Dieta Low Carb – O que é, como fazer e quais os benefícios

06/08/2020 0 Por Redação CliqueFarma

Hoje vamos falar de uma dieta que vem sendo cada vez mais difundida atualmente e mostrado seus mais diversos benefícios e vantagens no emagrecimento. A dieta low carb. Adquirida como estilo de vida, se bem aplicada para a perda de peso e depois, para a sua manutenção, a low carb mostrou que veio mesmo para ficar!

Segundo o Ministério da Saúde, a obesidade é uma das doenças que mais tem crescido nos últimos anos em nível global. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que os índices de obesidade e sobrepeso quase triplicaram desde 1975. Em todo o mundo, existem pelo menos 650 milhões de obesos. De acordo com Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2018, no Brasil, um em cada cinco pessoas estão obesas e mais da metade da população das capitais estão com excesso de peso. Por isso, é muito importante o seu combate!

 

Acompanhe o artigo que o Cliquefarma preparou te mostrando no que consiste esta dieta, como fazer e quais os benefícios que ela proporciona a curto e longo prazo. Confira!

O que é dieta low carb?

A dieta low carb propõe reduzir a quantidade de carboidratos ingeridos. A orientação em uma alimentação convencional é que 50 a 55% do que é ingerido no dia seja carboidrato. Já nos métodos low carb, o macronutriente pode compor entre 45% a 5% do que é consumido em um dia. 

 

Menos carboidratos refinados, mais comida de verdade: essa é a proposta da dieta para equilibrar a alimentação. 

 

“Quando consumimos alimentos ricos em carboidratos, ocorre o aumento da glicose e da insulina basal, que pode levar a uma reserva robusta do nutriente e, consequentemente, ao aumento de gordura corporal. Sendo assim, ao consumir menos carboidrato, a produção de insulina diminui, levando ao emagrecimento”, explica Gabriela Cilla, nutricionista clínica, esportiva e funcional, de São Paulo. 

 

Além disso, este método defende que seja priorizado o consumo de carboidratos de baixo índice glicêmico, aqueles cuja glicose (açúcar) é absorvida em uma velocidade mais lenta e por isso não há picos de glicose e nem de insulina no organismo. São exemplos de alimentos de baixo IG a batata doce e o arroz integral.

 

O consumo de alimentos integrais que são ricos em fibras também é estimulado neste método para emagrecer. Conversamos com especialistas para entender quais são os prós e os contras deste regime.

Como a dieta low carb funciona?

Este método contribui para o emagrecimento saudável ao sugerir que a alimentação priorize os carboidratos de baixo índice glicêmico. Isto porque quando um carboidrato é ingerido ele tem a glicose que será utilizada pela célula para obter energia.

 

Caso haja excesso de glicose, ela é estocada em forma de gordura e se for utilizada antes da próxima refeição não há ganho de peso. Para que o organismo consiga queimar a gordura estocada é preciso liberar um hormônio chamado glucagon que irá retirar essa energia armazenada.

 

Quando a dieta é rica em alimentos com alto índice glicêmico, ocorrem muitos picos de insulina e às vezes eles estão tão altos que o glucagon nunca é liberado. Sem o glucagon a gordura que está guardada não é queimada e não há perda de peso.

 

Assim, quando a dieta prioriza a ingestão de alimentos de baixo índice glicêmico há uma alteração menor da insulina e consequentemente ocorre a produção de glucagon.

Quando há a presença de fibras e proteínas a liberação do hormônio também é mais eficaz.

 

Quando a dieta low carb propõe uma redução pequena de carboidratos, algo até 40% do que é ingerido no dia, ela também ajuda a emagrecer. Não só o carboidrato, mas a proteína e principalmente a gordura devem ser bem controlados.

 

Com uma redução de 10% e com a melhora na qualidade do que será consumido, a pessoa conseguirá não só um bom resultado, mas também uma reeducação de hábitos alimentares.

Benefícios da dieta low carb

Consultamos o blog do Senhor Tanquinho, escrito por Guilherme e Roney, especialistas na dieta e eles listaram alguns dos benefícios dela para a gente, acompanhe:

Redução da fome — A pior inimiga de qualquer dieta

Muitas pessoas quando veem a palavra “dieta” geralmente já pensam em “passar fome”.

 

E associam com aquela coisa maçante de:

 

  • contar calorias,
  • sair da refeição sempre com um pouquinho de fome,
  • e até mesmo comer a cada 3 horas.

 

Sendo que especialmente esta última acontece tanto porque as pessoas acreditam que “você precisa comer a cada 3 horas para acelerar seu metabolismo” — o que não é verdade. Quanto porque elas realmente vão ficar com fome: isto é, você realmente vai ficar com fome com bastante frequência se você se alimentar de uma maneira incorreta.

 

Na verdade, a dieta low-carb resolve este problema. Ela é baseada principalmente em:

 

  • gorduras boas (inclusive fugir delas é um grande erro),
  • vegetais de baixo amido ricos em fibras, e
  • proteínas de alto valor biológico.

 

Sendo que esses são os 3 componentes de uma dieta de alta saciedade.

Isto é, comendo estes tipos de alimentos e baseando sua dieta nesses 3 macronutrientes, é mais difícil que você sinta fome a cada pequeno intervalo de tempo. Porque os tipos de alimentos que você vai consumir vão te deixar saciado e satisfeito por mais tempo após ingeri-los.

 

Ou seja, na low-carb, o foco deixa de ser tanto na quantidade dos alimentos — e passa a ser mais em sua qualidade. Com isso, fica muito mais fácil seguir essa dieta até o final, e mesmo adotá-la como um estilo de vida. Afinal, a fome é um dos maiores inimigos de qualquer dieta.

 

Pois muita gente começa as dietas com muita força de vontade e determinação. Mas sejamos sinceros: ninguém aguenta ficar a vida inteira passando fome!

 

Então, em uma dieta low-carb, em que você não passa fome e pode comer comida de verdade, nutritiva e gostosa, à vontade, fica muito mais fácil ter resultados duradouros. Até porque, como a gente sempre gosta de dizer: “a dieta perfeita é aquela dieta que você consegue seguir.” E a dieta low-carb pode ser essa dieta pra você.

Maior perda de peso

Diversos estudos controlados e bem conduzidos já mostraram que uma dieta baixa em carboidratos, quando comparada a uma dieta baixa em gorduras, leva a uma maior perda de peso, em um período de tempo similar. Além disso, conforme falamos acima, essa perda de peso tende a se manter — justamente por você conseguir aderir essa dieta a longo prazo.

 

Para a maioria das pessoas, acaba sendo fácil transformar a low-carb em um estilo de vida.

(Diferentemente do que acontece quando você tem de ficar controlando artificialmente as calorias de uma maneira insustentável.)

 

Dessa forma, fica muito mais fácil não só perder mais peso, mas também manter o peso perdido. Um outro ponto positivo relacionado à perda de peso é que as dietas low-carb tendem a proporcionar uma maior manutenção da massa muscular durante o emagrecimento.

 

Isto é, mesmo que num dado período de tempo a perda de peso seja bem similar entre alguém em low-carb e alguém em low-fat, provavelmente a pessoa em low-carb perderá mais gordura e menos músculos do que aquela em low-fat. Ou seja, mais um ponto a favor das dietas low-carb.

Redução da pressão sanguínea

Diversos estudos mostram que uma dieta low-carb tende a, comparativamente, levar a uma diminuição da pressão sanguínea naquelas pessoas que têm esse marcador elevado.

 

E a pressão sanguínea pode não parecer um marcador tão importante para quem ainda é jovem e não tem nenhum problema de saúde. Mas ela está fortemente associada a doenças como ataques cardíacos, derrames e até mesmo falência renal. 

 

Sendo assim, reduzir esse marcador apenas mudando a sua alimentação é certamente algo muito positivo para a sua saúde e longevidade, e um ótimo benefício extra da dieta low-carb.

Diminuição dos triglicerídeos no seu sangue

Os triglicerídeos são moléculas que naturalmente circulam em nossa corrente sanguínea. Porém, erroneamente e infelizmente, muitas pessoas acreditam que sua quantidade cresce além do desejado quando você ingere muita gordura. Entretanto, os triglicerídeos são justamente formados por açúcares associados a ácidos graxos.

 

E quando você reduz a sua ingestão de carboidratos (ou seja, de açúcares) e perde peso, esse marcador sanguíneo tende a diminuir drasticamente. Voltando assim aos níveis normais e ótimos para a sua saúde — o que pode ser verificado com um exame de sangue laboratorial simples.

 

Por isso, uma dieta low-carb que pode ajudar a reduzir os triglicerídeos com facilidade é uma mudança alimentar bastante positiva para quem tem um problema de elevação deste marcador.

 

Conforme já falamos em um outro texto, no qual desmentimos aquela balela de que o carboidrato seria o combustível preferido do nosso corpo, os carboidratos e os açúcares são, na verdade, mais tóxicos para o nosso organismo.

 

Por isso eles são queimados com prioridade em nosso corpo e, quando existe um excesso de glicose na corrente sanguínea, essa glicose é convertida justamente em triglicerídeos.

Ou seja, quanto maior a taxa de açúcar no sangue, provavelmente a taxa de triglicerídeos vai ser maior também — porque o seu corpo vai preferir fazer essa transformação dos açúcares em triglicerídeos.

Redução da glicemia e dos níveis de insulina no sangue

As dietas low-carb são o tratamento não-invasivo mais eficiente conhecido atualmente contra diabetes e síndrome metabólica. E isso acontece justamente por reduzirem a elevação constante dos níveis de açúcar e de insulina no sangue, que é causada por picos de ingestão de carboidratos.

 

Por isso, as pessoas podem muitas vezes se beneficiar de uma dieta low-carb ou very low-carb para tratar problemas como resistência a insulina e glicemia cronicamente elevada (que são a base dos problemas conhecidos como diabetes e síndrome metabólica). Afinal, uma dieta low-carb é eficiente para reverter esses quadros crônicos.

 

Uma analogia simples é a seguinte: A de que, assim como alguém que tem intolerância à lactose deve ter uma alimentação que reduza a ingestão desse nutriente, quem tem diabetes tem intolerância aos açúcares. Portanto uma dieta low-carb, ou seja, com menos açúcares, vai ser mais eficiente para esse tipo de pessoa.

 

Mas é fundamental que você sempre se consulte com o seu médico, principalmente se você estiver tomando medicamentos para diabetes, antes de fazer qualquer mudança alimentar.

Inclusive, ao se fazer esse tipo de mudança alimentar, pode ser que você precise diminuir a dosagem desses medicamentos e talvez depois de um tempo até mesmo removê-los.

 

Por isso, é muito importante que você tenha acompanhamento médico durante todo esse processo para não acontecer nenhum tipo de adversidade.

 

E mais um fator positivo para o uso da dieta low-carb no combate à síndrome metabólica é o fato de que uma dieta cetogênica pode reverter quadros de esteatose hepática não alcoólica — isto é, gordura no fígado.

Melhora do perfil de colesterol

Muita gente acha que uma maior ingestão de gorduras, principalmente saturadas (como por vezes pode acontecer no caso das dietas low-carb), vai levar a um aumento do colesterol.

E isso é verdade. No entanto, essa elevação não é necessariamente ruim como é alardeado com frequência na mídia.

 

Quando você ingere mais dessas gorduras, o que acontece é que você vai aumentar o seu colesterol HDL, que é o chamado “colesterol bom”. E, para a maioria das pessoas, não existe nenhum problema com relação a isso. Afinal, o HDL é um agente protetor da saúde cardíaca. Além de alterar o HDL, a dieta low-carb também pode mudar o seu LDL.

 

LDL é a lipoproteína chamada popularmente de “colesterol ruim”. Embora ela não seja tão ruim assim (afinal, é estranho chamar de ruim uma substância que seu próprio corpo produz e necessita para sobreviver). E uma dieta low-carb tende a fazer com que o LDL fique com um perfil ainda melhor. Isso porque o LDL é composto por 2 tipos de partículas, um que é mais amigável para o seu corpo e um que é um pouco menos. E isso depende do tamanho dessas partículas.

 

Pois as pessoas que têm predominantemente partículas pequenas têm um alto risco de doença cardíaca, e pessoas que têm majoritariamente partículas grandes têm um risco menor. Fazendo uma dieta low-carb, a tendência é aumentar a quantidade do tipo mais amigável de LDL (as partículas grandes) e diminuir a quantidade do tipo menos amigável (as partículas pequenas).

 

O que resulta em uma proporção mais favorável entre esses dois tipos. Mesmo assim, o que pode acontecer em algumas pessoas é um aumento do total de colesterol. Mas é importante lembrar que não existe uma correlação direta entre o total do seu colesterol e suas chances de doenças cardíacas. (Além do mais, para algumas pessoas o LDL pode até mesmo diminuir!) E retomando o que dissemos acima (com o LDL diminuindo ou não), o total do HDL tende a aumentar — e esse tipo de lipoproteína tem um efeito protetivo para o coração. Sendo muito importante notar que existem outros marcadores de saúde cardíaca mais importantes do que o colesterol total, como:

 

  • a proporção entre o HDL e o colesterol total,
  • a proporção entre os triglicerídeos e o HDL,
  • o tamanho da circunferência abdominal,
  • dentre diversos outros marcadores que não vêm facilmente identificáveis nos exames de sangue.

 

Então, fique atento. Porque uma dieta low-carb pode sim mudar o seu perfil lipídico — mas, para a maior parte das pessoas, essa mudança tende a ser para melhor. Em todos os casos, você vai querer fazer exames de sangue com frequência, e acompanhar a evolução da sua saúde com um profissional de sua confiança.

Alguns famosos que aderiram à dieta

Izabel Alvares

A chef Izabel Alvares é uma das pessoas que conseguiu emagrecer muito com a dieta low carb. Durante seu processo de emagrecimento, ela ainda conseguiu descobrir que é intolerante ao glúten e conseguiu se reinventar até como profissional: hoje ela é especializada em criar pratos low carb. Ao todo, Izabel emagreceu 35 kg. 

 

Desde dezembro de 2015, a chef Izabel Alvares começou a emagrecer e conseguiu eliminar ao todo 35 kg. Em suas redes sociais, ela chocou pela mudança em seu visual. Em entrevista ao Portal da Band, ela revelou que a iniciativa surgiu depois de se assistir na televisão: “Comecei a fazer dieta logo após o programa. Me vi na TV e fiquei impressionada com o real tamanho”, contou Izabel.

 

Além disso, a chef também se exercita diariamente, fazendo 30 minutos de esteira e musculação. Izabel garante que não passou por nenhuma cirurgia.

Naiara Azevedo

A cantora Naiara Azevedo perdeu 33 quilos em um ano e para conseguir alcançar o resultado desejado, precisando fazer algumas alterações em seu cardápio, como optar por seguir a dieta low carb. Ao tomar a decisão para perder peso é preciso ter consciência de que essa mudança requer muita disciplina e dedicação. Após perder 33 quilos em um ano, a cantora Naiara Azevedo revela que não tem um segredo específico para cuidar do corpo.

 

“Tento manter a boa forma com uma alimentação saudável. Pratico exercícios durante o show, pois o show é uma aula de aeróbica, é muito dançante, mas agora estou focada na malhação e tenho feito aula de luta misturada com funcional”, contou ao Purepeople.

Desde que emagreceu, a cantora procura evitar alguns alimentos e conta o que costuma comer durante sua rotina intensa de shows. “Evito fritura e doce. No camarim eu gosto de sashimi, comida japonesa, pois acho muito leve. E mesmo neste tipo de comida, eu evito a fritura e o arroz. Também peço salada, peito de frango, castanha e salada de frutas”, disse Naiara. Além disso, ela incluiu a prática de exercícios na rua rotina.

 

Para conseguir alcançar o resultado desejado, a artista precisou fazer algumas alterações em seu cardápio, como optar por seguir a dieta low carb que propõe reduzir a quantidade de carboidratos ingeridos. Além disso, ela incluiu a prática de exercícios na rua em sua rotina.

 

“Fiz uma dieta low carb com acompanhamento de nutricionista. Durante este tempo eu comi muito peito de frango, muita batata doce, produtos naturais, integrais, suco detox e salada. Nada de doce. Além de ir para a academia, fiz treinos funcionais, crossfit e pilates”, revelou a cantora. No entanto, as mudanças para atingir esse objetivo não veio rápido e de forma fácil, foram anos de muita dedicação por parte de Naiara Azevedo. 

 

E as modificações nos hábitos ajudaram a mudar seu foco, e hoje o propósito dela é ter uma saúde melhor.

 

“Comecei em 2013 com uma vida mais saudável, onde aprendi a seguir a dieta, comecei a me interessar por academia, aeróbico. Atualmente o objetivo não é perder peso, e sim manter o corpo saudável, ter saúde”.

Léo Santos

O ex-MasterChef Léo Santos surpreendeu os seus seguidores ao exibir o ‘antes e depois’ do processo de emagrecimento. Ele também fez a dieta low carb e perdeu 80 quilos.

 

“Nenhuma cirurgia, nem redução de estômago, nem abdominoplastia, nem nada, acreditem se eu tivesse feito falaria sem problema nenhum”, afirmou ele, que também não recorreu aos remédios. “Há alguns anos (uns 5 eu acho) tomei! Emagreci uns 15 kgs, engordei muito depois, não recomendo. Por que eu resolvi fazer dieta? Primeiro por uma questão de saúde, o tempo em que eu passo em pé trabalhando nos dias de evento são muito exaustivos e o sobrepeso incomodava muito, eu sentia muita dor nos pés e nas costas. E porque eu não estava contente com a minha aparência. Fiz um ano e dois meses de dieta, comecei com low carb nos primeiros 8 meses, depois comecei um acompanhamento profissional com o nutricionista para adequar a minha alimentação ao meu treino, e melhorar os resultados” completou.

 

Daniel Rocha

O ator Daniel Rocha também emagreceu para se preparar para o papel de Acelino Popó Freitas, na séries “Irmãos Freitas”. Foram dois meses e meio de dieta low carb e exercícios que fez ele emagrecer 9 quilos em 1 mês.

Muitos atores e atrizes passam por transformações no visual para viverem os mais diversos personagens. Porém, nem sempre a mudança é simples como pintar ou cortar o cabelo. No caso do ator Daniel Rocha, a preparação para viver Acelino Popó Freitas, na séries “Irmãos Freitas”, que será exibida no canal Space, foi preciso emagrecer para o papel do lutador.

 

“Foram dois meses e meio de preparação. Perdi nove quilos em um mês, graças a uma dieta low carb (pobre em carboidratos) e aos exercícios”, disse ele em entrevista ao site Purepeople. “Tive que cortar os doces. Não foi fácil, mas fui conseguindo. Sou louco por doces. Troco qualquer salgado por um. Eu podia comer gelatina sem açúcar, mas não era tão gostoso”, completa ele.

O que posso consumir na dieta low carb?

Verduras e legumes

  • abobrinha
  • brócolis
  • couve-flor
  • acelga
  • cogumelos
  • aipo
  • tomate cereja
  • couve
  • agrião
  • pimentão
  • aspargos
  • abobrinha
  • berinjela
  • espinafre
  • pepino
  • cebola
  • chuchu
  • vagem
  • rúcula
  • escarola
  • alho-poró
  • aipo
  • alface

Proteínas

  • peixes e aves sem pele
  • carnes magras como patinho
  • filé mignon
  • alcatra
  • leites desnatados
  • queijos amarelos

Frutas

  • abacate
  • coco
  • limão
  • maracujá
  • morango

Fontes de gorduras

  • abacate
  • azeite
  • banha de porco
  • manteiga
  • oleaginosas

Alimentos que devem ser evitados na dieta low carb

Proteínas

Proteínas como bacon, linguiça, salsicha e presunto devem ser evitadas, pois são embutidos industrializados ultraprocessados e muitas contém açúcar em suas composições, se for consumi-las com moderação, dê preferência aos fabricados artesanalmente. Isto porque elas possuem alta concentração de ingredientes nada saudáveis.

 

Fontes de gorduras

As gorduras que devem ser evitadas são as gorduras trans presentes em alimentos industrializados como biscoitos, salgadinhos, entre outros. Muitas vezes os alimentos vêm com a descrição de zero gorduras trans. Porém, possuem nos ingredientes óleo de palma e gordura hidrogenada, consideradas trans. 

 

Esse tipo de gordura aumenta o risco de sobrepeso/obesidade e doenças crônicas como cardiovasculares.

Alimentos que parecem low carb, mas não são

Os pães e as massas integrais podem passar a falsa ideia de que são low carb, mas eles não são. Apesar de apresentarem baixo índice glicêmico por conter mais fibras, fazendo com que a digestão do carboidrato seja mais lenta, as massas ou pães integrais são fonte de carboidratos, não sendo considerados low carb.

 

Os cereais como o arroz integral, grão de bico, feijão, lentilhas, entre outros, também não são considerados low carb. Apesar de apresentarem baixo índice glicêmico (digestão lenta) todos esses cereais apresentam quantidade muito grande de carboidratos, não sendo considerados low carb.

Receitas Low Carb

Estrogonofe de frango low carb

Ingredientes

2 xícaras(chá) de abóbora cabotian em cubos

1 peito de frango

1 cebola grande

3 dentes de alho

1 folha de louro

Talos de salsinha

2 tomates sem sementes

1/2 xícara (chá) de requeijão 

Sal marinho a gosto

Pimenta do reino a gosto

Como fazer

Lave a abóbora e corte em cubos com casca mesmo. Coloque em uma panela com uma folha de louro e talos de salsinha, coloque uns dois dedos de água e cozinhe até ficar macia. Não exagere na água pois usaremos para bater a abóbora. Quando estiver macia, retire a folha de louro, talos de salsinha e a casca, colocando a polpa com a água do cozimento para bater no liquidificador junto com o requeijão.

 

Limpe e corte em cubos o peito de frango. Em uma panela, refogue os cubos e adicione um pouco de água e sal marinho e deixe cozinhar até ficar macio. Na mesma panela, quando o frango chegar ao ponto, adicione e refogue a cebola, alho e tomate sem sementes. Deixe apurar e ganhar sabor. Quando estiver dourado, adicione o purê de abóbora e requeijão, mexa, acerte o sal e a pimenta e sirva.

Rendimento

2 porções

 

Bolinho de coco low carb

A nutricionista Fernanda Granja revelou em seu Instagram uma receita incrível para quem está pegando firme na dieta, mas não consegue ficar longe dos docinhos. Esse bolinho de coco low carb é uma excelente opção para todos os momentos, sendo saudável e muito fácil de fazer. Aprenda:

Ingredientes

  • 4 unidades de ovo
  • 2 xícaras (chá) de coco fresco ralado (ou use as fibras que sobraram do leite de coco caseiro)
  • 1 copo de leite de coco (200 ml) caseiro
  • 1/3 xícara (chá) de óleo de coco
  • 1 colher (sobremesa) de fermento químico em pó, cheia.

Modo de preparo

Bata os ovos e misture os demais ingredientes até obter uma massa homogênea. Distribua em forminhas de muffins untadas. Asse em forno preaquecido a 180 °C por 20 minutos (ou faça o teste do palito).

Bolinha de frango proteica e low carb

Quer uma receita de lanchinho prático para comer no dia a dia e levar para qualquer lugar? Esta bolinha de frango é perfeita: tem poucas calorias, é low carb e proteica! A receita ainda leva poucos ingredientes e fica pronta rapidinho. Confira:

Ingredientes

  • 1 ovo
  • 1/2 maço de couve flor
  • 1kg de peito de frango
  • 1 cs de farinha de de coco(20g) ou outra farinha low carb, como farinha de amêndoa, de berinjela, de linhaça, etc…
  • Uma pitada de sal, pimenta e temperos de sua preferência

Modo de preparo

Depois de cozinhar o frango e a couve flor juntas na panela de pressão com temperos e cebola, espere esfriar e bata no mixer com os outros ingredientes. Em seguida, enrole as bolinhas na palma da mão. Dica: passe levemente na farinha de linhaça ou em gergelim tostado e triturado para ficar mais crocante. Por fim, leva ao forno ou airfryer por 15 minutos a 180º.

Pão low carb de liquidificador

Receita da nutricionista funcional Fernanda Scheer: “Esse pãozinho é super prático de fazer! Não é aquela receita tradicional de pão que tem que sovar e descansar. Confesso que tenho um pouco de preguiça desse processo todo. As farinhas utilizadas são ricas em fibras e com baixo teor de carboidratos. Uma opção nutritiva e leve para café da manhã, lanches ou jantar. Dica: congele fatias para facilitar”, conta ela. Depois, é só aquecer a porção que vai consumir em uma torradeira ou frigideira.

Ingredientes

  • 3 ovos
  • 2 col. de sopa de amêndoas batidas no liquidificador
  • 2 col. de sopa de linhaça dourada
  • 1 xíc. de farinha de coco
  • 1 a 2 xícaras de água (o quanto for suficiente para bater)
  • 1 col. de sopa de farelo de aveia
  • Ervas de sua preferência
  • 1 col. de sopa de azeite
  • 1 col. de sobremesa de fermento de bolo

Como fazer

Bata tudo no liquidificador, acrescentando os ingredientes e batendo na ordem listada. Unte e enfarinhe uma forma de pão e coloque a massa. Você pode despejar metade da massa, salpique alguma semente de sua preferência, como a de girassol tostada, nozes, castanhas, etc. Depois, coloque o restante da massa. Por cima, também vale colocar mais algumas sementinhas. No forno pré-aquecido, asse a 180°C por 40 minutos aproximadamente.

Escondidinho de vegetais low carb

Esta receita pode ser seguida por adeptos das dietas da proteína e dieta low carb. Veja como preparar o prato da culinarista Malu Nubo do site Nutra Saúde na Cozinha.

Ingredientes da massa

  • 4 ovos
  • 1 cebola média
  • 1 pote creme de ricota sem lactose light
  • 3 colheres sopa amaranto em flocos ou quinoa
  • Sal marinho
  • 1/2 colher chá cardamomo moído
  • 1/2 colher chá cúrcuma
  • 3 colheres mozarela light

Ingredientes do recheio

  • 1 abobrinha fatiada fina
  • 1 talo de alho-poró
  • 1 xícara de tomatinhos cereja
  • 1 cebola roxa picada
  • 2 dentes de alho picado

Como fazer

Massa: Bata todos os ingredientes no liquidificador e reserve.

Recheio: Refogue a cebola, alho, tomatinhos, alho-poró e abobrinha até que comecem a desmanchar. Coloque em um refratário e cubra com a massa batida. Leve ao forno 180 C por 35 minutos ou até dourar.

Rendimento

6 porções.

E você é adepto da dieta low carb ou conhece alguém que a segue também? Comente conosco sua opinião no box abaixo. Iremos interagir com você com todo o prazer!