Boqueira (Ferida na boca) – Causas e como tratar

26/10/2020 0 Por Redação CliqueFarma

O assunto do nosso artigo de hoje é a popularmente conhecida Boqueira. Você já ouviu falar? Cliquefarma vai analisar sobre as principais causas, sintomas, tratamentos e como evitar. Para ficar por dentro de tudo, acompanhe o texto até o final e não perca nada! 

O que é boqueira?

A queilite angular, também conhecida como comissurite angular, chamada popularmente de boqueira, é uma pequena ferida dolorosa que ocorre no canto da boca.

 

Ocorre mais comumente durante o inverno e inicialmente o quadro caracteriza-se por inflamação; no entanto, é comum que posteriormente ocorra uma infecção por agentes patogênicos, como fungos (como a Candida albicans) ou bactérias, nos locais com maior acúmulo de saliva. 

 

A boqueira é uma dermatose comum, caracterizada por inflamação e fissura do ângulo dos lábios. Se as causas não forem atacadas, a lesão pode se perpetuar, tornando-se crônica.

 

A lesões podem ser uni ou bilaterais. Idosos são os mais acometidos, mas as fissuras pode também ocorrer em jovens e crianças. São mais frequentes em crianças que apresentam tendência à dermatite atópica.

 

Qual a principal causa da boqueira?

Diversas situações podem propiciar o aparecimento da boqueira, os mais comuns são o uso de aparelhos odontológicos ou dentaduras.

 

O acúmulo de saliva no canto da boca parece ser o principal fator desencadeante, facilitando a maceração da pele, formação de fissuras e contaminação da ferida por bactérias ou fungos.

 

A boqueira é uma situação comum e a principal causa é ficar com o canto da boca sempre molhado, como ocorre quando o bebê usa chupeta, em caso de prótese dentária ou aparelho para corrigir a posição dos dentes. No entanto, a boqueira também pode surgir quando se usa frequentemente remédios corticoides de inalar, quando os lábios se mantêm secos por muito tempo ou em casos de dermatite.

 

Este problema é mais frequente quando se está com o sistema imune comprometido, como ocorre em pacientes com AIDS ou diabetes, ou ainda em tratamento quimioterápico, por exemplo, mas em alguns casos, sendo que, nestes casos, a boqueira pode ser sinal de candidíase oral, que deve ser tratada. 

Fatores de risco para boqueira

 

Situações que favoreçam o acúmulo de saliva no ângulo da boca, traumas ou infecção da pele ao redor da boca são os principais fatores de risco para a queilite angular.

 

As principais situações de risco para a queilite angular são:

 

  • Processo natural do envelhecimento, que provoca a queda da pele nos cantos da boca, favorecendo o acúmulo de saliva nesta região.
  • Ausência de dentes, que altera o angulação da boca, provocando efeito semelhante ao envelhecimento.
  • Uso de dentaduras mal adaptadas.
  • Uso de aparelhos odontológicos.
  • Candidíase oral.
  • Má higiene oral.
  • Alergia à pasta de dente ou a outros produtos dentários.
  • Problemas de pele que causem lesão ao redor da boca, como dermatite atópica, psoríase ou dermatite seborreica.
  • Lábios ressecados, que favorecem o aparecimento de feridas.
  • Uso de drogas que ressecam a boca, como isotretinoína.
  • Compulsão por lamber os lábios, mantendo-os sempre úmidos e expostos a germes da boca.
  • Consumo excessivo de alimentos ricos em açúcar, que favorece o crescimento do fungo cândida.
  • Uso de corticoides inalatórios, que favorece o crescimento de germes na cavidade oral.

 

Pacientes com deficiência do sistema imune, seja por doenças ou por uso de drogas imunossupressoras, também estão sob maior risco de desenvolverem queilite angular

 

Esses casos incluem pacientes com HIV, câncer, neutropenia, diabetes mellitus, anorexia ou transplantados de órgãos.

 

Menos frequentemente, a boqueira pode ser provocada por carências nutricionais, como falta de vitamina B, ferro ou ácido fólico, porém, também pode acontecer.

E a quais sintomas devo me atentar?

A queilite angular pode se apresentar como uma fissura, rachadura, ulceração, vermelhidão ou crosta no canto da boca. As lesões não entram para dentro da boca, limitando-se à junção da pele com a mucosa dos lábios.

Como a pele do ângulo dos lábios está lesionada, a simples ação de abrir a boca pode provocar intensa dor e ardência.

 

A lesões da queilite angular não costumam sangrar, mas podem se infectar, ficando bem inflamadas e com uma crosta de pus.

 

A queilite angular pode se tornar uma lesão crônica e persistente ou apresentar períodos de melhora alternados com agravamentos e retorno das lesões.

 

Os principais sintomas da queilite incluem:

  • Dor ao abrir a boca, como quando é preciso falar ou comer;
  • Sensação de ardor;
  • Aumento da sensibilidade do canto da boca;
  • Secura da pele;
  • Vermelhidão do canto da boca;
  • Crosta no canto da boca;
  • Pequenas rachaduras no canto da boca.

 

Esta ferida no canto da boca causa muito desconforto e a sensibilidade aumenta ao comer ou beber alimentos muito salgados, ácidos ou ricos em açúcar.

 

Como funciona o tratamento dessa condição?

A primeira parte do tratamento para curar a boqueira é tentar eliminar ou corrigir problemas que estejam propiciando o seu aparecimento. Em muitos casos a simples eliminação dos fatores de risco é suficiente para curar a queilite angular.

 

Nos idosos, o uso de uma prótese dentária adequada pode ser a única medida necessária.

Em muitos casos, todavia, só conseguimos curar a boqueira com remédios. O uso de pomadas pode resolver o problema, mas é preciso antes investigar a presença de bactérias ou fungos nas lesões, pois a composição das pomadas muda conforme o germe que se quer tratar.

 

Se não houver infecção bacteriana ou fúngica, pomadas hidratantes e anti-inflamatórias, como óxido de zinco (presente no Hipoglós) ou Omcilon A Orabase são úteis. Cremes à base de vaselina também são uma opção.

 

Se houver infecção por fungos, pomadas com clotrimazol, nistatina ou miconazol podem ser usadas. Em alguns casos, o médico pode indicar o uso de comprimidos de fluconazol para ajudar na eliminação da lesão fúngica.

 

Se houver infecção por bactérias, pomadas como a mupirocina estão indicadas. O tratamento da boqueira com pomadas é geralmente feito por 1 a 3 semanas.

 

Então, em suma, como vimos até agora, para tratar a boqueira e não contaminar outras pessoas pode ser necessário aplicar uma pomada cicatrizante como a base de triancinolona ou usar um remédio antifúngicos recomendado pelo médico ou dentista, como Fluconazol, por exemplo, durante cerca de uma semana. A queilite angular, popularmente conhecida por boqueira, é uma feridinha no canto da boca que pode ser causado por fungos ou bactérias e que se desenvolve devido à presença de umidade e que pode ser transmitida pela saliva.

 

Além disso, deve-se evitar comer alimentos ácidos, como vinagre ou pimenta para não irritar a boca e evitar o contato com saliva para não contaminar os outros, sendo que a cura demora geralmente entre 1 a 3 semanas.

Tratamento natural para boqueira

Para ajudar a curar a boqueira é aconselhado comer alimentos cicatrizantes, como iogurte ou tomar o suco de laranja com canudinho porque facilitam a formação do tecido que ajuda a fechar as feridas no canto da boca.

 

Além disso deve-se evitar alimentos salgados, picantes e ácidos para proteger a região e evitar a dor e desconforto, como pimenta, café, álcool, vinagre e queijo, por exemplo.

Alimentos ácidos a se evitar na etapa do tratamento

Sabemos que os alimentos ácidos são aqueles que promovem um aumento do nível de acidez no sangue, fazendo com que o organismo se esforce mais para manter o pH sanguíneo normal, debilitando o sistema imune e aumentando o risco de aparecimento de outras doenças.

 

Algumas teorias, como as da dieta alcalina, consideram que os alimentos ácidos podem modificar o pH do sangue, tornando-o mais ácido, porém, isto não é possível, porque o equilíbrio ácido-base que o organismo possui, é fundamental para o metabolismo e funcionamento das células, pelo que o pH do sangue deve manter-se em um intervalo entre 7,36 e 7,44. 

 

Para manter estes valores, o organismo possui diferentes mecanismos que ajudam a regular o pH e a compensar qualquer variação que possa ocorrer.

Lista de alimentos ácidos

Os alimentos ácidos que podem alterar o pH são:

 

  • Grãos: arroz, cuscuz, trigo, milho, alfarroba, trigo sarraceno, aveia, centeio, granola, gérmen de trigo e alimentos preparados à base destes cereais, como pão, massa, bolachas, bolos e rabanadas;
  • Frutas: ameixas, cerejas, mirtilos, pêssegos, groselhas e frutas enlatadas;
  • Leite e derivados: sorvete, iogurte, queijo, nata e soro de leite;
  • Ovos;
  • Molhos: maionese, ketchup, mostarda, tabasco, wasabi, molho de soja, vinagre;
  • Frutos secos: castanha do brasil, amendoim, pistache, caju, amendoim;
  • Sementes: de girassol, chia, linhaça e gergelim;
  • Chocolate, açúcar branco, pipoca, compota, manteiga de amendoim;
  • Gorduras: manteiga, margarina, óleo, azeite e outros alimentos com gorduras;
  • Frango, peixe e carnes em geral, especialmente as carne processadas como salsicha, presunto, linguiça e mortadela. Aqueles com menos gordura são também menos ácidos;
  • Mariscos: mexilhões, ostras;
  • Leguminosas: feijão, lentilha, grão de bico, soja;
  • Bebidas: refrigerantes, sucos industrializados, vinagre, vinho e bebidas alcoólicas.

 

Se você estiver tratando a boqueira, ficar longe destes alimentos pelo período será uma boa alternativa pelo menos enquanto as feridas não tiverem sumido.

Tratamento da boqueira no bebê

Caso a boqueira afete o bebê, não se deve deixar ficar com os lábios molhados, secando sempre que possível com um paninho de algodão e evitando o uso da chupeta. Além disso, para evitar contaminar o bebê não se deve provar a comida com a colher do bebê ou passar a chupeta na boca, porque o bebê tem o sistema imune enfraquecido e pode ser contaminado.

 

Em alguns casos, pode ser necessário aplicar a pomada no bebê, mas esta deve ser receitada pelo pediatra.

Remédios para curar a boqueira

Para tratar a boqueira o médico pode indicar o uso de medicamentos, como triancinolona em pomada, devendo-se aplicar uma pequena quantidade de pomada no canto da boca 2 a 3 vezes ao dia depois de comer, deixando absorver. Além disso, o médico pode recomendar antifúngicos como Fluconazol, Cetoconazol ou Miconazol em pomada que também deve ser aplicada 3 vezes ao dia.

 

Quando a causa da boqueira é o déficit de vitaminas e minerais, como zinco ou vitamina c, o médico pode recomendar suplementos vitamínicos para fortalecer o sistema imune e acabar com a boqueira.

 

É também importante aplicar todos os dias e com maior frequência nos dias de calor creme hidratante nos lábios para manter hidratados, evitando rachaduras.

E você tem alguma dica importante para boqueira que esquecemos de mencionar no artigo? Comente conosco no box abaixo que teremos prazer em incluir no artigo agora mesmo!