luftal

Saiba tudo sobre o Luftal!

22/12/2021 0 Por cliquefarma

Quem nunca sofreu de flatulências antes? É algo comum que o ser humano deve lidar por conta de como seu corpo age diariamente. Apesar de ser algo natural, os gases em excesso devem ser lidados com o uso de um remédio. Os gases podem vir a causar diversos malefícios para o corpo e são extremamente incômodos, seja para o intestino, por conta de dores abdominais ou por conta de situações sociais constrangedoras.

Por isso existem remédios como o Luftal que são aqueles chamados de antiflatulentos, ajudando uma pessoa a poder evitar situações constrangedoras ou passar por dores abdominais irritantes que podem afetar qualquer um. Apesar dessa situação ser comum, como mencionado antes, não é correto que as flatulências afetem o corpo de maneira que a pessoa comece a sofrer com dores.

O Luftal é um dos melhores antiflatulentos do mercado, contendo diferentes tipos de remédio que servem para cada função específica. Quem deseja não sofrer mais com esse problema tanto quanto embaraçoso, é preciso entender um pouco sobre por que isso ocorre, quanto isso seria normal, o que o Luftal pode fazer para ajudar o excesso de gases e os diferentes tipos de Luftal atualmente disponíveis no mercado farmacêutico. Existe um tipo ideal de remédio com um preço correto e ótimo esperando pelo leitor, a Cliquefarma pode lhe ajudar a determinar o melhor preço para que você economize e não gaste dinheiro extra sem necessidade.

O que são gases?

De forma geral, todos sabem o que gases são. As flatulências são comuns em todo ser vivo, em especial os mamíferos. Portanto, não é como se eles fossem algo incomum ou embaraçoso, porém na sociedade é comum sofrer com situações onde essas flatulências podem causar muitos problemas.

Os gases se trata de ar engolido durante a refeição. Ou seja, esse ar pode passar despercebido pela maioria dos seres humanos, mas ele vai diretamente para o intestino do humano. Ele não é, de forma alguma, maléfico e é um ar comum que não pode ser evitado durante as refeições. Esses gases podem ser liberados por meio de flatulência (via anal) ou por meio de um arroto (via oral). Além disso, muitos gases são produzidos por conta de carboidratos que o estômago não consegue quebrar. O intestino humano não é feito para digerir isso, já que não contém as enzimas necessárias. Portanto, ele é passado para algumas bactérias que residem dentro do intestino humano.

Essas bactérias são comuns e até benéficas para o corpo humano, sendo naturais da anatomia humana. Por meio desse processo, a maioria dos gases é liberada. Por conta da dieta de algumas pessoas, a quantidade de gases também pode ser maior. Muito pelo contrário daquilo que muitos acreditam, as comidas com maior quantidade de gordura e menos saudáveis não são as maiores causadoras de gases. De fato, comida que contém mais carboidratos pode causar uma maior quantidade de arrotos e flatulências.

Isso ocorre por conta do fato que o carboidrato, muitas vezes, não é completamente quebrado dentro do intestino humano ou estômago, por isso as bactérias liberam tal gás. Em geral, é possível que um adulto produza de 10 a 20 gases por dia, sendo esse um número natural, enquanto qualquer coisa acima disso pode ser um sinal de preocupação ou excesso.

Qual a quantidade normal de gases?

Eliminar os gases é algo que ocorre com todo mundo, como já dito. Não é possível evitar isso, mesmo que muitos tenham a eliminação desses gases por meio anal ou mais por meio oral, é impossível evitar isso completamente. Porém, o normal de um adulto é que ele faça, no máximo, até 20 gases ao dia. Alguns podem até mesmo passar despercebidos, mas esse é o número mais natural de gases do dia.

Os gases totalizam um número de 1,5 litro diariamente por meio anal, esses sendo compostos de alguns elementos básicos presentes no organismo humano, sendo esses Nitrogênio (N2), Oxigênio (O2), Dióxido de carbono (CO2), Hidrogênio (H2) e Metano (CH4). Esses elementos são parte de 99% dos gases, porém nenhum conta com um odor ruim. Muitos pensam que todos os gases são aqueles com odor ruim, porém muitos nem mesmo contém som ou odor, a maioria dos gases expelidos diariamente passam despercebidos pela maioria das pessoas, sendo eles anais ou orais.

Porém o 1% restante dos gases contém um elemento que pode causar o mau odor, sendo esse ácido sulfídrico (sulfeto de hidrogênio), também conhecido de forma popular como enxofre. Esses gases diários são de grande maioria inodoro e nenhum gás com mau odor é por conta das fezes ou alimentos comidos durante o dia. Porém, alguns tipos de alimentos podem influenciar na produção maior do enxofre, causando maior quantidade de gases com mau odor. Alguns desses alimentos sendo:

  • Ovos;
  • Feijão, principalmente do tipo preto;
  • Couve flor;
  • Leite;
  • Aspargos;
  • Alho e cebola;
  • Bebidas com gás, como refrigerantes;
  • Farelo de trigo;
  • Batata;
  • Cerveja;
  • Repolho;
  • Alimentos contendo carboidratos;
  • Carne de boi.

Por conta desse gás de enxofre, podemos determinar a razão de muitas flatulências não conterem cheiro nenhum e passarem despercebidas. Já no caso dos arrotos, ou gases expelidos por meio oral, é possível que um adulto arrote mais dependendo do que faz após suas refeições. As causas são as mesmas, porém, é mais comum que aqueles que não se sentam após uma refeição tenham gases de forma oral. Isso ocorre por conta dos gases deglutidos, aquele ar ingerido durante a refeição, indo diretamente de volta para via oral. Quando alguém se senta ou se deita, ela ajuda na ingestão e digestão de seus alimentos, facilitando com que o processo seja feito e ainda evitando a quantidade de arrotos produzidos.

Por que alguns alimentos causam maior quantidade de gases?

Os alimentos mencionados antes contém uma enorme quantidade de oligossacarídeos e o intestino humano não consegue digerir esse tipo de elemento facilmente. Sendo assim, os oligossacarídeos são passados para as bactérias presentes no intestino e elas fazem o processo de quebra dos oligossacarídeos, fermentando eles e então formando os gases do ser humano. Outras razões também podem causar o aumento da quantidade de gases além da ingestão desses alimentos.

O sexo anal passivo, o uso de antibióticos de forma descontrolada para a melhora da flora intestinal, a constipação intestinal e falta de fibras na alimentação, intolerância a lactose, falta de excercício físico e sedentarismo. Esses podem causar os gases expelidos por meio anal em excesso. Alguns podem até mesmo aumentar a produção de enxofre, como, por exemplo, a carne de porco. Alguns tipos de carne podem causar odores fortes e devem ser evitadas por pessoas que sofrem com o excesso de flatulência.

Também é possível notar que a ansiedade pode afetar a flora intestinal e diretamente influenciar uma pessoa a expelir mais gases do que aquilo considerado normal ao dia. Isso ocorre por conta da ansiedade afetar a digestão, o que leva mais alimentos com digestão mal feita até o cólon e oferece mais alimentos para que as bactérias possam fermentar dentro do intestino humano.

luftal

Qual é o número preocupante de gases?

Já que o ser humano expele a cada flatulência ou arroto em média 500 a 1500 ml de gases, é possível que uma pessoa sinta que ela contém um excesso de gases, mesmo sem sofrer desse problema. O que ocorre é que muitos não conhecem sobre o processo e acabam ficando em dúvida de quando é necessário buscar ajuda. Muitas vezes, é uma situação difícil a busca por ajuda na área, por conta do assunto ser embaraçoso para muitas pessoas. Porém, é por isso que remédios antiflatulentos como o Luftal foram desenvolvidos. Assim, é possível lidar com esse número preocupante em excesso sem precisar da ajuda médica imediata.

Mas, já que em geral um humano pode vir a expelir essa quantidade de gás diariamente, o que seria um número incomum? Podemos ver pessoas com dietas restritas expelindo uma quantidade menor, por exemplo, de 1000 ml de gás em cada flatulência, podendo, em geral, totalizar 1,5 litros por dia, ou seja, 10 a 20 flatulências diárias. Porém, não podemos determinar que o número seja um sinal de complicação ou doença. A saúde de uma pessoa continua a mesma, independente do número de gases ser maior ou menor. Controlar eles pode ser uma opção alternativa e pessoal de cada pessoa, pois muitos se sentem incomodados pela situação ou por dores intestinais.

Os gases apenas se tornam um sinal de doença ou problema físico quando eles são acompanhados por diversos outros sintomas, como a diarreia crônica, a perda de peso, anemia, dor ou sangramento interno abdominal, anorexia ou anemia. Quando o caso ocorre acompanhado desses sintomas, o paciente com excesso de flatulência deve não apenas buscar um remédio para evitar isso, mas buscar ajuda profissional para saber como lidar com a situação.

Doenças que causam o excesso de gases

Além de alimentos e de forma natural, os gases também podem ser influenciados por uma quantidade de doenças que afetam diretamente o estômago e intestino humano. Podemos citar que muitas são comuns na população e, por isso, merecem ter atenção redobrada.

Intolerância a Lactose

Esse tipo de intolerância é uma das mais comuns e afeta cerca de 2 milhões de brasileiros por ano, ou seja, é um tipo de doença que deve ser levada a sério. Ela ocorre por conta da deficiência da lactase no corpo do indivíduo, uma enzima produzida no intestino, porém ela pode parar de ser feita pelo órgão. A função da lactase é quebrar as moléculas de lactose e transformar essas em moléculas de  glucose e galactose, elementos essenciais para o corpo humano. A ingestão do leite ou alimentos derivados dele podem agravar a situação e devem ser evitados para não causar os sintomas da intolerância a lactose, que seriam:

  • Diarreia;
  • Náusea e, às vezes, vômito;
  • Dores abdominais e inchaço causados pela formação dos gases.

Isso pode até mesmo causar o excesso de gases no organismo, o que pode vir a acarretar em dores abdominais diárias. Portanto, é preciso que, para quem sofre com essa condição, determine uma dieta balanceada que elimina a maioria ou completamente a quantidade de lactose, ou seja, leite, presente em seus elementos.

O nível da intolerância a lactose pode diferenciar dependendo de seus dois tipos. No primeiro tipo, a intolerância primária, é a mais comum. A lactase é presente no corpo de todos ao nascerem, pois o leite é o alimento primário que todos os mamíferos necessitam ao nascer, inclusive o ser humano. Portanto, a lactase diminui com o passar dos anos e o ganho de idade, além da variação de dieta. Muitas pessoas continuam consumindo muitos alimentos com leite ou até mesmo o próprio leite e, por isso, desenvolvem a intolerância por conta do número pequeno de lactase produzido no corpo após a adolescência.

O tipo secundário de intolerância à lactose é o que depende de uma situação externa, seja uma cirurgia ou algum tipo de doença, que causa, até mesmo em pessoas jovens, a falta de lactase no intestino delgado. Certas doenças que causam essa falta seriam a doença de Crohn, celíaca e gastroenterite. Essa condição deve ser tratada com mais atenção que a primária, já que, muitas vezes, pode ser mais agravada.

Existe um terceiro tipo de intolerância, chamado de intolerância à lactose congênita, algo raro, porém que ocorre quando um bebê sofre de deficiência completa da lactase em seu organismo. Ou seja, o bebê não pode se alimentar do leite materno, mesmo com sua idade. Esse tipo de intolerância, normalmente, ocorre quando ela é passada de geração em geração, sendo que tanto o pai quanto a mãe precisam conter o gene que passam esse tipo de intolerância para a criança. Por isso, é um tipo extremamente raro da doença.

Todos esses tipos contém um efeito em comum quando a lactose é ingerida de qualquer forma, pura ou por derivados: o excesso de gases. Já que o intestino delgado não conta com presença da lactose, é impossível que ela seja transformada em glicose, por exemplo. Assim, as bactérias do intestino fermentam a lactose e tornam ela em gases.

Síndrome do intestino irritável

Outro tipo conhecido de doença que pode vir a causar o excesso de gases seria a síndrome do intestino irritável, sendo uma doença do trato digestório que afeta mais de 2 milhões de brasileiros por ano e contém tratamento usando remédios, inclusive remédios como o Luftal, porém é uma condição que não pode ser curada completamente e, muitas vezes, pode ser até mesmo crônica.

Essa doença afeta diretamente o intestino, como seu nome já demonstra. É comum que o intestino humano contraia-se durante a ingestão de alimentos, fazendo assim sua quebra. Porém, a pessoa que sofre de síndrome do intestino irritável pode sentir contrações muito mais fortes do que as consideradas normais por especialistas. Isso pode acarretar em fortes dores abdominais, diarreia, gases e flatulência em excesso. O contrário também pode acontecer, muitas pessoas acabam tendo um intestino fraco, onde não acontece a quebra apropriada de alimentos. Por isso, as fezes saem com textura mais dura, o que dificulta a vida da pessoa ao ir ao banheiro, podendo afetar diretamente seu anus e até mesmo causar problemas relacionados com o mesmo.

Ainda não se há um consenso que diz o que causa essa doença, porém há três opções que podem ser a causa da síndrome do intestino irritável: os alimentos, o estresse e os hormônios. No caso dos alimentos, não é possível dizer que a síndrome é causada por algum tipo de intolerância, porém alimentos como chocolate, feijão, especiarias e temperos, álcool e bebidas com gás, alguns tipos de legume, leite, algumas frutas, brócolis e outros, podem causar essa síndrome.

O estresse pode agravar por completo os sintomas de quem sofre com a síndrome do intestino irritável. Isso pode causar até mesmo o excesso de gás, portanto é preciso que a pessoa evite a quantidade de estresse em sua vida, caso queira parar de sofrer com dores abdominais constantes. Mesmo que o estresse venha a agravar os sintomas, ele não é um causador direto da síndrome.

Os hormônios também são culpados, portanto as mulheres costumam sofrer com a síndrome do intestino irritável muito mais que homens, principalmente mulheres jovens. É possível perceber que essa doença se mistura com a dor da menstruação, o que causa um grande desconforto perto do ciclo para pessoas do sexo feminino.

Em geral, os principais sintomas demonstrados por essa doença são dor abdominal ou cólicas, uma sensação de inchaço, gases, diarreia ou constipação e até mesmo muco nas fezes. Seu tratamento não leva até uma cura, porém pode aliviar as dores que a síndrome causa. Remédios contra diarreia ou até mesmo antiflatulentos como o Luftal podem ajudar na situação.

Doença celíaca

Junto da intolerância à lactose, essa é uma das doenças mais comuns que atinge uma grande parte da população ao redor do mundo. Ela faz com que o paciente sofra com o glúten ingerido em altas quantidades. Esse tipo de proteína pode ser encontrado na maioria dos alimentos e, principalmente, nas cervejas, trigo, cevada e pães. Ela pode ser de origem genética ou desenvolvida, podendo causar os seguintes sintomas:

  • Barriga estufada
  • Gases
  • Ânsia de vômito
  • Diarreia
  • Irritabilidade
  • Perda de peso
  • Lesões na pele
  • Queda de cabelo

Portanto, é uma condição que necessita de atenção e cuidado, sendo até mesmo mais séria que as outras mencionadas. Por conta da falta da enzima do glúten no intestino, as pessoas que sofrem de doença celíaca não podem quebrar o glúten, produzindo gases em excesso, já que as bactérias em seu intestino acabam fermentando mais o glúten ingerido.

Por isso, é preciso que o indivíduo se atente ao ingerir qualquer tipo de alimento com glúten. Existem várias opções, nos dias de hoje, que oferecem alimentos glúten free, ou seja, sem nenhum tipo de glúten.

Aqueles que precisam se preocupar mais são os que contém uma família com casos anteriores da doença, tendo em vista que ela é uma doença principalmente genética, passando-se de geração em geração. O mais comum é que mulheres e crianças apresentem a doença, no caso dos pequenos é possível afirmar que a razão por isso é o fato dos cereais serem consumidos com grande frequência durante a infância.

Infelizmente, não existe ainda um tratamento específico para a doença celíaca. Enquanto, por exemplo, o Luftal pode amenizar a quantidade de gases causados pela doença ao ingerir uma quantidade maior de glúten, é preciso que o indivíduo tente eliminar completamente a presença do glúten de sua dieta. Muitos alimentos populares devem sair de seu cardápio, o que não agrada muitos e pode ser difícil de lidar.

A consulta com um nutricionista pode ajudar a lidar com a situação, tendo em vista que eles podem receitar e recomendar alguns alimentos alternativos para dieta de quem sofre com a doença celíaca.

O que é Luftal?

Sabendo mais sobre o excesso de gases, o que são, quais doenças podem causar seu excesso e qual a quantidade normal deles por dia, podemos chegar na conclusão de que se o leitor se sente incomodado com a quantidade de gases expelidos por dia, é possível comprar o antiflatulento Luftal e aproveitar seus benefícios. Porém, o que seria o Luftal?

Luftal se trata de um medicamento que ajuda com a quantidade de gases no intestino, sejam eles causados por uma doença, falta de fibras no corpo ou qualquer outra razão, usando sua fórmula especial que contém simeticona. Essa simeticona ajuda a diminuir a tensão presente no intestino e diminui a tensão superficial dos líquidos gástricos. Desse modo, os gases podem ser evitados, já que suas bolhas são eliminadas pelo medicamento.

O Luftal conta com quatro tipos diferentes de medicamentos, cada um deles sendo melhor para a situação pessoal de cada indivíduo. Ele é considerado um dos melhores antiflatulentos do mercado no Brasil.

Quais os tipos de Luftal?

O Luftal conta com quatro tipos diferentes de medicação contra os gases incômodos, entre estes podemos mencionar as seguintes opções para quem busca eliminar o excesso de gases em seu dia-a-dia e evitar situações embaraçosas.

Luftal Gotas

Como todo remédio em gotas, esse Luftal Gotas contém uma ação mais rápida e é ideal para crianças que ainda não podem tomar comprimidos. Porém ele pode ser administrado apenas por adultos, podendo ser consumido por ambos adultos e crianças e até adolescentes. O número correto de gotas depende da idade do paciente:

  • Crianças: 3 a 5 gotas, 3 vezes ao dia.
  • Até 12 anos: 5 a 10 gotas, 3 vezes ao dia.
  • Acima de 12 anos e Adultos: 13 gotas, 3 vezes ao dia.

Para usar o Luftal Gotas, é preciso diluir o medicamento com uma pequena quantidade de água e então ingerir.

Luftal Comprimidos

Por ser mais forte, o Luftal Comprimidos não pode ser ingerido mais de duas vezes por dia, evitando uma quantidade maior que 500 mg ao dia. É ideal para adultos por conta da força que o remédio pode ter, podendo causar problemas no intestino das crianças. Para ingerir o Luftal Comprimidos, é preciso um copo de água, meio cheio ou completamente cheio.

Luftal Max Cápsulas Gelatinosas

O Luftal Max Cápsulas Gelatinosas se trata do mesmo medicamento, porém com sua fórmula contida em pequenas cápsulas gelatinosas que podem ajudar a combater o excesso de gás. Assim como os comprimidos, não é recomendado consumir mais de 500 mg ao dia. Por serem cápsulas gelatinosas, crianças podem fazer seu consumo, contanto que seja com a supervisão de um adulto ou responsável. Essas cápsulas também devem ser acompanhadas de um copo de água.

Luftal Max Mastigável

Muitas pessoas odeiam tomar comprimidos, pois se sentem estranhas ao engolir um remédio por inteiro. Por isso o Luftal Max Mastigável contém os mesmos benefícios de evitar excesso de gases, porém pode ser mastigado, seja por um adulto ou criança que não queira ingerir uma cápsula ou não possa ingerir um comprimido. A sua quantidade deve se manter abaixo de 500 mg assim como os outros produtos. Ele pode ser consumido sem um copo de água, já que é uma opção que possibilita o indivíduo a mascar uma pequena cápsula.

Qual o preço ideal de Luftal?

Em geral, o preço do Luftal pode variar entre várias lojas, porém, por meio da pesquisa da Cliquefarma, é possível que o consumidor possa comparar os preços antes de fazer a compra. Muitas vezes, é possível evitar o gasto extra e desnecessário de dinheiro dessa forma. É de costume que todos os produtos Luftal tenham um preço ao redor de R$13,60. Porém, é preciso lembrar que o Luftal não pode ser consumido de forma descabida e, caso os problemas continuem, uma consulta com um médico especialista é necessária para resolver a questão de excesso de gases ou problemas causados por conta de dores intestinais.

Como ter um diagnóstico de gases intestinais em excesso?

Quem sofre com os gases em excesso e se sente incomodado, porém já até mesmo fez o uso de Luftal ou apenas quer uma maneira mais direta de resolver seu problema, pode tentar buscar o diagnóstico. Para que isso seja feito, é preciso observar outros fatores junto do excesso de gases, como as dores abdominais e intestinais constantes, dores nos peitos ou nos lados do corpo, sangue nas fezes ou mudança de cor dessas, náusea frequente.

Quando esses sintomas aparecerem, é preciso contatar um especialista, especificamente um médico clínico geral que possa ouvir a queixa do paciente. Se o excesso de gases estiver afetando a vida do paciente, é preciso que haja o uso de remédios como Luftal e até mesmo um tratamento intensivo. Em alguns casos, é preciso a mudança de dieta ou até mesmo de rotina diária, acompanhada sempre de um nutricionista.

Como funciona o tratamento?

Mesmo que o Luftal seja um grande combatente do excesso de gases, é preciso admitir que a alimentação desregulada e não saudável é um dos maiores vilões que causam esse excesso. Por isso, além de um clínico geral, é possível que o paciente sofrendo com isso busque um nutricionista que possa recomendar uma alimentação balanceada.

Além disso, como mencionado antes, quando ingerimos ar ao comer nossos alimentos é possível que o ar se torne em gases. Pessoas ansiosas contém um maior número de gases por conta disso, já que elas costumam ingerir mais ar do que outras pessoas. O controle da ansiedade, seja por meio de medicamentos ou tratamento profissional, também é uma opção para pessoas que sofrem com isso.

As bebidas com gás, como água com gás ou refrigerantes e cervejas, devem ser evitadas ao máximo em excesso. Enquanto consumir elas de vez em quando não se torna um problema, tudo em excesso pode fazer mal para o organismo humano. Por isso, a dieta controlada é ideal para ajudar no tratamento.

Além da alimentação, é preciso mencionar também que a falta de atividade física, ou seja, o sedentarismo pode levar uma pessoa a sofrer com uma maior quantidade de gases em seu intestino. Por isso, mesmo que com caminhadas diárias ou 30 minutos de atividade física por dia, é preciso que haja algum tipo para evitar essa situação e ajudar com o tratamento contra o excesso de gases.

Além do Luftal, existem muitas pastilhas com carvão ativado que podem ser ótimas no caso do excesso de gases presente no organismo humano. Elas não devem ser utilizadas caso um medicamento regular esteja sendo tomado, já que as pastilhas podem fazer com que eles se tornem inúteis e não façam efeito.

Luftal: um amigo nas horas mais embaraçosas

Mesmo sendo algo comum, ter excesso de gases pode até mesmo ser deselegante e desconfortável não apenas para quem sofre deles. Por isso, o Luftal continua sendo o antiflatulento que ajuda milhares de brasileiros nesses momentos, com diversas opções de preços e tipos no mercado.

Na Cliquefarma, o consumidor pode comprar os preços de todos os tipos de Luftal em diferentes farmácias ao redor do Brasil, assim podendo eliminar seus gases e ainda comprar o remédio ideal para fazer isso por um preço em conta e que caiba em seu bolso. Aproveitar os benefícios do Luftal, seja ele comprimido, por cápsula ou por gota, é a melhor opção para quem deseja parar de lidar com esses momentos embaraçosos em seu dia-a-dia.