Pílula do dia seguinte: O que é, para que serve e como tomar

11/06/2020 0 Por Alana Dizioli

Pílula do dia seguinte: O que é, para que serve e como tomar

Você já ouviu falar na pílula do dia seguinte? Hoje vamos abordar o assunto e esclarecer as principais dúvidas que rondam o medicamento. Acompanhe até o final e saiba onde comprar.

O que é pílula do dia seguinte?

 

A pílula do dia seguinte é um método anticoncepcional emergencial usado para evitar a gravidez após a relação sexual não-segura. Apesar de ser vista como uma solução prática contra a gravidez indesejada, esse recurso é indicado apenas para casos de emergência e deve ser usado com cuidado, já que traz efeitos colaterais em curto e longo prazo.

 

Alguns nomes e laboratórios de Pílula do dia seguinte

 

Várias delas estão devidamente registradas na ANVISA, na classe terapêutica de medicamentos anticoncepcionais.

 

Principais perguntas e respostas a respeito da pílula do dia seguinte

Como a pílula do dia seguinte funciona?

A medicação atua de várias formas para evitar a gravidez. Caso a mulher ainda não tenha ovulado, ela age para atrasar a ovulação e deixar o muco cervical mais espesso (secreção líquida que banha as trompas e o útero), dificultando que o espermatozoide consiga alcançar o óvulo.

 

A pílula também deixa a camada interna do útero, o endométrio, pouco receptiva para a gestação, além de agir alterando a motilidade dos espermatozoides, ou seja, diminuindo a capacidade deles se moverem até o óvulo.

É importante ressaltar que o anticoncepcional de emergência não é abortivo, ele age para impedir a formação de um embrião, mas caso já exista uma gestação, a medicação não é capaz de interromper.

Como tomar a pílula do dia seguinte?

O procedimento é bem simples. Para o tipo que tem apenas uma pílula, basta tomá-la até 72 horas depois do ato sexual – lembrando que a eficácia é maior nas primeiras 12 a 24 horas.

 

Para aquelas que vêm em duas doses, a primeira deve ser tomada preferencialmente logo após o coito, e a segunda depois de 12 horas.

Tipos de pílula

O mercado disponibiliza dois tipos de pílula do dia seguinte:

 

  • Cartela com 1 comprimido, composto de 1,5 mg de levonorgestrel
  • Cartela com 2 comprimidos: composto cada um de 0,75 mg de levonorgestrel

Não existe diferença entre os dois tipos de pílula, visto que a dosagem é a mesma. Ambas representam uma enorme carga de hormônios ingerida de uma só vez, diferentemente das pílulas anticoncepcionais convencionais – ingeridas diariamente -, que possuem dosagem menor.

 

Como se trata de um método de emergência e não de prevenção, a dosagem da pílula, independentemente do tipo, é um turbilhão de hormônios.

Quando a pílula do dia seguinte é indicada?

  • Houve relação sexual com penetração do pênis na vagina sem proteção (não usou camisinha ou anticoncepcional de qualquer tipo);

 

  • Se a camisinha estourou e a mulher não usa anticoncepcional de qualquer tipo.

Quando a pílula do dia seguinte é contraindicada?

  • Hipertensão descontrolada
  • Problemas vasculares
  • Doenças do sangue
  • Obesidade mórbida

E quais são suas principais vantagens?

  • A pílula do dia seguinte é o único método contraceptivo que pode ser utilizado após a relação sexual.
  • No caso de falha do método e ocorrência da gravidez, não causa efeitos colaterais (teratogênicos) no feto.
  • Previne a gravidez não-planejada como mais uma opção contraceptiva.

 

Além disso, não existe idade mínima para tomar o medicamento. A mulher já pode tomar a partir do momento em que tem uma vida sexual ativa. Já a idade máxima vai até o fim da vida fértil dela. Contudo, o ideal é sempre buscar ajuda profissional antes de fazer uso de qualquer método hormonal.

Desvantagens

  • O uso repetido ou frequente desregula o ciclo menstrual e período fértil da mulher.
  • Maior risco de ocorrer relação sexual desprotegida em um dia fértil, facilitando a gravidez.
  • Se usada frequentemente, prejudica o funcionamento do aparelho reprodutor feminino e dificulta futuras gestações desejadas.
  • Pode aumentar o risco de gravidez ectópica no futuro se usada mais de uma vez por mês.
  • É o contraceptivo com maior taxa de falha: 5%.
  • Tem diversos efeitos colaterais

Quais os efeitos colaterais da pílula do dia seguinte?

Mesmo que ingerida uma vez ou numa frequência muito baixa, ainda é possível que a pílula do dia seguinte cause efeitos colaterais como:

 

  • Dor de cabeça
  • Dor no corpo
  • Náuseas
  • Diarreia
  • Tontura
  • Vômito

 

Na maioria das vezes, a pílula altera o fluxo normal da mulher, desregulando a menstruação. Dependendo do dia em que foi tomada, a pílula pode adiantar o sangramento ou mesmo retardar a menstruação.

Pílula do dia seguinte interfere na menstruação?

A pílula do dia seguinte pode atrasar ou adiantar a menstruação, devido ao desequilíbrio hormonal que ela provoca. Após o uso, o organismo precisa se readaptar e reajustar o ciclo menstrual. Isso pode demorar algum tempo a depender de qual momento do ciclo menstrual você utilizou o medicamento.

Quantas vezes eu posso tomar a pílula do dia seguinte?

Não é recomendado tomar mais de uma pílula por mês, pois ela perde a eficácia, aumentando o risco de gravidez. Além disso, graças a sua alta dose de componentes hormonais, ela pode causar reações adversas como náuseas, alteração do ciclo menstrual, dor de cabeça e diarreia. Iremos ver sobre eles um pouco mais à frente.

Quais são as chances da pílula do dia seguinte falhar?

O risco de falha da pílula do dia seguinte gira em torno de 5%, quando usada corretamente. Explicando melhor: se 100 mulheres tomarem a pílula nas primeiras 24 horas após a relação sexual desprotegida, cinco dessas mulheres ainda poderão engravidar.

 

A taxa de insucesso é mais alta que outros métodos, porque a pílula do dia seguinte não é um método contraceptivo para ser usado de maneira recorrente, mas em caso de emergência. O corpo não está preparado para ela.

 

A ação do levonorgestrel – um tipo de progesterona – pode inibir ou retardar a ovulação. Ele é capaz de dificultar a passagem do óvulo ou do espermatozoide, além de provocar alterações no endométrio, bloqueando a implantação do óvulo.

 

Se ingerida depois da formação do feto, ela pode causar hemorragia e aborto, fatores de risco para a vida da mulher.

Então é possível engravidar depois de tomar a pílula do dia seguinte?

Normalmente, depois de tomar a pílula do dia seguinte, a menstruação pode ocorrer na mesma semana ou cerca de uma semana depois da data prevista. Nas primeiras 24 horas, o índice de falha do contraceptivo de emergência é de 1%. O que significa que de 100 mulheres, de 1 a 3 podem engravidar tomando a pílula nas primeiras 24 horas. No entanto, se a medicação for ingerida após 24 horas, o risco de gravidez é de 2 a 3%.

 

Se a menstruação não ocorrer depois de 4 semanas da ingestão da pílula, convém fazer um exame de gravidez. Ou seja, há risco de engravidar depois de tomar a pílula do dia seguinte, sim.

 

Além disso, o tabagismo pode ser prejudicial se combinado com a pílula do dia seguinte. A pílula com estrogênio é um vasoconstritor, que contrai os vasos sanguíneos, e a nicotina do cigarro também. Em associação, aumentam o risco de derrame (Acidente Vascular Cerebral – AVC) e trombose.

 

Outras contraindicações podem ser indicadas pelo ginecologista, que avaliará caso a caso.

Os 5 principais efeitos colaterais da pílula emergencial

  1. Diarreia;
  2. Náuseas;
  3. Vômitos;
  4. Irregularidade menstrual;
  5. Pequenos sangramentos.

Quantas vezes posso utilizar o contraceptivo de emergência?

Especialistas explicam que não existe um limite de vezes para usar o medicamento, mas é importante não utilizar a forma emergencial de contracepção com frequência.

 

“Na verdade, não existem estudos clínicos explicando quais seriam os danos para quem tomar o contraceptivo de emergência de forma consecutiva. Por isso, recomendamos evitar o uso frequente. Se for realmente necessário, pode-se tomar mais de uma vez, mas pode haver perda de eficácia”, alerta a ginecologista Rayanne Pinheiro para o site da Unimed.

 

A melhor decisão é procurar um médico ginecologista e evitar a automedicação. O profissional é capaz de identificar, por meio do perfil de cada mulher, qual o método contraceptivo regular que mais se adequa, evitando o uso da pílula emergencial com frequência.

Por quanto tempo estou protegida após usar a pílula?

A eficácia é de 99% para cada relação sexual desprotegida e de uso imediato. Não é recomendado fazer do contraceptivo de emergência um anticoncepcional regular.

Qual a diferença do anticoncepcional e da pílula do dia seguinte?

A Dra. Rayanne ainda explicou que o anticoncepcional é um medicamento de uso diário e deve ser tomado regularmente. Já a pílula do dia seguinte contém doses de hormônio mais altas que o contraceptivo regular e deve ser usada apenas nos casos de emergência.

Estou amamentando, posso tomar o medicamento emergencial?

Mulheres grávidas, ou em fase de amamentação, só devem tomar remédios com orientações médicas. Nesse momento, é importante evitar ao máximo qualquer tipo de medicamento para que ele não comprometa a saúde do bebê.

 

Mas vale lembrar que, os anticoncepcionais específicos para as mulheres que estão amamentando possuem hormônios semelhantes aos encontrados na pílula de emergência.

 

A ginecologista ainda ressalta que o risco de engravidar tomando os contraceptivos da lactação é mínimo.

Como devo tomar o anticoncepcional depois de tomar a pílula do dia seguinte?

O ideal é esperar o próximo ciclo menstrual para dar início ao uso do contraceptivo regular. Para quem já faz uso do anticoncepcional regular ou do Dispositivo Intrauterino (DIU), que é um contraceptivo de longa duração, não há necessidade de tomar a pílula emergencial.

É verdade que os antibióticos podem diminuir a eficácia do medicamento?

Existem remédios que podem ter uma interação com o contraceptivo de emergência, mas isso não significa que eles irão diminuir a eficácia da pílula. Caso haja essa interação, o contraceptivo de emergência pode fazer com que o efeito do outro medicamento aumente ou diminua. Isso acontece, principalmente, com remédios de uso psiquiátricos e alguns tipos de antibiótico, que não são de uso corriqueiro.

A pílula de emergência funciona no período fértil?

Sim. Independente do período que a mulher está, o contraceptivo tem um mecanismo para impedir a gravidez.

Tem como saber se o medicamento funcionou?

Não é possível saber imediatamente se o contraceptivo de emergência foi eficaz. É necessário esperar o próximo ciclo menstrual ou, depois de 5 a 7 dias, realizar um exame de Beta HCG quantitativo para avaliar a possibilidade de gravidez.

Este medicamento pode causar infertilidade?

Não existe nenhuma correlação de infertilidade com o uso da pílula de emergência.

É melhor tomar a pílula de 1 ou de 2 comprimidos?

Como dito anteriormente, não existe diferença de eficácia entre tomar uma única pílula ou tomar em duas doses. Mas, costumeiramente, é recomendado ingerir apenas a de uma dose, pois evita que a mulher esqueça a segunda dose do medicamento.

Um resumo do que foi considerado até agora

Contraceptivos de emergência são geralmente chamados de pílula do dia seguinte. Eles foram inventados exatamente para isso, para a manhã seguinte à noite quando algo saiu diferente do planejado.

 

Sabemos que acidentes acontecem em todas as esferas da vida e com sexo não é diferente. Por isso, esses medicamentos podem dar a você uma segunda chance para evitar a gravidez depois de ter feito sexo não seguro. Em geral, a pílula do dia seguinte contém hormônios semelhantes aos contraceptivos orais, mas em doses muito mais elevadas.

 

Sua ação principal é impedir ou retardar a liberação de óvulos pelos ovários. Pode também alterar a parede do útero, impedindo a implantação de óvulo fecundado. Para otimizar as chances de eficácia, você deve tomar a pílula do dia seguinte o mais rápido possível após a prática de sexo não seguro. O ideal é que você a tome até 12 horas após fazer sexo não seguro. Se for tomada depois de 24 horas após essa prática, a eficácia vai diminuindo. Todavia, você pode utilizar o método até 5 dias após a relação desprotegida. Depois de usar o contraceptivo de emergência, você deve utilizar outro método anticoncepcional durante o resto do ciclo menstrual para se proteger, caso não deseje engravidar.

É seguro usar a pílula do dia seguinte mais de uma vez por mês?

A administração repetida no intervalo de um ciclo menstrual não é aconselhável devido à possibilidade de causar perturbações do mesmo. A pílula de emergência não deve ser considerada uma forma regular de contracepção, não sendo tão eficaz como outros contraceptivos hormonais especificamente desenvolvidos para uso contínuo – o seu objetivo é apenas servir de apoio.

Eu posso usar a pílula de emergência com qualquer outra forma de contracepção, por ex. se eu tiver esquecido de tomar a minha pílula anticoncepcional?

Sim, é para isso que ela serve, você pode usar a pílula de emergência se algo deu errado com a sua forma habitual de contracepção, por exemplo, esquecer de tomar a pílula anticoncepcional ou a camisinha estourar.

A contracepção de emergência atrapalha o desenvolvimento de uma gravidez existente?

Não. A pílula de emergência não funciona se a mulher já estiver grávida. Quando tomada antes de a mulher ovular, a pílula de emergência impede a liberação do óvulo do ovário ou atrasa a sua liberação por 5 a 7 dias, quando todo espermatozoide presente no aparelho reprodutor da mulher já terá morrido, pois só conseguem sobreviver por cerca de 5 dias.

A contracepção de emergência causa malformações congênitas? São causados danos ao feto se a mulher tomar acidentalmente pílula de emergência enquanto estiver grávida?

Está devidamente comprovado que o uso de pílulas de emergência não causa malformações congênitas nem danos ao feto, se a mulher já estiver grávida ao tomar tais pílulas ou se elas falharem para evitar a gravidez.

Quanto tempo leva para os contraceptivos de emergência protegerem a mulher contra gravidez?

As mulheres que tomam pílulas de emergência devem entender que podem vir a engravidar na próxima vez que fizerem sexo, a menos que comecem imediatamente a usar outro método de contracepção.

 

Como as pílulas de emergência retardam a ovulação em algumas mulheres, elas podem estar no período mais fértil depois de tomá-las. Se quiserem proteção contínua contra gravidez, é necessário começar imediatamente a utilizar outro método contraceptivo.

Onde posso comprar?

Você pode comparar os preços e condições de entregas de várias pílulas do dia seguinte no Cliquefarma e decidir qual irá adquirir agora mesmo! Conte conosco para responder quaisquer dúvidas ou sugestões no nosso quadro de comentários!