Febre do Feno – Rinite alérgica

13/11/2017 2 Por cliquefarma

febre do feno é um tipo de rinite alérgica, trata-se de uma alergia ao pólen de certas plantas, especialmente as gramíneas (componentes do feno) e árvores (como bétula e aveleira).

Afeta pessoas que costumam ter reações alérgicas depois de inalar substâncias específicas transportadas pelo ar (alérgenos). Quando ocorre somente na primavera e no verão, a rinite alérgica é chamada de sazonal ou febre do feno; quando ocorre durante o ano todo, é chamada de perene. É mais comum em pessoas que também têm outros distúrbios alérgicos, como asma por exemplo.

Estima-se que de 50 a 90% dos indivíduos que sofrem com a febre do feno possuem histórico familiar de alergia, fato que sugere a presença de uma predisposição genética.

Atualmente, nos países industrializados, uma em cada cinco indivíduos apresentam a febre do feno, o dobro do que era observado há 30 anos. Pesquisas realizadas na Europa apontam que neste continente de 10% a 25% da população entre 15 a 50 anos de idade sofrem com a rinite alérgica sazonal.

Os sintomas aparecem logo após o indivíduo entrar em contato com o alérgeno (pólen), sendo que a intensidade das manifestações clínicas varia de indivíduo para indivíduo e até no próprio indivíduo de acordo com o horário do dia, havendo exacerbação dos sintomas após despertar. Dentre os sintomas mais comuns estão:

  • Tosse;
  • Espirro;
  • Congestão nasal;
  • Rinorreia;
  • Cefaleia;
  • Lacrimejamento ou vermelhidão dos olhos;
  • Coceira no nariz, olhos, garganta, pele, dentre outros locais;
  • Falta de ar;
  • Cansaço;
  • Dificuldade para dormir.

O que fazer?

Seu médico provavelmente reconhecerá os sintomas de rinite alérgica, principalmente se você for capaz de identificar a substância que desencadeia a reação. É possível realizar um teste de punctura para identificar o alérgeno que causa a rinite alérgica. Porém, em alguns casos, não se descobre o alérgeno.

Se você puder evitar os alérgenos que lhe causam problemas, seus sintomas vão diminuir (veja Prevenção da rinite alérgica). Existem muitos medicamentos antialérgicos disponíveis, vendidos com ou sem prescrição. Por exemplo, os sprays nasais que contêm cromoglicato de sódio bloqueiam a alergia. Além disso, os corticosteroides (veja Corticosteroides para doenças respiratórias) são eficazes para tratamento da febre do feno, mas podem levar alguns dias para fazer efeito. Os sprays nasais que contêm descongestionantes podem aliviar os sintomas, mas não devem ser usados com regularidade. Anti-histamínicos orais podem ser combinados com descongestionantes para aliviar a inflamação e a coceira. Colírios podem ajudar a aliviar os sintomas oculares. Se os sintomas forem muito intensos, o que é raro, seu médico poderá prescrever um corticosteroide oral.

Tratamento

Atualmente não existe cura para a febre do feno, mas a maioria das pessoas são capazes de aliviar os sintomas com tratamento, pelo menos em certa medida.

Em um mundo ideal, a maneira mais eficaz para controlar a febre do feno é evitar a exposição ao pólen. No entanto, é muito difícil evitar o pólen, particularmente durante os meses de verão, quando você quer passar mais tempo ao ar livre.

Opções de tratamento para a febre do feno incluem anti-histamínicos, que podem ajudar a evitar uma reação alérgica do acontecimento e corticóides (esteróides), que ajudam a reduzir os níveis de inflamação e inchaço.

Muitos casos de febre do feno podem ser controlados usando-the-counter medicação disponível a partir do seu farmacêutico. Mas se seus sintomas são mais problemáticos vale falar de seu GP, como você pode exigir a prescrição de medicamentos.

Para a febre persistente e severa, há também um tipo de tratamento chamado imunoterapia onde você está exposto a pequenas quantidades de pólen ao longo do tempo para construir uma resistência aos seus efeitos alérgicos. No entanto, isso pode levar muitos meses ou mesmo anos para ser eficaz

Fonte: fortissima.com.br e infoescola.com