simfort

Simfort: saiba tudo sobre este poderoso probiótico

07/01/2022 0 Por cliquefarma

Muitos não conhecem as vantagens que os probióticos como o Simfort podem oferecer. Existem diversos benefícios que eles podem trazer para a flora intestinal de uma pessoa. Porém, os probióticos, ou seja, micro-organismos vivos, podem ser benéficos em diversas outras maneiras. O Simfort, por exemplo, é um mix de probióticos, que pode vir em forma de sachê ou pílulas, que é o caso do Simcaps.

Se você deseja conhecer mais sobre esse tipo de medicamento, então continue lendo o artigo para conhecer a história dos probióticos, a função dele e quais os benefícios dos remédios dessa categoria, incluindo os benefícios do Simfort. Você sabia que eles são exatamente o contrário de um antibiótico? Os probióticos podem ser considerados um tipo de hospedeiro microbiano considerado um suplemento alimentar vivo que afeta de forma benéfica seu receptor.

Veja mais sobre o Simfort e seus benefícios, além de conferir o preço ideal com a ajuda da plataforma da Cliquefarma da forma mais correta. Descubra mais sobre os benefícios incríveis que probióticos como o Simfort tem a oferecer.

O que é um probiótico?

É comum que muitos usem esses tipos de suplementos ou alimentos probióticos e nem mesmo saibam sobre o termo, já que é um termo muito técnico e pouco comum de se ouvir. Um probiótico age como promotor de crescimento e como imunoestimulante, ou seja, ele é considerado um suplemento alimentar vivo. Sua definição em grego é o completo oposto de antibiótico, tendo o significado de ‘pró-vida’, enquanto antibiótico significa ‘contra a vida’. De forma geral, eles ajudam a melhorar o balanço da flora intestinal do hospedeiro, ou seja, de quem consome.

Muitos micro-organismos podem ser utilizados como um probiótico, entre eles podemos citar as ácido-lácticas e leveduras. Mais especificamente, é comum ver o uso de bifidobacterium e Lactobacillus, pois são micro-organismos extremamente comuns no organismo humano. Podemos citar em especial a Lactobacillus acidophilus.

Os probióticos contam com diversas funções dentro do organismo, por isso são altamente recomendados para certos grupos de pessoas. Entre essas funções, as principais que podemos citar são as seguintes:

  • Os probióticos ajudam a aumentar a qualidade e benefícios dos alimentos ingeridos, já que ocorre um aumento dos níveis de vitaminas do complexo B e aminoácidos. Eles também contribuem para ajudar no consumo mais alto de ferro e cálcio, facilitando sua absorção;
  • Podem ajudar nosso sistema imunológico ao produzir uma quantidade maior de células protetoras;
  • Pode diminuir as chances de câncer;
  • Regulam a flora intestinal;
  • Têm um efeito funcional benéfico de maneira geral no organismo, atuando no controle do colesterol;
  • Pode ser extremamente benéfico para indivíduos que sofrem com a intolerância à lactose, pois aumenta a quantidade da enzima que permite o consumo dessa substância. Vale-se notar que um probiótico não elimina a intolerância à lactose do corpo.

Outro ponto forte dos probióticos é auxiliar com a força de nosso sistema imunológico. Em estudos recentes, foi comprovado que eles ajudam nosso organismo a criar defesas contra bactérias e microorganismos indesejáveis.

Quando são ingeridos através de alimentos ou suplementos probióticos como o Simfort, esses micro-organismos vão diretamente até o intestino e ali somam a flora intestinal já existente. Portanto, auxiliam na absorção de nutrientes benéficos para a saúde humana.

Características dos probióticos

Por sua baixa taxa de duração, os probióticos devem ser muito bem refrigerados para que eles possam se manter vivos. Afinal, eles se tratam de pequenos micro-organismos vivos que auxiliam em nosso corpo ao entrar nele. Portanto, é determinado que eles devem ser inócuos, ou seja, inofensivos para o organismo humano de forma negativa. É necessário manter eles vivos durante a estocagem e transporte dos produtos contendo eles. Quando um probiótico é feito de forma correta, o esperado é que ele possa tolerar o baixo PH do suco gástrico e resistir à ação da bile.

Os probióticos não costumam transportar genes transmissores de resistência a antibióticos, ou seja, não devem ter uma má reação aos antibióticos caso uma pessoa esteja tomando ambos ao mesmo tempo. Eles também precisam resistir às secreções do pâncreas e intestino, além de poder sobreviver ao oxigênio e resistir a fagos.

Onde encontrar probióticos?

É possível achar esses tipos de bactérias em produtos industrializados ou naturais no mercado, como, por exemplo iogurtes, chucrute, kefir, kimchi, alimentos a base de soja ou amido de milho, beterraba fermentada, gengibre em conserva. picles (probióticos naturais), kombuchá, tempeh (um tipo de ingrediente substituto para carne para veganos ou vegetarianos), leites fermentados ou em forma de pó ou cápsulas. No caso do Simfort, por exemplo, podemos encontrar os probióticos em formato em pó. Pode-se dizer que é mais comum encontrar probióticos em leites fermentados, sendo a principal fonte industrializada de probióticos.

Outras opções populares de alimentos contendo probióticos são as azeitonas verdes e o queijo cottage. De certa forma, é preciso estar ingerindo sempre esses alimentos para realmente encontrar um efeito real. Ou seja, é preciso manter uma espécie de ritual de ingestão diária destas substâncias.

Qual a origem dos probióticos?

Muitos dos produtos lácteos fermentados que conhecemos estão relacionados com benefícios para nossa saúde, mas muitos não imaginam as razões por trás disso. Os probióticos são um dos grandes fatores que tornam os lácteos fermentados tão benéficos. Em 1908, foi feito o primeiro estudo que comprova como esses alimentos auxiliam na qualidade da microbiota bacteriana do intestino. 

Desde então, os probióticos podem ser consumidos de forma natural por meio de alimentos, como vistos acima, ou por meio de suplementos probióticos como o Simfort ou Simcaps. Os probióticos não passam a ser mais que micro-organismos vivos que podem ajudar na saúde do hospedeiro.

simfort

Conheça o Kefir: um probiótico natural feito com base de leite

Como mencionado antes, o kefir está na lista de alimentos em que os probióticos estão presentes. Porém, ao contrário dos outros itens da lista, o kefir é pouco conhecido mesmo sendo um produto lácteo fermentado como o queijo cottage ou o iogurte. Seu método de fermentação é o mais antigo que existe, sendo descoberto em montanhas caucasianas no segundo milênio antes de Cristo. O que o torna diferente é a necessidade do grão de kefir para sua fermentação.

Mas o que são os grãos de kefir? Eles se tratam de uma colônia de microrganismos simbióticos dentro de uma matriz composta de polissacarídeos e proteínas diversas. O kefir requer temperaturas baixas para ser fermentado, sendo diferente do iogurte que depende apenas dos lactobacilos para completar a fermentação. Em sua colônia, existem mais de quarenta tipos de micro-organismos que o fermentam, incluindo a presença das famosas leveduras. Para preparar essa colônia, é preciso ter leite de vaca, cabra, de ovelha, de fonte vegetal ou até mesmo usando água pura.

Por conter tantos micro-organismos em sua colônia, o kefir é um probiótico muito utilizado por ser extremamente benéfico para quem o consome. Com uma mistura de micro-organismos vivos e metabólicos, o kefir contém uma vasta gama de benefícios. Porém, seu preparo não é nada fácil.

Para ter sucesso em seu preparo, é preciso tomar cuidados específicos. Especialistas apontam que o kefir possui muitas regras durante sua fermentação. Os grãos de kefir não devem ser tocados com utensílios utilizados para outras finalidades, portanto é importante manter sua higiene e utilizá-los apenas para a produção do kefir. Além disso, sua conservação deve ser feita de maneira específica.

Os grãos de kefir não devem ser colocados perto de um local úmido demais, já que fungos podem invadir eles. É preciso também evitar que eles sejam expostos ao sol. É preciso armazenar os grãos em um local seguro, como um armário, longe de produtos químicos. Também é preciso apontar que a lavagem dos grãos de kefir não é indicada, lave sempre apenas seu frasco durante as trocas de leite ou do líquido de escolha. Na lavagem, é preciso usar apenas água e nenhum sabão.

As vantagens do Kefir e outros produtos probióticos

No caso do kefir, é possível ver comprovação de seus efeitos. Estudos mostraram que os grãos de kefir são capazes de reduzir os níveis de lactose do leite através do processo de fermentação e também em reduzir os níveis de colesterol presentes em até 84% após 24h de fermentação. Além disso, o kefir pode inibir as bactérias que causam doenças e da salmonella. Por isso, o kefir e outros produtos probióticos, em especial com base de leite, podem ter efeitos maiores que qualquer produto no mercado liofilizado.

Vale notar que os efeitos do kefir dependem de sua composição, já que ele também pode ser feito com base em água e açúcar mascavo. Nesse caso, o kefir de água não contém a mesma microflora do kefir feito com leite. Por isso, os intolerantes severos ainda podem sentir mal estar mesmo consumindo o kefir quando ele é feito sem base de leite.

Porém, o kefir contém algumas desvantagens óbvias: para produzir ele é preciso muita paciência e técnica. Ele não pode ser armazenado por muito tempo e, mesmo congelado, ele deve ser manuseado após algumas semanas. Portanto, ele contém muitos cuidados especiais em relação a sua conservação.

Mitos e verdades sobre probióticos

Já podemos entender um pouco mais do que se trata essa categoria de remédios, porém existem alguns mitos e verdades comuns a se notar. Antes de fazer o consumo do Simfort ou qualquer outro suplemento ou alimento probiótico, entenda as principais dúvidas de quem acabou de conhecer esse tipo de micro-organismo do bem.

Os probióticos ajudam com a ansiedade?

Não. Esse é um mito. Não é comprovado que probióticos possam influenciar no bem estar ou na ansiedade que alguém possa vir a sentir. É importante notar que não há um remédio melhor para ansiedade do que as próprias pílulas contra ansiedade. Há estudos que comprovam a ligação da saúde intestinal com a saúde mental, porém não são provas o suficiente para que especialistas recomendem os probióticos contra a ansiedade.

Os probióticos ajudam na cura do câncer?

É verdade que o probiótico pode auxiliar no tratamento do câncer. Estudos mostram que ele contém muita eficácia como um tipo de imunoterapia e pode ajudar com que o organismo do paciente que carrega a doença aceite melhor o tratamento. Vale lembrar, porém, que o excesso de probióticos pode mudar o metabolismo, ou seja, o efeito de outros remédios consumidos pelo paciente para o tratamento do câncer. Devemos sempre notar que não existe uma cura concreta ainda para o câncer, portanto os probióticos apenas auxiliam para que o tratamento tenha maior sucesso.

Probióticos evitam alergias?

Um dos maiores problemas na sociedade atual é lidar com vários tipos de alergias. Os tipos apenas evoluem através dos anos, sendo a alergia ao pó e a alergia alimentar os casos mais comuns. A maioria dessas alergias ocorre em um estágio precoce da vida, muitas vezes antes dos seus 2 anos de idade. Mas a verdade é que muitas alergias nunca podem ser curadas ou amenizadas, se tornando inevitáveis para o paciente. Algo muito importante que determina o desenvolvimento de alergias alimentares, por exemplo, é o organismo sem uma microbiota intestinal forte. A falta de lactobacillus pode ser uma das causas das alergias no organismo após certo tempo. Portanto, probióticos auxiliam com que o organismo humano possa ter uma microbiota intestinal saudável o bastante para evitar diversas alergias, especialmente como adulto.

Probióticos ajudam com a Síndrome do Intestino Irritável (SCI)?

Existem muitos estudos que relacionam o uso dos probióticos com a diminuição dos sintomas do SCI, portanto ele é, de fato, uma forma de ajudar com os sintomas da síndrome do intestino irritável. Muitas pessoas ao redor do mundo sofrem com dores abdominais, excesso de muco nas fezes, intestino preso, diarreia e outros problemas relacionados com a SCI. Porém, podemos notar que nem todos esses problemas vem de origem alimentar, já que alguns podem aparecer por conta do estresse. Isso comprova a ligação direta entre o cérebro e o intestino.

No caso de pacientes com SCI, eles possuem a “habilidade” de conseguir sentir cada contração de nosso cólon. Para quem não sabe, o cólon humano se contrai ao longo do dia, porém de forma muito fraca para que todos realmente possam perceber. Ele age de forma quase que reptiliana. Os neurotransmissores do intestino de uma pessoa com SCI podem ser mais potentes que uma pessoa sem a doença, portanto ela é capaz de sentir essas contrações, o que pode ser extremamente desconfortável para o paciente.

De forma geral e mais simples, podemos dizer que o intestino manda informações da situação do cólon a cada tempo determinado pelo organismo do paciente. Ele deve se contrair e relaxar de forma natural e condutiva para que os movimentos intestinais sejam saudáveis, nem muito frequentes e nem muito raramente.

Os probióticos conseguem diminuir as chances desse pequeno relatório de progresso que o intestino manda para o cérebro, mas ainda não há uma explicação concreta da razão por trás disso. O processo é como olhar para um agrupamento de mais de 3 milhões micro-organismos naturalmente presentes na flora intestinal e adicionar um novo residente, o que desacelera a quantidade de informações que o intestino compartilha com o cérebro.

Probióticos ajudam com a diarreia causada por antibióticos?

Não há uma resposta concreta para isso ainda, portanto não é um mito e nem uma verdade. Os especialistas observaram que os probióticos podem diminuir as chances de diarreia causada pelo uso de antibióticos, Além disso, ele pode prevenir que ocorra um tipo forte de super diarreia causada pelo uso maléfico de antibióticos conhecida como  C. difficile.

C. difficile é uma doença muito grave que poucos conhecem, mas deveriam ficar atentos para suas causas e sintomas. O uso em excesso de antibióticos, especialmente sem prescrição médica, é uma das principais causas. Os antibióticos podem ser responsáveis por matar muitas bactérias boas em nosso organismo, por isso não devem ser dosados de forma irresponsável. A C. difficile apresenta diversos sintomas como febre, infecções leves ou graves, diarreia líquida várias vezes ao dia, sangue na fezes, batimentos cardíacos acelerados e até mesmo insuficiência renal.

Portanto, em caso de um efeito colateral relacionado aos antibióticos, é preciso tomar uma quantidade de probióticos como Simfort até que os sintomas desapareçam por completo. Lembre-se de sempre buscar atenção médica antes de consumir antibióticos.

Probióticos podem ajudar no tratamento da candidíase?

Sim, é comprovado que os probióticos podem ser ótimos para o tratamento da candidíase. Afinal, a candidíase não se passa de um fungo com crescimento excessivo. Os probióticos podem ter efeitos benéficos no microbioma da vagina, porém não há estudos suficientes para afirmar isso com 100% de certeza. Entretanto, não há um perigo em experimentar os probióticos para auxiliar no tratamento da candidíase.

Probióticos melhoram minha imunidade?

Um grande mito é acreditar que a imunidade pode ser melhorada usando os probióticos. Enquanto foi comprovado em 2005 que há uma evidência da redução dos sintomas da gripe e resfriado com a ajuda dos probióticos, sendo melhor que o uso de placebos, evitando infecções agudas do trato respiratório superior de forma eficaz, não é possível achar evidência o bastante para dizer que os probióticos podem realmente influenciar no sistema imunológico de uma pessoa. Existem diversas outras formas comprovadas de auxiliar em uma imunidade mais poderosa.

Em geral, os probióticos não podem ser considerados recomendados para o bem estar?

Não podemos afirmar que os probióticos são remédios corretos para quem busca o bem estar, mesmo ajudando com a flora intestinal e outros fatores. Porém, quem se sente saudável não tem uma razão real para tomar os probióticos, segundo especialistas. De forma geral, eles não são prejudiciais e podem vir a ajudar os pacientes, mas não devem ser sua única fonte de ajuda. A melhor aposta é usar os probióticos contra diversos tipos de diarreia, mas para casos diversos não é correto afirmar que essa é a melhor escolha. 

Maneiras naturais de melhorar a flora intestinal

Além dos alimentos que contém probióticos de forma natural, podemos mencionar que a quantidade de fibras na alimentação é extremamente importante para contribuir com uma boa flora intestinal. 

Por isso, é bom fazer o consumo de frutas com casca, contanto que estejam lavadas, cereais integrais como pão, arroz e aveia, leguminosas como ervilha, lentilha e feijão, banana, tomate, alho e outros ingredientes que contém fibras que auxiliam na qualidade da flora intestinal. 

Esses alimentos estimulam a criação de uma microbiota saudável. Podemos mencionar também que alguns tipos de vegetais folhosos como o alface, rúcula, agrião e outros contribuem da mesma forma para nosso organismo.

Afinal, qual a ação dos probióticos em nosso corpo?

Sabendo que ele pode ser benéfico para alguns casos específicos, podemos finalmente chegar em como os probióticos funcionam na prática dentro do organismo humano. Se você ainda está em dúvida sobre o processo, entenda mais sobre como ele funciona.

Podemos destacar como um dos objetivos principais dos probióticos alterar a microbiota intestinal e ajudar com nossa flora intestinal. Isso pode ser feito através do consumo de novos micro-organismos usando os alimentos ou suplementos citados ou através do crescimento de bactérias já presentes dentro do intestino humano.

O consumo de probióticos auxilia no crescimento de micro-organismos benéficos para nosso organismo, em especial os Lactobacillus e o Bifidobacterium. Enquanto eles aumentam, alguns tipos maléficos de bactérias são eliminados ao mesmo tempo, como o Clostridium perfringens. Além disso, o consumo de probióticos se provou capaz de evitar a infecção imunológica com uma bactéria chamada Giardia intestinalis. Em geral, os probióticos podem evitar a presença de muitas bactérias prejudiciais para nosso corpo.

O que é a microbiota intestinal?

Até agora mencionamos muito a microbiota intestinal e como os probióticos podem auxiliar em sua qualidade, porém muitos não sabem do que se trata a microbiota intestinal em si. Ela se trata de uma colônia de micro-organismos, ou seja, bactérias que vivem em nosso intestino e que devem sempre estar em balanço, pois elas evitam a presença de doenças como hipertensão ou diabetes. Essa microbiota atua no nosso metabolismo e também nas defesas de nosso corpo. Dentro dessa microbiota, existem mais de trilhões de micro-organismos, sendo um número duas vezes maior que a quantidade de células em nosso corpo.

Desde o nascimento, a microbiota ajuda a montar defesas contra inúmeros tipos de doenças prejudiciais para nossa saúde. Ela evita com que o intestino, em especial, seja colonizado por agentes que causam doenças. Além disso, por conta desses micro-organismos, podemos absorver algumas substâncias muito importantes para nossa saúde como a vitamina B2, K e os ácidos graxos de cadeias curtas, contribuem também para a absorção de muitos minerais e de substâncias anti-inflamatórias.

Uma microbiota saudável é muito importante, pois já houve muitos estudos que comprovam a importância de uma microbiota de qualidade para diversos fatores no corpo humano. Nossa flora intestinal pode facilitar o desenvolvimento de diabetes tipo 2 e obesidade, por exemplo, por isso é preciso sempre estar atento para seu cuidado apropriado.

Simfort: O que é esse probiótico?

Falamos o bastante sobre os benefícios dos probióticos, mas qual é um dos melhores no mercado brasileiro? O Simfort é um dos melhores exemplos de suplementos probióticos existentes atualmente, contendo um mix dos 5 principais micro-organismos que ajudam com um funcionamento melhor da flora intestinal. O Simfort é distribuído pela empresa Vitafor e pode contribuir com diversos fatores do organismo, inclusive os já mencionados benefícios de probióticos. Muitos conhecem o Simfort como Symbio Fort, porém a empresa decidiu mudar esse nome, mantendo a mesma composição.

Qual a composição do Simfort?

O Simfort contém uma composição muito natural para que seus sachês de suplementos probióticos sejam feitos. Não houve uma mudança entre a composição do Simfort com a do antigo Symbio Fort, contendo cinco tipos diferentes de micro-organismos, conhecidos como Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus casei, Lactococcus lactis, Bifidobacterium bifidum e Bifidobacterium lactis, além da adição de amido de milho e maltodextrina.

simfort

Como usar o Simfort?

É importante notar que um acompanhamento médico ao usar o produto é muito recomendado, pois assim é possível saber se é necessário o uso de um probiótico, qual a quantidade correta diária para seu organismo, se Simfort é o melhor para você e mais. Nem todo organismo pode usar o Simfort ou probióticos em geral, muitos nem mesmo precisam da presença de probióticos, pois sua flora intestinal já é saudável.

Para usar o Simfort, basta dissolver um sachê em aproximadamente 100 ml de água e agitar essa água com sachê Simfort usando uma colher. É preciso beber instantaneamente depois de seu preparo e evitar o consumo junto de líquidos quentes. Vale também notar que para usar Simfort com eficácia, é preciso que ele esteja acompanhado de uma alimentação saudável.

Qual o melhor horário para tomar Simfort?

Enquanto uma recomendação médica específica para cada organismo é mais recomendada, de forma geral, tomar probióticos como o Simfort pode ser mais recomendado antes ou após cada refeição como o jantar, almoço ou café da manhã. 

Os alimentos auxiliam a passagem do Simfort pelo estômago, sem esses alimentos há maior chance que as bactérias presentes na composição do Simfort sejam eliminadas pela grande acidez do intestino. 

Porém, Simfort contém um diferencial de outros suplementos probióticos do mercado: ele contém uma maior resistência contra o pH presente no estômago, o que evita com que as bactérias morram rapidamente no ácido intestinal.

Quais os tipos de Simfort no mercado?

A marca Vitafor oferece diversos tipos de Simfort no mercado, com preços acessíveis para todos. Entre os principais modelos, devemos citar:

  • Simfort 30 sachês Vitafor
  • Simfort 10 sachês Vitafor
  • Simfort 60 sachês Vitafor
  • Simfort Fibras
  • Simfort Caps

No caso do Simfort Fibras, é possível usar ele para repor as fibras alimentares solúveis e insolúveis muito importantes para o intestino humano. Os outros modelos se tratam do mesmo tipo de suplemento em sachê, porém com uma quantidade diferente de sachês em suas caixas.

Qual o preço do Simfort?

O preço do Simfort pode ser um grande atrativo para muitos, pois seu consumo não é alto, o que ajuda com que o suplemento dure por um longo tempo e com que o consumidor pague pouco por isso. Com a ajuda da plataforma da Cliquefarma, você pode comparar preços do Simfort em diversas farmácias ao redor do Brasil e determinar qual o preço mais justo para seu bolso.

Em geral, o preço do Simfort cobra R$35,00 por uma caixa contendo 10 sachês, enquanto uma caixa com 30 sachês custa R$138,00 e uma caixa com 60 sachês custa R$240,00. Esse preço é baseado no site oficial da Vitafor, porém pode vir a mudar entre farmácias ao redor do Brasil.

Qual a diferença entre Simfort e Simcaps

A principal diferença entre esses produtos da Vitafor é o modo que eles são apresentados, porém ambos se tratam de um mix de bactérias benéficas para a flora intestinal humana. Simcaps apenas oferece os mesmos benefícios do Simfort através de cápsulas e de um preço mais acessível, já que um frasco com 30 cápsulas custa apenas R$68,00.

Simfort: Um poderoso probiótico recomendado para todos

Se você sofre com SCI, diarreia causada por antibióticos ou falta de uma boa flora intestinal, o Simfort pode ser uma ótima resposta para resolver seus problemas. Como visto neste artigo, os probióticos são elementos muito benéficos e até mesmo necessários para nossa saúde, oferecendo benefícios que não podem ser obtidos naturalmente.

Lembre-se sempre de usar Simfort ou qualquer outro suplemento probiótico junto de uma alimentação balanceada. Possivelmente, coma alimentos que ofereçam a presença de probióticos naturais em sua composição, como os produtos lácteos fermentados, o kefir, o picles e mais. Dessa forma, é possível obter melhores resultados de suplementos como o Simfort ou Simcaps.

Além disso, é importante notar novamente que o acompanhamento médico ao fazer o uso desses probióticos suplementares é muito importante. Algumas pessoas não podem fazer seu uso por conta de doenças prévias, outras simplesmente não tem uma razão para cuidar de uma flora intestinal que já é saudável. Sempre consulte um médico antes de aproveitar os benefícios do Simfort.

Agora que você sabe muito mais sobre probióticos e o uso do Simfort, que tal fazer sua compra usando a pesquisa de preços da Cliquefarma? Através dela, você pode encontrar o melhor preço deste suplemento probiótico maravilhoso no mercado.