratamento de sintomas ou males menores como resfriados, azia, má digestão, dor de dente, pé de atleta e outros.

Tarja vermelha sem retenção da receita: medicamentos vendidos mediante a apresentação da receita médica. Eles têm contra-indicações e podem provocar efeitos colaterais graves.

Tarja vermelha com retenção da receita: são medicamentos que necessitam da retenção da receita. Conhecidos como medicamentos controlados , só podem ser vendidos com receituário especial de cor branca.

Tarja preta: Tratam-se de medicamentos que exercem ação sedativa ou que ativam o sistema nervoso central, portanto também fazem parte dos chamados psicotrópicos. Só podem ser vendidos com receituário especial de cor azul.

Confira dos nove principais medicamentos controlados:

  • ansiolíticos :que inibem a ansiedade;
  • Anorexígenos:que diminuem a fome;
  • Anticonvulsivantes: usados no tratamento da epilepsia e crises convulsivas;
  • Antidepressivos: que aumentam o fluxo de neurotransmissores no sistema nervoso central;
  • Antiparkinsonianos: que são usados no tratamento do mal de Parkinson;
  • Antirretrovirais: indicados em casos de DSTs e AIDS;
  • Entorpecentes: indicados para aliviar dores e ajudar a regular o sono;
  • Imunossupressores: que são potentes medicamentos que suprimem reações imunológicas desreguladas, como no lúpus, hanseníase e ulcerações severas; além dos psicotrópicos, que alteram o psiquismo;
  • Retinoicos: indicados em acne severa.

Veja abaixo uma lista de  substâncias controladas:

  • Agomelatina
  • Bexaroteno
  • Cisaprida
  • Deanol
  • Enfuvirtida
  • Fenilpropanolamina
  • Metadona
  • Orlistat
  • Paliperidona
  • Propanona
  • Rimonabanto
  • Terfenadina
  • Zanamivir

Talvez os nomes de remédios e substâncias sujeitas ao controle tenham sido alterados. Recomendamos a consulta no site da Anvisa para informações mais atualizadas sobre medicação controlada nacional, entorpecentes, precursoras ou psicotrópicas bem como outras substâncias proscritas e demais drogas.

Você sabia? Muitos remédios controlados fazem parte da RENAME (Relação de Medicamentos Essenciais do Ministério da Saúde), como é o caso da Talidomida, por exemplo.

Fonte: Hipolarbo.com.br