Julho Amarelo: combate às hepatites

Julho amarelo: mês do combate às hepatites 

29/07/2022 0 Por cliquefarma

O mês de julho é referenciado para lembrar da importância de se falar das hepatites virais, suas prevenções, sintomas e gravidade. Tanto é que o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais acontece no dia 28 de julho.

De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), aproximadamente 1 milhão de pessoas morrem por ano no mundo inteiro devido às hepatites virais. São 3 milhões de novos infectados anualmente. No Brasil, 74% dos casos de hepatites virais são dos tipos B e C, de acordo com o Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais 2020. 

O que é hepatite?

Esta enfermidade é uma inflamação no fígado e exige alguns cuidados, pois pode ter diversas causas como vírus, bactérias ou consumo de substâncias contidas em medicamentos que podem sobrecarregar o órgão.

Existem, ao menos, cinco tipos de hepatites virais: A, B, C, D e E. Dentro destes tipos, algumas são de causas crônicas – quando, muitas vezes, as pessoas vivem sem manifestar sintomas – e outras são de causas agudas – quando os sintomas se manifestam logo nas primeiras semanas. 

Veja quais são e como tratar dos tipos de hepatites: 

Hepatite A

Existe um número elevado de casos no mundo, por estar ligada à falta de saneamento básico e ao contato com coliformes fecais. A contaminação se dá através do cruzamento fecal-oral. Também pode ser causada pela ingestão de água e alimentos contaminados. 

Hepatite B

A transmissão ocorre através do sangue contaminado. Os principais meios de difusão são compartilhamentos de seringas, agulhas, alicates de unhas, lâminas de barbear, objetos cortantes e outros materiais não esterilizados. A hepatite B também pode ser transmitida por sexo sem uso de preservativo ou no parto, de mãe para filho (transmissão vertical).

Hepatite C 

Neste tipo o contato com sangue contaminado também é a principal forma de transmissão, assim como a B. Existe tratamento pelo SUS (Sistema Único de Saúde) com uso de medicamentos via oral. A hepatite C não é transmitida pelo leite materno ou contato casual como abraços, beijos ou compartilhamento de alimentos com alguém infectado.

Hepatite D

Os sintomas e formas de transmitir são muito similares aos tipos anteriores. Aguda ou crônica, a infecção tem tratamento que dura em torno de três meses até um ano. 

Hepatite E 

Assim como a hepatite A, a infecção se dá pelo contato fecal-oral, ou seja, introduzir à boca algum alimento ou objeto infectado pelos coliformes fecais. A hepatite E não apresenta sintomas sempre, mas, quando aparecem, são em sinais de enjoo, vômito, febre, pele e olhos amarelados. 

O Sistema Único de Saúde oferece vacina para hepatites A e B, além de tratamento médico para os outros tipos. Por isso, identificando qualquer sintoma, é recomendada a procura por um médico.