O que são alimentos orgânicos e como identificá-los?

20/08/2018 0 Por cliquefarma

A maioria dos vegetais e frutas que consumimos diariamente tem alto teor de pesticidas e compostos químicos, ou são geneticamente modificados. Portanto, os alimentos orgânicos tornaram-se agora mais importantes e populares, mas não pela moda, e sim pela saúde.

A consciência global está incentivando grandes empresas a oferecer, cada vez mais, produtos naturais. Estes alimentos são aqueles obtidos de culturas não tratadas com compostos químicos ou contaminantes, para que sua produção e consumo contribuam para o meio ambiente e a saúde.

Para produzi-los, somente fertilizantes naturais são utilizados e, em relação aos animais, não são dados, por exemplo, hormônios ou antibióticos para atingir níveis mais altos de produção e qualidade. Além disso, esses produtos têm sabor, cor e textura natural, pois guardam todas as suas vitaminas e nutrientes.

Uma dieta baseada em produtos industrializados e contaminados é o que a maioria dos seres humanos consome diariamente. Pelo menos é o que pensa a professora de saúde Juliana Isaza, criadora do Filosofit, uma página na qual ela escreve sobre o bem-estar consciente; Dr. Carlos Jaramillo, especialista em medicina funcional, e Juliana Pineda, nutricionista, todos porta-vozes do Kamú, um mercado online natural. “Hoje, a grande maioria dos alimentos que comemos tem um alto nível de pesticidas, produtos químicos ou são geneticamente modificadas para serem colhidas ao longo do ano, e também resistentes a pragas”, diz Jaramillo. Por sua parte, Pineda afirma que, no caso das carnes, muitas vezes os animais são mantidos com grãos geneticamente modificados e lhes fornecem hormônios e antibióticos para que cresçam mais rapidamente. “Todos esses aditivos chegam ao leite, tecidos e ovos e acabamos ingerindo-os.”

“Ao consumir esta de acordo com o Dr. regularmente Jaramillo-, sobrecarregar a capacidade do corpo para desintoxicar adequadamente e estas toxinas, que não poderiam ser eliminados, vai novamente viajar através do corpo, causando alterações celulares e moleculares graves eles podem dar origem a doenças como o câncer e outras doenças autoimunes “.

“Especialmente os metais acabam armazenados no cérebro, causando condições neurológicas degenerativas ao longo dos anos”, acrescenta Isaza.

Vanessa Blum, fundador do bebê Evolution, uma marca de produtos alimentares para crianças, dá uma arrepiante sobre a figura: “A Universidade de Washington realizaram um estudo com crianças e descobriram que aqueles que consumiram apenas alimentos convencionais por 24 horas eram 9 vezes mais resíduos de pesticidas na urina do que aqueles que só tomavam alimentos orgânicos “.

Alimentos “limpos”

Mas o que é especial sobre orgânico? “Eles vêm de uma produção mais limpa, ou seja, são cultivados naturalmente e, portanto, não contêm produtos químicos, pesticidas ou aditivos sintéticos. Seus agricultores utilizam técnicas para controle de pragas e manter a qualidade e integridade do solo, como a associação de rotação e de culturas, e usando o esterco animal em vez de fertilizantes sintéticos “, diz Isaza. Além disso, como mantêm seus nutrientes intactos (especialmente se forem ingeridos crus), eles oferecem mais vitaminas, minerais e antioxidantes do que os produtos convencionais.

Como consumi-los?

Dr. Jaramillo garante que cada alimento tenha suas especificações. “No caso das frutas, será sempre melhor consumi-las inteiras e não em sucos ou extratos. Quando se trata de produtos hortícolas, a sugestão é cozinhar tão pouco quanto possível e a temperaturas adequadas para cozinhar entre cada 5 a 15 minutos em água fervente e sal-baixo ou de preferência vapor. Proteínas, sejam elas de origem animal ou vegetal, podem ter tempos de cocção mais longos, mas não devem exceder as ideais para que não fiquem desnaturadas “. Idealmente, não misture produtos orgânicos e convencionais. “Como isso nem sempre é fácil, a recomendação é tentar incluir tantos alimentos orgânicos em cada prato”, diz ele.

Juliana Isaza aconselha escolher pelo menos três dos alimentos mais consumidos em casa e colocá-los orgânicos. “Não é um segredo que eles são um pouco mais caros e às vezes não é tão fácil preencher o carrinho de mercado com eles.” Você pode começar com uma lista de frutas e legumes que têm mais poluição: maçãs, morangos, uvas, aipo, pêssegos, espinafres, batatas, mirtilos, tomates cereja, ervilhas e pepino.

O criador do Filosofit explica que é importante para lavar frutas e legumes orgânicos, uma vez que estes produtos não são isentos de ser manipulados e, por vezes, pode ter insectos ou bactérias. Outra recomendação importante é evitar o contato com alimentos convencionais, para que não sejam contaminados.

No caso de produtos orgânicos embalados, as empresas utilizam diferentes métodos de conservação natural. “Na Baby Evolution, usamos gotas de limão orgânico e embalagens de alta tecnologia que lhes dão mais de um ano de vida útil”, diz Blum.

Como diferenciá-los?

De acordo com Jaramillo, os alimentos orgânicos são menores do que o que nos acostumamos a ver hoje. Sua cor não é uniforme ou perfeita, eles têm um gosto melhor e seu cheiro é mais forte. É possível encontrar algum inseto ou larva amigável. Eles cozinham e se decompõem mais rápido, além de selos que certificam que são orgânicos. Neste ponto você tem que ter cuidado quando os rótulos dizem “100% natural”, porque quase sempre apenas indicam que alguns de seus compostos são, mas isso não significa que o resto seja, ou que ser natural é orgânico.

10 Benefícios dos alimentos orgânicos

De acordo com o Ministério da Agricultura, o número de produtores orgânicos aumentou 22% em 2013, se comparado a 2012. Abaixo foram listados 10 benefícios do consumo de alimentos provenientes da agricultura orgânica em relação aos alimentos industrializados:

1- O primeiro e mais fundamental: alimentos industrializados possuem substâncias químicas produzidas pelos agrotóxicos. A produção de alimentos orgânicos não utiliza esses venenos e, dessa forma, evitam-se crises alérgicas e respiratórias, distúrbios hormonais, sobrepeso, problemas neurológicos e o até mesmo o temido câncer.

2- E mais, os alimentos livres de produtos químicos não têm nem o aroma nem o sabor alterado pelos venenos, ou seja, são mais confiáveis e nutritivos.

3- A agricultura orgânica é boa para o futuro do planeta, uma vez que ela se fundamenta na conservação dos recursos naturais. Os agrotóxicos, pelo contrário, afetam não apenas a saúde humana, mas a saúde da Terra, contaminando o solo, a água e os animais.

4- A agricultura tradicional destrói o solo, enquanto os procedimentos da agricultura orgânica visam a conservação do terreno. Técnicas como a rotação de cultura, plantio consorciado e compostagem (transformação do solo pobre em nutrientes em solo fértil) fazem com que ele permaneça constantemente produtivo.

5- A agricultura tradicional utiliza petróleo tanto para insumo de fertilizantes e agrotóxicos, quanto para sua principal característica, a intensa mecanização. Ao dispensar esses produtos, o cultivo orgânico incorpora a matéria orgânica ao solo e trata manualmente os canteiros, contribuindo para o aumento da mão-de-obra no campo.

6- Para quem duvida da qualidade e procedência dos produtos, saiba que assim como qualquer alimento, os orgânicos também possuem Selo de Certificação, que deve ser fornecido pelas associações e órgãos certificadores independentes. É a garantia que o consumidor está comprando alimentos livres de detritos tóxicos.

7- Frutas e legumes orgânicos podem ter até 40% mais antioxidantes (que agem impedindo que os radicais livres “oxidem”, ou seja, lesionem ou matem nossas células) do que as plantas convencionais.

8- Ajudam também na desintoxicação, pois purificam o organismo. Eles melhoram os problemas gastrointestinais e hepáticos, gerados pela química contida nos alimentos inorgânicos.

9- Os orgânicos conservam a qualidade da água. Sem o uso de venenos, que conseguem atravessar o solo, os lençóis freáticos, rios e lagos ficam mais protegidos.

10- O cultivo ecologicamente correto propicia a maior durabilidade das frutas e legumes. Um pé de alface orgânico, por exemplo, pode permanecer incólume por até uma semana dentro da geladeira.

Embora pesquisas indiquem que os alimentos orgânicos não são mais nutritivos do que os tradicionais, alguns outros estudos sugerem que frutas e vegetais orgânicos contém níveis menores de pesticidas, que são prejudiciais à saúde.

Baseadas nessas informações, a nutricionista americana Jennifer Glockner elaborou uma lista de quais alimentos devem ser preferencialmente orgânicos:

1) Maças, morangos e batatas:

Maças, morangos e batatas orgânicos são expostos a menos agrotóxico e tem maiores níveis de antioxidantes que os produzidos convencionalmente.

2) Tomates e ketchup:

Tomates orgânicos têm maiores níveis de licopeno, uma substância defensora do corpo humano que fica dentro das células do alimento. Crianças tendem a gostar mais ketchup, então comprar o produto orgânico pode ser uma escolha inteligente para diminuir exposição a pesticidas.

3) Leite:

Como tem níveis mais saudáveis de gordura na composição, leite orgânico pode beneficiar mulheres grávidas, crianças e aqueles que têm maior risco de desenvolver doenças cardíacas.

4) Carne e ovos:

Como têm bastante gordura, carnes e ovos costumam acumular pesticidas organoclorados. Comprar tais produtos orgânicos evita exposição a pesticidas.

5) Soja:

Soja convencional pode ser transgênica. Se possível, escolha soja orgânica, inclusive o tofu.

Sabor e Falta de Conservantes

De acordo com os padrões internacionais a cultura orgânica se caracteriza por não usar agrotóxicos nas produções, fato que prejudica não apenas o solo como também a qualidade do produto natural que segue à mesa das famílias urbanas e rurais. Existem produtores que para aumentar o ritmo da cadeia produtiva adicionam hormônios ou usam antibióticos a afastar pragas, duas práticas que não entram na lista das ações que visam tornar o mundo sustentável.

Nutricionistas conhecidos ao redor do mundo aumentam o destaque por conta do valor nutritivo que se preserva de grande parte dos alimentos cultivada em processo orgânico. A diferença de sabor entre alimentação orgânica e tradicional pode ser percebida com facilidade por consumidores que não são especialistas em identificar os melhores sabores para o paladar. Por causa da falta de conservantes e dos produtos químicos as técnicas do gênero representam o tipo de cultura agrícola que deveria existir em grande parte do país.

Emagrecer e Evitar Doenças: Benefícios dos Alimentos Orgânicos

De acordo com grande parte das pesquisas nutricionais do gênero, quanto maior o valor de cores nos pratos de consumo diários menores são as chances de contrair doença, visto que também aumenta as chances de emagrecer sem esforço. Seguir a tendência orgânica representa o segredo de pessoas que conseguem emagrecer de modo rápido, mesmo sem ter tempo para fazer exercícios físicos de forma direta.

Danos Ambientais: Alimentos Inorgânicos

Desde o começo da segunda metade do século XX aumenta o número de pesquisas que demonstram os danos que a agricultura tradicional ao consumo de massa está em níveis altos. Por exemplo, cerca de noventa por cento da água potável disponível ao consumo de humanos, animais, vegetais e demais seres vivos são usados nas culturas orgânicas.

Quando consumidores optam por pagar preço adicional por produtos orgânicos também pagam para existir menor dano na natureza nos processos produtivos. Ao consumir existe a necessidade de conferir se os selos de qualidade são autênticos de acordo com as listas de instituições aprovadas conforme o poder púbico. Entre nos sites governamentais e confira se a empresa que fabricou tem o selo de autenticidade em termos orgânicos.

Danos à Saúde: Benefícios dos Alimentos Orgânicos

Existem diversos danos proporcionados à saúde por causa do consumo em excesso dos alimentos inorgânicas. Um dos piores sintomas está na intoxicação alimentar que pode afetar de forma grave o estômago ao ponto de gerar problemas sérios de saúde. Quanto maior nível de toxicidade há no alimento mais chances existem dos consumidores ficarem doentes. Por esse motivo, não representa apenas consumo de luxo como também necessidade moderna o ato de comprar alimentos orgânicos.

Problemas No Caminho

O mercado não consegue diminuir o preço dos produtos orgânicos em nível popular por diversas razões. A infraestrutura que requer a técnica orgânica custa alto valor aos produtores que repassam os preços à clientela. Não se pode ignorar o fato de que por existir cultivo de unidades menores existe o problema da oferta para a alta demanda que existe no Brasil.

Conforme pesquisas feitas por técnicos da ANVISA o pimentão representa principal alimento com agrotóxicos no mercado brasileiro. Na segunda posição estão os morangos, frutas apreciadas para a hora da sobremesa e que quando vendidas com descontos têm chances de estarem toxicadas. Alface e Cenoura se encontram em terceiro na lista, produtos também populares na mesa do brasileiro.

Alimentação Orgânica Por Completo

Grande parte dos especialistas aponta ser possível ter alimentação cem por cento do tipo orgânico. Nos dias atuais o comércio se estabeleceu ao ponto de oferecer milhares de produtos orgânicos que possuem o selo de qualidade das instituições públicas oficiais ou privadas. Por vezes colocar alimentos orgânicos na mesa todos os dias pode ser uma tarefa cara. Nesse sentido o segredo está em misturar pequenas porções com a alimentação diária.

Quais As Desvantagens dos Alimentos Orgânicos?

A: Preço;

B: Menor prazo de validade.