Catsaridafobia

11/05/2016 0 Por cliquefarma

Catsaridafobia ou Katsaridafobia é o famoso medo de baratas. É uma das fobias mais comuns no mundo, especialmente entre as mulheres (Mas homens não escapam também!)

As baratas sobreviverão mais que seres humanos, já que elas podem resistir 2000 vezes mais aos níveis de radiação que nós suportamos, e também podem passar dias sem comida (e sem cabeça). Tais fatos não vão ser encorajadores para as pessoas que sofrem de fobia de barata.

Muitas pessoas se sentem desconfortáveis ​​ou com medo na presença de insetos e bichos como as baratas.

Baratas são conhecidas por habitar lugares escuros e quentes que tem abundância de alimentos. Muitas vezes, durante a noite ou na ausência de luzes, elas acidentalmente engatinham sobre a nossa pele. Isso pode evocar medo profundo ou resposta de repulsa. Tal resposta é geralmente evolutiva; nossos ancestrais pré-históricos foram programados para ficar alertas para estas situações quando dormiam em cavernas e em campo aberto.

Muitas vezes, o indivíduo catsaridafóbico pode ter tido uma experiência negativa ou traumática com baratas no passado. Crianças podem ter sido punidas ou trancadas em armários ou espaços escuros, onde tais criaturas tendem a se esconder. Essas crianças têm uma maior possibilidade de desenvolver fobia de barata. Adultos que expressam muito medo com ao ver uma barata também podem passar sem saber seu medo às crianças que estão a observá-los.

Sintomas

Alguns sintomas físicos da fobia de baratas são:

  • Tornar-se “paralisado” ou ficar congelado
  • Chorar e gritar
  • Sentir-se tonto ou fraco nos joelhos
  • Desmaios
  • Ritmo cardíaco elevado
  • Respirar rapidamente
  • Ter um ataque de pânico onde se sente sufocado
  • Dores no peito

Pessoas que apresentam este tipo de fobia normalmente tenta limpar sua casa cuidadosamente para garantir a defesa contra essas criaturas. Também pode ocorrer à aplicação constante de inseticidas em casa e carro, varrer e escovar tapetes e carpetes, ou limpeza de cozinhas e banheiros de forma excessiva para impedir a visita das baratas são alguns sinais de Catsaridafobia.

As baratas caseiras não têm nenhum papel na cadeia ecológica

 

Não precisa ter dó de dar aquela chinelada: aqueles monstrengos que vez ou outra aparecem na sua casa para comer restos de comida e disseminar o pânico não têm nenhuma função nobre no equilíbrio da natureza – é só uma praga, e ainda carregam doenças. Mas as que vivem na natureza são importantes, já que contribuem para a reciclagem do material orgânico e servem de alimento para vários predadores.

Barata andando pela casa durante o dia não é bom sinal

As baratas não dormem, mas sabem que é hora de se recolher quando percebem a claridade e só saem quando escurece. Dentro das casas, a hora de ficar quieta no seu canto é enquanto o homem está ativo, oferecendo mais riscos a ela.

Então, se você tiver um infeliz encontro diurno com o bicho, fique atento. Baratas em atividade durante o dia indicam que a população está muito alta e não há esconderijos para todas.

Apenas 1% das mais de quatro mil espécies são caseiras. As outras vivem na natureza, e são tão danadas que conseguem viver em quase todos os ambientes naturais, de desertos a florestas tropicais.

A sua grande barreira ecológica é o frio intenso, mas nem adianta fugir para a Noruega ou a Finlândia: elas aparecerão em versões minúsculas e vão querer se aquecer no quentinho da sua casa nórdica.

medo barata