Como Calcular o Período Fértil?

05/01/2021 0 Por Redação CliqueFarma

O assunto do blog hoje é para você que está pensando em engravidar ou até mesmo se quer conhecer um pouco melhor seu corpo e gostaria de saber como fazer para calcular seu período fértil. Cliquefarma te ensina o passo a passo agora mesmo neste artigo completo. Confira já!

Calculando o período fértil

O que eu preciso ter em mente sobre a ovulação?

Para calcular o período fértil é necessário considerar que a ovulação acontece sempre no meio do ciclo, ou seja, em torno do 14º dia de um ciclo regular de 28 dias.

 

Para identificar o período fértil, a mulher com ciclo regular de 28 dias deve contar 14 dias a partir da data em que veio a última menstruação, pois a ovulação acontecerá entre 3 dias antes e 3 dias depois dessa data, que é o que se considera ser o período fértil da mulher.

Como calcular o período fértil num ciclo irregular?

Calcular o período fértil no ciclo irregular não é seguro para quem está tentando engravidar ou para quem não quer engravidar, pois como a menstruação não surge sempre no mesmo período, as contas podem ser erradas. No entanto, uma forma de saber quando é o período fértil em caso de ciclo irregular é anotar durante um ano a duração de cada ciclo menstrual e depois subtrair 18 dias ao ciclo mais curto e 11 dias ao ciclo mais longo.

 

Por exemplo: Se o seu ciclo mais curto foi de 22 dias e o ciclo mais longo de 28 dias, então: 22 – 18 = 4 e 28 – 11 = 17, ou seja, o período fértil será entre o 4º e o 17º dias do ciclo.

Uma forma mais rigorosa de saber qual o período fértil em caso de ciclo irregular para as mulheres que desejam engravidar é recorrer ao teste de ovulação que se compra na farmácia e ficar atenta aos sinais de período fértil, como corrimento semelhante à clara de ovo.

 

Para as mulheres que não desejam engravidar, a tabelinha não é um método eficaz e, por isso, é importante utilizar métodos contraceptivos seguros, como a camisinha ou a pílula anticoncepcional, por exemplo.

 

O que fazer para engravidar mais rápido?

Para aumentar as chances de engravidar existem algumas estratégias simples que podem ser adotadas, como investir no contato íntimo durante o período fértil e ingerir alimentos que contribuam para aumentar a fertilidade, por exemplo.

 

Além disso, também existem hábitos que devem ser evitados, como ingerir bebidas alcoólicas ou fumar, já que podem dificultar a gravidez e até aumentar o risco de malformações no bebê.

Sempre que a dificuldade para engravidar se mantiver por muito tempo, é importante consultar um ginecologista, para identificar se existe algum problema que esteja dificultando a gravidez e iniciar o tratamento mais adequado. Veja algumas dicas para te ajudar nesse período:

1. Ter relações sexuais no período fértil

Algumas mulheres têm maior facilidade de engravidar se a relação sexual acontecer 3 dias antes do dia mais fértil. O período fértil ocorre exatamente no meio do ciclo menstrual e dura entre 6 a 7 dias. Por isso, o ideal é anotar no calendário os dias da menstruação, para poder fazer o cálculo exato dos melhores dias para engravidar, e investir nas relações sexuais, especialmente nesses dias.

 

Durante estes dias, também se pode apostar no uso de um lubrificante vaginal que aumenta a fertilidade porque contém íons de cálcio e magnésio, que favorecem a concepção por normalizar o pH da região íntima da mulher.

2. Comer mais vitaminas e minerais 

Uma alimentação variada e rica em nutrientes melhora o funcionamento de todo o corpo, influenciando também a fertilidade. O ideal é substituir alimentos como bolachas, salgadinhos e fast food, por alimentos mais ricos em nutrientes como gérmen de trigo, ovos, azeite, óleo de girassol ou grão-de-bico, por exemplo. Estes alimentos, além de saudáveis, são ricos em vitamina E, zinco e em vitaminas do complexo B, que favorecem a concepção por atuar no sistema hormonal.

 

Além disso, deve-se investir em alimentos enriquecidos com ácido fólico, que são os de cor verde-escura. Estes alimentos contribuem para que o feto se desenvolva de forma saudável, evitando problemas como o mau fechamento do tubo neural.

3. Comer menos carboidratos

É importante que se reduza a ingestão de carboidratos, como o arroz, massa e pão, especialmente nas suas formas não integrais. Esse cuidado com a alimentação evita alterações no pH vaginal, o que favorece a concepção. Em alternativa ao pão branco, pode-se ingerir pão integral e frutas variadas ao longo do dia, porque apesar de terem carboidratos, seus nutrientes são essenciais para a saúde da mãe e do bebê.

 

Além disso, reduzir também o consumo de álcool e do cigarro, também são medidas que contribuem para aumentar as chances de engravidar. 

4. Ter um orgasmo em simultâneo com o parceiro

Alguns estudos mostram que o orgasmo feminino aumenta a probabilidade de engravidar, caso ocorra em simultâneo ou após o parceiro. Isto acontece porque durante o orgasmo é liberada ocitocina, que provoca ligeiras contrações no útero que ajudam a levar o esperma até ao óvulo. Além disso, o orgasmo tem uma grande influência na gestão do estresse, o que também contribui para o aumento da fertilidade.

5. Fazer exercício regularmente

Manter o corpo ativo e fazer exercício físico regularmente também pode ajudar a engravidar mais rápido porque melhora a circulação sanguínea, aumenta a produção e a qualidade dos espermatozoides, diminui a ansiedade e o estresse, e melhora o controle hormonal.

 

Para isso, deve-se praticar pelo menos 30 minutos de exercício todos os dias, de modo que seja possível aumentar a frequência cardíaca 2 ou 3 vezes por semana.

6 sinais que podem indicar o período fértil

​É possível saber quando é o período fértil através dos dias da menstruação e dos sintomas que a mulher apresenta nesta fase do mês, como aumento da secreção vaginal e da libido. O período fértil dura 6 dias e acontece todos os meses até a menopausa, começando entre 10 a 14 dias após o primeiro dia da menstruação.

 

Saber exatamente quando é o período fértil é importante para quem está tentando engravidar, para saber quando deve ter contato íntimo porque assim há um aumento das chances de gravidez.

Sinais comuns do período fértil

O principal sintoma de período fértil é o aumento da secreção vaginal, mas existem outros que surgem quando o óvulo é liberado pelo ovário e chega até as trompas de Falópio, estando pronto para ser fecundado pelo espermatozoide e dar início a gravidez. São eles:

1. Secreção vaginal transparente

A secreção vaginal transparente, semelhante à clara de ovo crua, é o primeiro sinal de que a ovulação e o período fértil estão chegando e, nessa fase, há liberação de um hormônio chamado estradiol, que produz mais líquido que o habitual, como se fosse um mecanismo de lubrificação que auxilia a entrada dos espermatozoides no canal vaginal.

Além de ser um sinal de período fértil, quando o muco vaginal torna-se mais fluido e transparente, os espermatozoides encontram mais facilidade para chegar ao óvulo, facilitando a fecundação.

2. Aparecimento de espinhas

O aparecimento das espinhas é comum quando o período fértil está próximo, pois nesse período a pele da mulher tende a ficar mais oleosa, favorecendo o aparecimento de pequenos cravos e espinhas, mesmo após o período da adolescência.

3. Ligeiro aumento da temperatura

O aumento da temperatura corporal acontece devido aos esforços realizados que o organismo faz para preparar-se para a fecundação. Nesse período os folículos liberam os óvulos, que aumentam a quantidade de um hormônio chamado progesterona, que é responsável pelo aumento da temperatura em 0,3 a 0,8ºC, que pode ser medida com um termômetro logo ao acordar.

4. Aumento da libido e do apetite

Esse sintoma também ocorre pelo aumento dos níveis hormonais, fazendo com que a mulher sinta-se mais atraente e com mais desejo sexual.

5. Dor no baixo ventre

A dor no baixo ventre, que é a dor na parte de baixo da barriga, mais ou menos na altura dos ovários, é um dos sintomas mais frequentes. Algumas mulheres podem sentir dores tipo cólicas que aparecem e desaparecem, o que é a indicação concreta de que está ovulando.

6. Irritação e instabilidade emocional 

A variação do humor também é comum no período fértil, acontecendo principalmente devido às alterações hormonais comuns do período.

As mulheres que estão tentando engravidar mas têm dificuldade em calcular o período fértil ou não conseguem identificar seus sintomas, podem optar por fazer um teste de ovulação que se compra na farmácia. 

 

Mas existem aquelas mulheres que gostariam de saber seu período fértil a fim de conhecer melhor o seu corpo e as que não desejam engravidar, para isso, o método conhecido como tabelinha, não deve ser utilizado, saiba agora um pouco mais a respeito dos métodos anticoncepcionais que você deve utilizar.

Como escolher o melhor método anticoncepcional

As mulheres que não desejam engravidar devem optar por um método contraceptivo, que não inclua somente a observação do período fértil.

 

Para escolher o melhor método anticoncepcional é importante consultar o ginecologista para discutir as várias opções e escolher o mais adequado, isso porque a indicação pode variar de acordo com a razão pela qual o contraceptivo está sendo indicado.

 

A pílula é o método anticoncepcional mais popular, porém como deve ser tomada todos os dias, de preferência, no mesmo horário, há risco de esquecer de tomar algum comprimido, podendo engravidar. Por isso, existem outros métodos como o implante ou o DIU, por exemplo, que podem ser usados nestes casos para evitar uma gravidez indesejada. 

 

Apesar de existirem diversos métodos contraceptivos, o método mais eficaz e recomendado é o uso da camisinha na relações sexuais, isso porque além de evitar a gravidez indesejada também previne infecções sexualmente transmissíveis.

 

O método anticoncepcional que deve ser adotado por cada mulher depende da razão pela qual ela busca um meio contraceptivo, devendo ser indicada pelo ginecologista. Assim, algumas das razões em que o ginecologista pode indicar outro tipo de contraceptivo são:

1. Não quer tomar ou esquece de tomar a pílula

Nesse caso, o melhor é utilizar o implante, o adesivo, o injetável mensal ou o anel vaginal, além de também poder ser indicado o uso do dispositivo intrauterino. Isso porque ao esquecer de tomar a pílula ou não tomar de acordo com a orientação do ginecologista, pode aumentar as chances de gravidez indesejada

 

Assim, ao fazer uso desses métodos contraceptivos não há probabilidade de esquecimento e há maior segurança de que a gravidez é evitada. No entanto, no caso das mulheres que não querem se preocupar com a contracepção, os métodos mais indicados são o implante ou o DIU, por exemplo.

2. A pílula tem muitos efeitos colaterais

Algumas mulheres relatam vários efeitos colaterais com o uso contínuo da pílula anticoncepcional, como dor de cabeça, náuseas, alterações do fluxo menstrual, aumento de peso e alterações no humor, por exemplo.

 

Nesses casos, o ginecologista pode indicar a troca da pílula ou recomendar o uso de outro método contraceptivo, como implante ou diafragma, que é um método de borracha em forma de anel que impede a entrada dos espermatozoides no útero e que pode ser utilizado várias vezes por cerca de 2 anos. 

3. Relação sexual desprotegida

No caso da relação sexual desprotegida, é recomendado que a mulher tome a pílula do dia seguinte, até 72 horas após a relação, para evitar a fecundação do óvulo pelo espermatozoide e implantação do embrião no útero.

4. TPM intensa

Quando a mulher apresenta sintomas fortes de TPM, como crises de enxaqueca, cólicas intensas, enjoos, inchaço abdominal e nas pernas, por exemplo, o ginecologista pode indicar o uso de implante ou DIU como método contraceptivo, isso porque esses métodos estão relacionados a menores efeitos colaterais, o que pode ter efeito positivo no alívio dos sintomas da TPM.

5. Gravidez recente

Após o nascimento do bebê, o ginecologista pode indicar o uso de alguns métodos contraceptivos, sendo indicado principalmente a pílula de uso contínuo, que deve ser tomada todos os dias e não promove grandes alterações hormonais, sendo considerada segura para a mulher e também não interferindo na produção de leite, por exemplo.

6. Alterações ginecológicas

No caso de algumas alterações ginecológicas como endometriose ou ovário policístico, por exemplo, pode ser indicado pelo ginecologista o uso de métodos contraceptivos como a pílula combinada, que é com estrogênio e progesterona, ou o DIU, respectivamente.

 

Ovulação e período fértil são a mesma coisa?

Embora sejam muitas vezes utilizados como sinônimos, ovulação e período fértil não são a mesma coisa. A ovulação é o dia em que o óvulo maduro é liberado do ovário, estando pronto para ser fecundado. Já o período fértil é um conjunto de dias que são calculados ao redor do possível dia da ovulação e que marcam o período em que a mulher tem maiores chances de engravidar, uma vez que o óvulo já foi liberado. Ou seja, sem ovulação não existe período fértil.

Qual o melhor período para engravidar?

Como entendemos até aqui, o melhor período para engravidar é conhecido como “período fértil” e é considerado o conjunto de 3 dias antes e 3 dias depois da ovulação, ou seja, o período entre o 11º e 16º dia após o primeiro dia da última menstruação. Mulheres que estejam querendo engravidar devem, então, manter relações sexuais desprotegidas nesse período. Já mulheres que estão tentando evitar uma gravidez devem ter cuidado para evitar ter relações desprotegidas nesse período.

 

Viu que interessante esse assunto? Restou alguma dúvida de como calcular o período fértil ainda? Caso fique algo a esclarecer, deixe seu comentário no box abaixo que iremos lhe ajudar com o maior prazer! Sua opinião é importante para nós!