Doralgina – Para que serve?

06/11/2019 0 Por Alana Dizioli

Você já ouviu falar ou fez uso do medicamento Doralgina? O artigo de hoje é para falarmos sobre este fármaco produzido e disponibilizado pelo Laboratório Neo Química, que é composto por dipirona (300 mg), mucato de isometepteno (30 mg) e cafeína (30 mg). Ela é um medicamento com atividade analgésica (diminui a dor) e antiespasmódica (diminui contração involuntária) indicado para o tratamento de diversos tipos de dor de cabeça, incluindo enxaquecas ou para o tratamento de cólicas. 

Doralgina também está devidamente registrada na ANVISA, como um medicamento da classe terapêutica dos analgésicos não narcóticos. 

Como este medicamento funciona?

Doralgina funciona pela ação da dipirona, do isometepteno e da cafeína. A dipirona atua na redução da sensibilidade para a dor. O isometepteno atua tanto na redução da dilatação dos vasos sanguíneos cerebrais (diminui o calibre dos vasos sanguíneos da cabeça) contribuindo para a redução da dor, quanto na potencialização do efeito analgésico e antiespasmódico. 

 

A cafeína é um estimulante do Sistema Nervoso Central (atua na cabeça) e apresenta uma ação vasoconstritora (diminui o calibre dos vasos sanguíneos) sobre as artérias cranianas (artérias na cabeça), sendo útil no tratamento das dores de cabeça, especialmente das enxaquecas. O seu início de ação ocorre entre 15 a 30 minutos após sua administração oral e permanece por 4 a 6 horas.

O que é enxaqueca?

Enxaqueca, também conhecida por migrânea, é um tipo de dor de cabeça (cefaleia) incapacitante, com base biológica e que acomete pessoas geneticamente predispostas.

 

Esse tipo de cefaleia primária pode ocorrer em qualquer idade, mas costuma se manifestar mais em adolescentes, adultos jovens e afeta mais as mulheres que os homens.

 

Em cerca de 15% dos casos, o quadro de dor é precedido (ou acompanhado) por uma aura premonitória que envolve sintomas visuais. Sua principal característica é o embaçamento da visão ou a presença de pontos luminosos, em zigue-zague ou manchas escuras nos períodos que precedem as crises dolorosas.

Quais os sintomas?

Os sintomas típicos são:

  • Dor latejante e pulsátil, geralmente unilateral, de intensidade moderada ou forte;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Hipersensibilidade à luz (fotofobia), aos sons (fonofobia) e a certos odores (osmofobia), que se mantém de quatro a 72 horas e piora com o movimento;
  • Irritabilidade;
  • Depressão;
  • Agitação.

Quando não devo usar Doralgina?

Você não deve tomar Doralgina se tiver alergia ou intolerância a qualquer componente da fórmula. Você também não deve tomar este medicamento nas crises de hipertensão arterial (pressão alta), na presença de alteração nas qualidades do sangue ou na proporção de seus elementos constituintes ou de determinadas doenças metabólicas, como porfiria ou a deficiência congênita da glicose-6-fosfato-desidrogenase. 

 

Você só deve usar Doralgina em doses mais altas e por período prolongado se o médico recomendar. Este medicamento é contraindicado para menores de 12 anos.

Ela possui instruções e advertências de uso?

Se você é extremamente sensível à cafeína, não tome Doralgina à noite para não prejudicar o sono. Caso ocorra leve agitação e/ou aumento dos batimentos cardíacos (palpitação), diminua a dose diária. Com isso deverá ocorrer o desaparecimento imediato dos sintomas, não havendo necessidade de tratamento especial. Se você tiver asma brônquica (bronquite) ou infecções respiratórias crônicas (doenças nos pulmões) ou for alérgico a analgésicos e anti-inflamatórios (asma causada por analgésicos, intolerância a analgésicos) tome este medicamento com cautela. 

 

Se você tiver amigdalite (infecção na garganta) ou qualquer outra condição que afete a boca e garganta somente tome Doralgina com especial cuidado e sob orientação médica. 

 

Consulte seu médico se a dor continuar ou piorar, se surgirem novos sintomas, pois podem ser sinais de doenças graves. Pode ocorrer alteração na coloração da urina (avermelhada), sem que haja dano à saúde. 

 

Este medicamento pode causar doping. 

 

Atenção: este medicamento contém Açúcar, portanto, deve ser usado com cautela em portadores de Diabetes. 

 

Gravidez e amamentação: este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Você não deve tomar Doralgina se estiver amamentando. Se necessário, a amamentação deve ser interrompida. Idosos e/ou debilitados devem tomar doses menores de Doralgina a fim de evitar problemas com o sono. Além disso, você não deve usar o medicamento à noite. 

 

Se você tiver problemas nos rins ou no fígado não deve usar Doralgina em doses altas ou por muito tempo, apesar de não existir experiência com o uso do medicamento nestas condições. 

 

Você não deve tomar Doralgina junto com bebidas alcoólicas, nem com medicamentos que contenham clorpromazina (usada no tratamento de doenças psiquiátricas) ou ciclosporina (usada em pacientes transplantados). 

 

A cafeína pode reduzir a ação sedativa dos ansiolíticos/benzodiazepínicos (medicamentos usados para dormir ou tratar ansiedade). Podem ocorrer reações hipertensivas (aumento da pressão arterial) com o uso juntamente com antidepressivos inibidores da monoaminoxidase (IMAOs) (alguns remédios usados para tratar depressão). 

 

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Qual a posologia e dosagem de Doralgina?

Doralgina é de uso exclusivo pela via oral (por boca). 

 

Posologia: 1 a 2 drágeas (em dose única) a cada 6 horas ou 4 vezes ao dia. Não tome mais de 8 drágeas ao dia (4 x 2 drágeas). 

 

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado. 

 

Nós sempre incentivamos aqui no blog os leitores a seguirem corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procurarem orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas, não deixem de procurar orientação de seu médico ou cirurgião-dentista.

E se eu me esquecer de tomar alguma dose no horário?

Como este medicamento é tomado quando necessário (quando você sentir dor de cabeça ou cólica), pode não haver um esquema posológico a ser seguido. 

 

Caso você esteja tomando Doralgina regularmente, tome a dose esquecida tão logo seja lembrada. Tome a dose seguinte com o intervalo de 6 horas e continue com o esquema posológico regular. 

 

Não tome uma dose dupla para compensar a dose esquecida e não exceda a dose recomendada para cada dia. Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico ou cirurgião-dentista.

Qual o esquema de armazenamento de Doralgina?

Você deve conservá-la em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da luz e umidade. 

 

O número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. 

 

Lembre-se de não usar medicamento com o prazo de validade vencido. Mas guardá-lo em sua embalagem original. 

 

Doralgina apresenta-se como drágea circular, semi-abaulada e marrom. Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo. 

 

Lembrando mais uma vez que todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

E Doralgina possui efeitos colaterais?

Doralgina pode causar as seguintes reações adversas: 

 

Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): reações na pele (alergia). 

 

Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): reação alérgica grave acompanhada de queda da pressão sanguínea, alterações das células do sangue, aumento de batimentos do coração e irritabilidade. 

 

Apesar de serem ocorrências raras, a reação alérgica grave e as alterações nas células do sangue são condições clínicas graves, que podem ocorrer mesmo se a dipirona tiver sido administrada previamente, sem qualquer efeito adverso. As alterações nas células do sangue podem ocasionar pequenas hemorragias (sangramento) na pele e mucosas (boca, nariz, olhos, genitais e ânus). 

 

Podem também causar febre alta, dificuldade de engolir, lesões inflamatórias (feridas) na boca, nariz e garganta, assim como nas regiões genital e anal. Imediata interrupção da medicação é a indicação nestes casos.

 

Reações de frequência desconhecida: queda da temperatura do corpo, alterações na pele (vermelhidão, coceira ou urticária), na boca ou na garganta. Também podem ocorrer náusea, vermelhidão, suor e dor de cabeça que em geral desaparecem com a redução de dose. 

 

Reações em grupos especiais de pacientes (frequência desconhecida): em alguns pacientes, especialmente aqueles com história de doença nos rins, ou em casos de superdose, pode ocorrer diminuição temporária das funções dos rins e inflamação dos rins. 

 

Crises de asma podem ser observadas em pacientes propensos. 

 

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

União da Dipirona com o Mucato de Isometepteno

A dipirona é uma substância com efeitos analgésico, antipirético e espasmolítico. Trata-se de uma pró-droga, o que significa que só se torna ativa depois de ser ingerida e metabolizada.

Alguns estudos sugerem que os metabolitos ativos da dipirona agem através da inibição das enzimas ciclo-oxigenase (COX-1, COX-2 e COX-3), da inibição da síntese de prostaglandinas, preferencialmente no sistema nervoso central e da dessensibilização dos receptores da dor periféricos, envolvendo atividade via óxido nítrico-GMPc no receptor da dor.

A dipirona é um fármaco de fórmula um tanto quanto complexa: 2,3-diidro-1,5-dimetil-3-oxo-2-fenil-1H-pirazol-4-ilmetilamino. Ela foi sintetizada pela primeira vez na Alemanha, por volta dos anos 20. Essa substância, também conhecida como metamizol, hoje é uma das mais populares de todo o planeta.

De modo geral, ela pode ser ministrada tanto de forma oral (como estamos habituados) quanto por via intravenosa. A excreção do remédio ocorre pelos rins e a sua ação está diretamente relacionada à inibição de certas enzimas que, quando ativadas, causam a reação de dor.

A associação do isometepteno com analgésicos foi considerada melhor alternativa à ergotamina no tratamento de cefaléias vasculares.

 

Um estudo randomizado comparou a eficácia da Isometepteno + Dipirona Sódica + Cafeína (substância ativa) com a da combinação di-hidroergotamina, cafeína, butalbital e aminofenazona e a do placebo em pacientes com enxaquecas e cefaléias. Os resultados mostraram eficácia similar com o uso das medicações ativas e superioridade significante em relação ao placebo.

 

A eficácia, a tolerabilidade e a consistência da Isometepteno + Dipirona Sódica + Cafeína (substância ativa) na terapia de crises de cefaléia primária leve a moderada foram comparadas com as do paracetamol e as do placebo em um estudo, duplo-cego, randomizado e duplocruzado.

 

Foram avaliadas 243 crises em 81 pacientes, havendo redução da dor em 72,5% com a Isometepteno + Dipirona Sódica + Cafeína (substância ativa) (duas drágeas), 54,5% com o paracetamol (1000mg) e 49,2% com o placebo. A redução média da intensidade da dor foi maior com a Isometepteno + Dipirona Sódica + Cafeína (substância ativa) do que com o placebo e com o paracetamol (P<0,001; aos 90min/120min). 

 

Menos pacientes necessitaram medicação de resgate com o uso da Isometepteno + Dipirona Sódica + Cafeína (substância ativa) (18,4%) do que com o paracetamol (37,7%; P=0,008) e o placebo (43,8%; P=0,0007). Não ocorreram eventos adversos graves.

E a cafeína?

Considerada um recurso ergogênico para a melhora da performance no esporte, a cafeína pode ser consumida de diversas formas na rotina de atletas profissionais e amadores como suplemento alimentar.

Efeitos benéficos da cafeína no nosso organismo também são atestados por órgãos de renome internacional, como a European Food Safety Authority (EFSA), que mostra que a ingestão de até 5,5 mg de cafeína por kg de peso é segura para adultos saudáveis, não conferindo efeitos adversos. Segundo o cálculo feito pelo órgão, a ingestão de até 400mg de cafeína por dia é segura para adultos saudáveis, independente da fonte de cafeína.

  • Melhora do estado geral de cansaço físico e mental;
  • Melhora no desempenho mental e estado de alerta (reflexos);
  • Auxílio na memória;
  • Melhora da concentração e do estado de alerta;
  • Melhora no desempenho nas atividades físicas;
  • Efeito termogênico, que acelera o metabolismo (transforma a gordura em fonte de energia);
  • Efeito neuroprotetores;
  • Melhora do humor.

Versátil, a cafeína está presente em diversas outras fontes de consumo, que podem ser alternativas saudáveis e seguras para quem não tem o hábito de consumir café ou não gosta da bebida.

No caso específico deste artigo, estamos falando da cafeína como componente de alguns medicamentos, você sabia que a ciência já comprovou a ação estimulante, analgésica, diurética e antigripal dessa substância? Por isso que ela é usada como medicamento no tratamento de doenças como enxaqueca e até mesmo apneia do sono infantil.

Podemos concluir então que, se consumida em doses controladas, a cafeína pode ser uma grande aliada à saúde. Principalmente no quesito intelectual! Mesmo assim, esteja atento e modere seu consumo, escolhendo bem as fontes para conseguir se beneficiar de todas as suas vantagens!

O que pode acontecer se eu tomar uma dose maior do que a indicada deste medicamento?

No caso do medicamento ter sido ingerido em doses elevadas acidentalmente, procure imediatamente assistência médica de emergência ou um centro de intoxicação para que sejam tomadas as providências médicas adequadas. 

 

A orientação médica imediata é fundamental para adultos e crianças, mesmo se os sinais e sintomas de intoxicação não estiverem presentes. Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

 

Onde comprar?

Você sabia que no Cliquefarma, nós disponibilizamos para você diversos medicamentos em todas as farmácias da sua região? Aqui você consegue pesquisar os melhores preços e condições de entrega de Doralgina aí na sua casa. Busque agora mesmo!

 

Já experimentou Doralgina em alguma crise de enxaqueca ou cólicas? Comente suas experiências conosco também!