Umidificador de ar

11/09/2020 0 Por cliquefarma

O assunto de hoje tem tudo a ver com o clima que anda fazendo na maior parte do país nos últimos dias deste inverno, o umidificador de ar! Afinal, você também deve estar sentindo os incômodos do calor e tempo extremamente seco! Para se ter uma ideia, o Instituto Nacional  de Meteorologia (INMET) publicou aviso público iniciando em: 10/09/2020 às 09:30 para a área do Mato Grosso do Sul e também São Paulo, prevendo umidade relativa do ar variando entre 20% e 12%. Risco de incêndios florestais e à saúde. Ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz.

Por isso que o Cliquefarma separou para você as melhores dicas sobre umidificadores de ar, por que é tão importante usá-los, como utilizá-los da maneira correta, algumas maneiras de aliviar a secura do ambiente e ainda onde comprá-los. Confira agora mesmo!

Umidificador de ar: por que é tão importante usar?

O umidificador de ar é excelente opção para manter-se saudável em períodos de clima seco. Além disso, é um aparelho muito procurado por pais de recém-nascidos, que possuem imunidade baixa e maior probabilidade de adquirirem problemas respiratórios.

 

Ambientes com umidificadores de ar usufruem de um ar mais limpo, fresco e tranquilo. É claro que isso não se restringe a residências, ok? É uma dica que serve para escritórios, lojas, espaços com grande volume de pessoas e etc. 

 

Uma boa parte da população que sofre com sinusite, rinite, bronquite, asma, entre outras questões respiratórias, não abre mão do aparelho. E agora nós vamos te explicar por que isso acontece. Entenda por que é tão importante usar umidificador de ar!

Mas o que é umidificador de ar? Para que serve?

O umidificador de ar é um aparelho eletrônico que regula e melhora os níveis de umidade do ar. Contribui para purificar e renovar o ar, propiciando ainda a oportunidade de não deixar que a umidade seja excessiva. Até porque teor de alta umidade também pode ocasionar outros problemas de saúde.

Como funciona o aparelho e quais os tipos?

Para entender como funciona o aparelho, precisamos classificá-los, já que existem alguns tipos de umidificador de ar.

Umidificador de ar ultrassônico

O modelo possui um sistema tecnológico diferenciado, tornando a produção de partículas de água mais leve. Sem permitir que os objetos à sua volta fiquem molhados, ou ainda, que favoreçam ao mofo. É a melhor opção para equilibrar a umidade no ambiente, já que seu sistema desliga quando a umidade ideal foi atingida.

Umidificador a vapor

Praticidade e facilidade são os principais benefícios do umidificador a vapor, que não oferece nenhum mistério para funcionar. O modelo de funcionalidade simples vaporiza a água que é colocada no seu reservatório logo após ligá-lo. Seu sistema transforma a água em vapor através do aquecimento.

Umidificador por impulsor

O aparelho conta com um difusor em formato vazado, que transforma a água em vapor de maneira instantânea. Além da possibilidade de qualificar a umidade do ar no ambiente, também gera uma brisa refrescante. Permitindo que o ambiente fique geladinho. 

Vale ressaltar que, é bom ficar ligado para que a umidade e o ar gelado não se tornem exagerados. Porque ar gelado e úmido em excesso podem causar problemas de saúde. 

Por que o umidificador de ar é importante? 

Quando o clima é bem seco, as pessoas acabam sentindo no próprio organismo sintomas indesejados devido a baixa umidade do ar. Veja abaixo alguns dos principais sintomas:

 

  • Tosse seca;
  • Olhos irritados;
  • Dificuldade para respirar;
  • Mucosas desidratadas;
  • Alergias desencadeadas;
  • Piora em problemas respiratórios (como asma e etc.)
  • Garganta seca.

 

Além da necessidade de beber bastante água para melhorar a saúde, o umidificador de ar aparece como uma solução. Embora algumas pessoas busquem métodos caseiros para umidificar os ambientes, como a bacia d’água, a performance do aparelho produz melhor resultado. Oferecendo uma nova qualidade ao ar e à respiração das pessoas no recinto.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), os níveis de umidade do ar devem apresentar-se entre 40% a 70% para o bem-estar dos indivíduos. 

Umidificar o ar previne crises de alergia

Tosse seca, chiado no peito, olhos irritados, dificuldade para respirar e piora de alergias entre quem já sofre com o problema rotineiramente. Esses são os sintomas mais comuns decorrentes da baixa umidade do ar, situação agravada em cidades muito poluídas.

 

 “Crianças e idosos, que têm o aparelho respiratório mais sensível e reagem mais devagar às mudanças no clima, sofrem mais e acabam indo parar nos prontos-socorros”, afirma a pneumologista Sandra Aparecida Ribeiro, do Hospital São Luís.

 

Quando a umidade está entre 20 e 30%, surge o estado de atenção; entre 12 e 20%, estado de alerta e abaixo de 12%, surge o estado de emergência. “Quem sofre com problemas respiratórios deve ficar atento a esta variação, aumentando os cuidados conforme a umidade diminui”, afirma a médica. 

 

Outra medida importante nesses dias é hidratar o corpo. “Perdemos água na respiração e na transpiração”, explica Valéria Martins, diretora da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT). “Precisamos beber água o dia inteiro, além de lavar as vias respiratórias com soro fisiológico pela manhã e à noite”.

 

Enquanto a chuva não vem para resolver de vez a secura, o uso de aparelhos umidificadores ou de métodos caseiros, como espalhar bacias de água pela casa, é a alternativa ideal em favor da saúde. Veja agora além dos umidificadores, algumas soluções caseiras para melhorar a umidificação do ambiente.

Umidificador a vapor

 

Prós: O sistema é simples. Basta colocar água no recipiente plástico até a medida indicada, encaixar o aparelho responsável por aquecer a água e ligar na tomada. Em poucos minutos já é possível observar gotículas nas paredes internas do equipamento e o vapor saindo dele. Além disso, não há necessidade de manutenção em curto prazo e o reservatório de água dispensa a reposição durante uma noite de sono, por exemplo.

 

Contras: “Como o aparelho funciona por meio do aquecimento da água, ele acaba aumentando a temperatura do ambiente”, aponta Valéria Martins. Este, entretanto, é o menor de seus problemas. A grande preocupação dos pneumologistas surge quando o ambiente fica úmido demais, proliferando o mofo – grande inimigo de quem sofre de problemas respiratórios. Outra característica que atenta contra o seu uso é o gasto de energia elétrica e o perigo de queimaduras, principalmente em locais com crianças.

Bacia de água

Prós: Um dos métodos caseiros mais conhecidos, a famosa bacia de água tem algumas vantagens em relação a aparelhos mais sofisticados. “Ela não gasta energia e dispensa preparação ou gasto inicial”, aponta a pneumologista Valéria.

 

Contras: Por outro lado, a bacia de água é menos eficaz, dependendo demais da temperatura externa para funcionar. Se estiver muito frio, por exemplo, e o ar estiver seco, a evaporação da água é lenta e menor do que a necessária para umidificar o ambiente.

Umidificador ultrassônico

Prós: Como mencionamos anteriormente, este é um dos umidificadores de tecnologia mais avançada e também um dos mais silenciosos. Por meio de frequências ultrassônicas, ele cria uma névoa de água bastante fina que combate a secura do ar, explica Valéria. A grande vantagem do equipamento é o menor risco de criar gotículas de água nas paredes e nos móveis, dificultando a formação de bolor.

 

Contras: Caso o aparelho não inclua um monitor que o desligará quando a umidade relativa do ar desejada for alcançada, o perigo de criar um ambiente excessivamente úmido permanece. Portanto, a especialista Valéria recomenda que o umidificador seja ligado de três a quatro horas antes do sono. Após este período, desligue. Além disso, como a água fica parada, o recipiente torna-se favorável à proliferação de bactérias. Por isso, troque o líquido regularmente.

Toalha molhada

Prós: Por ter uma superfície de maior contato com o ar, a toalha molhada é, a princípio, mais eficaz do que a bacia de água e, assim como ela, também não precisa de supervisão. Outra vantagem é a praticidade, uma vez que já estamos colaborando com a umidade do ar simplesmente pendurando uma toalha usada após um banho, lembra a pneumologista Sandra.

 

Contras: Um dos problemas da toalha molhada é o mesmo da bacia com água: a evaporação da água fica à mercê da temperatura ambiente. Já um ponto negativo em comparação a este outro método caseiro é o fato de ela poder secar rapidamente durante a noite, necessitando de reposição nas demais horas.

Umidificador impulsor

Prós: Um disco em rotação lança água em um difusor em forma de pente, transformando o líquido em gotinhas que flutuam no ar. Assim funciona o umidificador impulsor. É como se uma neblina saísse do equipamento. O ponto forte desse aparelho é a rapidez.

 

Contras: Esse é o umidificador mais propício a deixar o ambiente excessivamente úmido. “Se não for controlado, pode originar gotas nos móveis e nas paredes, além de tornar almofadas e bichos de pelúcia focos de mofo”, alerta Valéria. Outro problema se dá em relação às propriedades da água, que ficam mais evidentes neste aparelho. Se ela for rica em minerais, as gotículas poderão deixar algum pigmento ao entrar em contato com objetos do ambiente, formando uma capa de poeira após a evaporação da água. Se isso acontecer, abasteça o recipiente com soro fisiológico.

Sistema de pavio/ evaporativo

Prós: O sistema de pavio utiliza uma estrutura semelhante a um papel, que é umedecido por água e vai secar graças às rotações de um ventilador. A água evapora quando a umidade do ar está baixa e ameniza a secura.

 

Contras: A reposição de água do reservatório e o gasto de energia elétrica são dois pontos negativos em relação ao aparelho. Recomenda-se, ainda, verificar na embalagem se a capacidade do equipamento adquirido é compatível com o tamanho do ambiente. Caso isso não seja informado, o ideal é ter por perto um medidor de umidade relativa do ar, que muitas vezes vem acoplado a relógios digitais de parede.

Plantas no quarto

Prós: Cultivar plantas pela casa é uma maneira natural de umedecer o ambiente, porque parte da água acumulada nos pratos e na terra evapora. O processo não exige mais trabalho do que você já tinha, não precisa de qualquer controle e não tem qualquer custo.

 

Contras: Um ponto negativo é que a água da terra e da vasilha nem sempre evapora na quantidade necessária para que o ar não fique tão seco. Quanto ao mito de que não se deve dormir com plantas no quarto, fique tranquilo. A quantidade de oxigênio que ela consome é infinitamente menor a de uma pessoa que, eventualmente, divida o quarto com você.

 

Vantagens de usar umidificador de ar

Descubra agora as maiores vantagens de usar umidificador de ar nos ambientes:

 

  • Longa durabilidade;
  • Previne doenças e melhora a qualidade de vida;
  • Custo-benefício que mostra o quanto vale a pena;
  • O aparelho gasta pouca energia elétrica;
  • Equilibra a umidade do ar sem gerar bolor e mofo;
  • Oferece conforto e aconchego;
  • Existem modelos que permitem inserir medicamentos leves para combater a tosse seca;
  • Quando a água despejada no reservatório é filtrada, o aparelho não dissemina bactérias pelos ambientes.

 

Claro que, vale lembrar que é essencial que o consumidor leia atentamente o manual de instruções cedido pelo fabricante. Porque cada modelo possui seus próprios métodos de funcionamento e exige atenção para o manuseio adequado. Conheça de fato o seu umidificador de ar! 

Uso inadequado do umidificador de ar pode agravar doenças respiratórias

Segundo o próprio Ministério da Saúde, vale o alerta! O uso exagerado de umidificadores de ar pode agravar a saúde principalmente das pessoas que têm problemas respiratórios.

O otorrino do Grupo Hospitalar Conceição, Iuberí Zwetsch, explica que o excesso de umidade pode estimular o crescimento de fungos, por isso é importante saber qual a umidade do ar para utilizar o umidificador da maneira adequada. “A umidificação do ar é necessária em algumas situações, até para sobrevivência. Porém, muita umidade vai fazer com que a ar fique muito denso o que favorece o crescimento de germes. Na verdade, tem que ter um equilíbrio na quantidade certa de umidade. Então, uma coisa importante nesses ambientes, cidades, lugares mais secos, é que a pessoa saiba qual é a umidade relativa ar naquele dia, porque tem dias que precisa dessa umidade e outros não”.

 

O otorrino do Grupo Hospitalar Conceição destaca ainda que o umidificador não deve ficar em lugares próximos à estruturas que absorvam umidade para não comprometer a saúde. 

 

“A gente deve evitar ao máximo possível locais que possam reter a umidade, como livros, brinquedos e cortinas. Porque essa unidade retida ali, não solta no ar como a gente quer, você pode estar usando uma coisa que vai até prejudicar depois a respiração com mofo e fungos. Então, a umidade tem que ser num ponto tal que você concentre num ambiente que em que está usando”.

 

Além da hidratação ambiente, o otorrino do Grupo Hospitalar Conceição alerta que as pessoas não devem esquecer de beber pelo menos dois litros de água por dia.

Quais os principais cuidados que devo ter ao utilizar os umidificadores de ar?

Adriano Heleno Ribeiro, farmacêutico, alerta para o uso desses aparelhos: “o uso dos umidificadores exige cuidados da mesma forma que os aparelhos de ar condicionado e os aquecedores. Para evitar a alta umidade e a aparição de fungos nocivos à saúde, como o mofo e o bolor, é importante não exagerar e, por exemplo, não dormir com o umidificador ligado durante a noite toda. O ideal é deixar o equipamento ligado de duas a três horas antes de dormir, no máximo”.

 

Abaixo, confira os seis principais cuidados para ter os umidificadores como bons aliados durante os dias mais secos do outono.

Qualidade da água

Como os umidificadores não realizam a fervura da água, o ideal é optar sempre pela água filtrada, para evitar que esses aparelhos espalhem bactérias pelo ar.

Troca da água

Recomenda-se trocar a água do reservatório todos os dias e limpá-lo semanalmente, para evitar o acúmulo de sujeiras que podem reduzir a vida útil do aparelho e prejudicar a qualidade do ar no ambiente.

Limpeza para evitar a proliferação de germes e bactérias

Os umidificadores de ar funcionam por meio de um disco de rotação, que lança a água em um difusor. Quando a água passa pelo difusor, em formato de pente, se transforma em minúsculas gotas que são lançadas ao ar em formato de névoa fria. A limpeza do aparelho deve ser meticulosa, para evitar a proliferação de germes e bactérias.

Controle da umidade recomendável no ambiente

Os umidificadores que possuem higrômetro acoplado são considerados melhores, uma vez que esse mecanismo permite o auto ajuste do aparelho, fazendo com que ele seja desligado quando a umidade recomendável (60%) é atingida no ambiente. Porém, se o modelo do umidificador que possui em casa não conta com essa tecnologia, mantenha-o ligado por durante apenas duas ou três horas para evitar a alta umidade e, ao dormir, mantenha uma porta aberta do ambiente para o escape do excesso.

Tamanho do espaço

Os umidificadores podem não ter utilidade quando sua capacidade é mal dimensionada e acionados em espaços com mais de 40 m².

Posicionamento

Para evitar umidade excessiva em paredes e móveis e a aparição de fungos nocivos à saúde, como o mofo e o bolor, posicione o umidificador longe de móveis e eletrodomésticos. 

Além disso, não deixe a saída de umidade apontar diretamente para uma parede.

Ao final do uso, antes de guardar o aparelho, esvazie o reservatório de água e retire toda a umidade utilizando um pano macio e seco.

Onde comprar?

Agora que você conhece mais sobre umidificadores de ar, que tal comparar o preço de alguns deles aqui no Cliquefarma? Com apenas um clique, você consegue comparar e economizar, e ainda já confere qual a melhor condição de entrega diretamente em sua casa aí na sua região! 

 

Comente no box abaixo suas experiências e qual o seu tipo de umidificador de ar favorito! Sua opinião é importante para nós!