Sarna humana: O que é, principais sintomas e como tratar

15/10/2020 0 Por Redação CliqueFarma

O artigo de hoje vai abordar uma doença chamada Sarna humana, também conhecida como Escabiose. Cliquefarma te conta tudo sobre ela – O que é, qual a causa, os principais sintomas, quando buscar ajuda médica e como deve ser tratada. Confira agora mesmo para não perder nada! 

O que é a Sarna Humana?

A escabiose, também conhecida como sarna humana, é uma doença de pele causada por um parasita. Essa doença, que é bastante contagiosa, é caracterizada principalmente pela coceira intensa. De fácil contágio, a sarna também é de fácil tratamento, desde que seja realizado exatamente conforme orientação médica, embora os sintomas possam demorar um pouco para desaparecer completamente.

Quais as causas?

A infecção pelo parasita causador da sarna acontece por meio do contato íntimo entre pessoas ou mesmo por meio de roupas. O ácaro é o Sarcoptes Scabiei, que atinge a pele e leva ao aparecimento de sintomas como coceira intensa e vermelhidão.

 

Como vimos, a sarna humana é causada por esse ácaro minúsculo, que só pode ser observado por meio de microscópio: o Sarcoptes scabiei. Esse parasita se alimenta de queratina, uma proteína que constitui a camada superficial da pele. Depois do acasalamento, a fêmea deposita seus ovos (seis, em média), que eclodem em um período de duas semanas, aproximadamente. 

 

A partir daí, as lesões podem se espalhar para outras partes do corpo a partir do toque – principalmente porque um dos locais mais comuns para o surgimento das lesões é entre os dedos das mãos. As mãos são, de fato, o principal meio de transporte do parasita. A coceira característica da sarna é resultado de uma reação alérgica do corpo à presença dos ácaros.

 

Sabemos bem que, a sarna pode acometer também cães e gatos, mas estes costumam ser afetados somente por espécies específicas de ácaros. Humanos até podem contrair sarna causada por ácaros típicos de cães e gatos, mas apenas temporariamente, porque os ácaros têm preferência por um tipo específico de hospedeiro. Desta forma, eles não sobrevivem longe do “hospedeiro perfeito”.

Quais os fatores de risco para a sarna humana?

A sarna humana pode acometer qualquer pessoa, de todas as idades, não havendo, portanto, fatores de risco específicos para se contrair a doença.

O contágio por essa doença se dá única e exclusivamente por meio do contato íntimo com a pele de uma pessoa infectada ou, também, por meio de roupas. Não há evidências de que sarna possa ser transmitida pelo compartilhamento de piscinas ou de itens, como toalhas, por exemplo.

 

Pessoas com imunodeficiência também são mais suscetíveis à sarna.

 

Isto acontece porque a fêmea do ácaro Sarcoptes Scabiei vive e deposita seus ovos na camada mais superficial da pele, facilitando a sua transmissão.

 

Além disso, a doença pode ser transmitida mesmo que não esteja causando sintomas ainda. Assim, mesmo que não existam suspeitas de sarna humana é importante adotar cuidados que evitam a transmissão deste tipo de doença, como:

 

  • Não compartilhar toalhas de banho;
  • Evitar compartilhar roupas não lavadas;
  • Lavar a pele, pelo menos, 1 vez por dia;
  • Evitar o contato direto com pessoas que vivam em locais com poucas condições de higiene.

 

No caso de roupas que não podem ser lavadas frequentemente, uma boa opção é colocá-las no interior de um saco de plástico fechado enquanto não estão sendo utilizadas, pois isso impede que o ácaro consiga se alimentar, acabando por ser eliminado.

Quais os sintomas de Sarna?

Os principais sinais e sintomas da sarna são:

 

  • Coceira, muitas vezes grave e que geralmente piora à noite
  • Presença de pápulas, que são lesões de pele que surgem principalmente nas dobras, especialmente entre os dedos das mãos, nas axilas, ao redor da cintura, nos pulsos, cotovelos, solas do pé, nádegas e joelhos. Em homens, essas lesões também são comuns na região genital e, em mulheres, elas costumam aparecer também nos seios.

 

No caso de crianças, os locais mais comuns de infestação da sarna humana incluem o couro cabeludo, o rosto, pescoço, palmas das mãos e solas dos pés.

Quando devo buscar ajuda médica?

Converse com um médico se você apresenta sinais e sintomas que podem indicar sarna humana.

 

Muitas doenças da pele, tais como dermatite, estão associadas à coceira e ao surgimento de pequenas saliências na pele. Procure um dermatologista ou um infectologista. 

 

Eles indicarão a melhor maneira de se fazer o diagnóstico e orientarão o paciente a o que ele pode fazer ou não para acelerar o tratamento em casa.

O que acontece durante a consulta médica

Quando estiver no consultório, cuide de descrever detalhadamente todos os seus sintomas ao médico, que certamente examinará sua pele em busca de lesões e lhe fará algumas perguntas específicas. Veja exemplos do que o médico poderá lhe perguntar e esteja preparado para responder:

 

  • Quando você notou os sintomas pela primeira vez?
  • As lesões começaram em algum local específico e depois foram se espalhando?
  • Qual a intensidade e gravidade da coceira? Ela costuma piorar à noite?
  • Você teve contato com uma pessoa com sarna humana?

Como acontece o diagnóstico de Sarna humana

É essencialmente clínico. Para diagnosticar a sarna humana, o médico examinará a pele do paciente, procurando por lesões causadas pelo parasita. Uma vez localizadas, o médico definirá o tratamento adequado para resolver o problema.

Como é feito o tratamento de Sarna humana?

O tratamento para sarna humana é feito basicamente por meio de medicamentos que têm como principal objetivo acabar com a infestação pelo parasita. Alguns cremes e loções dermatologicamente testados também poderão ser recomendados pelos médicos.

 

O paciente geralmente aplica o medicamento sobre o corpo por algumas horas. Isso costuma bastar para erradicar a doença da pele. Consulte um médico se os remédios não funcionarem ou se, mesmo com o uso deles, aparecerem novas lesões pelo corpo.

 

O médico, aliás, poderá recomendar o uso desses medicamentos não só para a pessoa diagnosticada com sarna humana, como também para todas as pessoas mais próximas a ela, mesmo que essas não apresentem lesões.

Medicamentos para Sarna

Normalmente os remédios mais indicados para sarna são:

 

  • Permetrina: é um creme que deve ser passado na pele para eliminar o ácaro e seus ovos. Pode ser usado em adultos, grávidas e crianças com mais de 2 anos;
  • Crotamiton: pode ser comprada em forma de creme ou loção que deve ser aplicado diariamente. Não deve ser usado por grávidas ou mulheres a amamentar;
  • Ivermectina: é um comprimido que fortalece o sistema imune e ajuda a eliminar o ácaro. Não deve ser utilizado por grávidas, mulheres a amamentar ou crianças com menos de 15 Kg.

 

Geralmente, estes remédios devem ser aplicados em todo o corpo, desde o pescoço para baixo, e devem ficar 8 horas em contato pela pele, sendo, por isso, recomendado fazer o tratamento antes de dormir. Além disso, durante o tratamento é ainda importante manter uma higiene corporal adequada e lavar em água quente todas as roupas, lençóis ou toalhas que tenham estado em contato direto com a pele. 

Lembrando sempre que somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e nunca se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Qual o prognóstico da sarna humana?

Apesar de o parasita morrer imediatamente após a aplicação dos medicamentos contra sarna humana, a coceira pode persistir por algum tempo. Por isso, adote algumas medidas para aliviar a coceira:

 

  • Imergir a pele em água fria ou aplicar uma toalha molhada sobre áreas irritadas da pele pode minimizar a coceira.
  • Aplicar loções e cremes vendidos em farmácia sem necessidade de prescrição médica para hidratar e aliviar a coceira já mostraram sua eficácia.

Possíveis complicações

Coçar as lesões causadas por sarna humana pode causar problemas à pele, como o surgimento de pequenos ferimentos que podem ser a porta de entrada para uma infecção bacteriana, por exemplo.

 

A forma mais grave de sarna, chamada “sarna crostosa”, pode afetar a certos grupos considerados de alto risco, incluindo:

 

  • Pessoas com condições crônicas de saúde que enfraquecem o sistema imunológico, como HIV ou leucemia crônica
  • Pessoas internadas em hospitais
  • Idosos em casas de repouso e crianças em creches

 

Este tipo mais grave de sarna costuma ser ainda mais contagiosa que o tipo normal e pode ser difícil de tratar.

Sarna humana tem cura?

Apesar de a coceira demorar um pouco para desaparecer completamente após o início do tratamento, a grande maioria dos casos de sarna humana pode ser curada sem causar outros problemas no longo prazo. 

Um caso grave com muita descamação ou incrustação das lesões pode ser sinal de que a pessoa possui uma doença mais grave, que afete o sistema imunológico. Consulte um médico em caso de os sintomas não desaparecerem.

Prevenção

O único modo de não contrair sarna humana é evitando o contato direto e/ou íntimo com uma pessoa infectada com o parasita causador.

Principais dúvidas frequentes sobre a sarna humana

Como visto até agora, a Escabiose (Sarna humana) é uma infestação comum, altamente contagiosa, que pode afetar a família inteira, um de cada vez. Não é grave, não é do cachorro, afeta qualquer classe social e também não tem a ver com a má higiene, podendo ser curada em 1 ou 2 semanas. A coceira pode permanecer por mais alguns dias, após a cura. 

 

A calma é essencial para evitar o pânico e consequentemente, o uso excessivo de medicações que irritam a pele mantendo a coceira, gerando confusão.

 

O calor é o fator que mata o parasita no ambiente, podendo ser simplesmente colocada roupa de corpo e cama na secadora ou no sol. Confira agora as dúvidas mais comuns sobre a patologia.

1) De onde e de quem peguei sarna humana? O cão transmite? Essa doença ainda existe?

Sim, existe e é comum: 300 milhões de pessoas a cada ano são infestadas no mundo, conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), pelo ácaro Sarcoptes scabiei, variedade hominis, logo, é um parasita humano. Porém, é importante ressaltar que o cão não transmite a doença. Como a incidência é sempre alta fica tão impossível saber de quem se pega sarna quanto saber de quem se pega gripe.

2) Então, como se pega sarna humana?

O contato direto e casual com uma pessoa infestada resulta na transmissão da sarna humana. Profissões que lidam com público são as mais propensas a se contaminar e, a partir disso, transmitir a seus familiares em casa. Médicos, enfermeiros, agentes de saúde, atletas, pessoas internadas ou em grupos grandes em dormitórios, casas de repouso de idosos, concentrações, quartéis ou mesmo quem trabalhe com o público em geral.

3) Como identificar a sarna?

Após o contato com pessoa contaminada (que muitas vezes não se sabe que está), o ciclo da sarna humana começa com a ácaro-fêmea colocando de 2 a 3 ovos por dia. As larvas surgem depois de 48-72 horas e formam novas tocas e túneis. Isso se traduz na pele por pequenos “arranhões”, em forma curva, com crostas e que coçam muito pois ali dentro existe ácaro. As larvas atingem a idade adulta em 10-14 dias e o ciclo é repetido. A coceira é muito intensa e pior à noite ao deitar-se na cama. Os locais mais comuns são pulsos, axilas, virilhas, nádegas, genitais e mamilos. Já em bebês e crianças, as regiões são palmas, pés e cabeça.

4) Toda coceira é sarna? Quais exames devo fazer para saber se estou infestado ou se é uma alergia?

A coceira é o sintoma comum de centenas de patologias diferentes de pele e na média, poucas coceiras são sarna humana, e não existe nenhum exame de laboratório para definição, mas o dermatologista pode fazer um diagnóstico que muitas vezes é difícil ao não-especialista, usando aparelho dermatoscópio, com o qual se pode ver os túneis característicos e, até mesmo, o próprio parasita na ponta deles.

5) Devo dessinsetizar e esterilizar toda casa: roupas, tapetes?

Não é recomendado, pois isso expõe a risco de intoxicação por veneno, estraga roupas e tecidos inutilmente e cria um ambiente de pânico que dificulta a resolução da situação. A infestação é comum e não é grave, podendo ser curada se o paciente seguir as recomendações médicas. 

 

O tratamento deve ser dado tanto à pessoa infestada quanto para os membros do agregado familiar como para os contatos, especialmente àqueles que tiveram um contato direto entre a pele e a pele da pessoa infestada. Todas as pessoas devem ser tratadas ao mesmo tempo para evitar a reinfestação.

 

Roupa de cama, roupas e toalhas utilizadas por pessoas infestadas ou contatos próximos durante os 3 dias que antecedem o tratamento devem ser descontaminadas, lavando em água quente e secando com secador quente, através da limpeza a seco. Roupas especiais que ficam complicadas de lavar podem ser seladas de modo simples em um saco plástico durante, pelo menos, 72 horas. Os ácaros da sarna humana geralmente não sobrevivem a mais de 2-3 dias fora da pele.

6) A sarna tem cura? Ou complicações?

Se consultar, diagnosticar e tratar adequadamente a infestação, há a cura logo e a coceira desaparece aos poucos. Nunca use tratamentos por conta própria, pois excesso de medicação causa problemas, inclusive coceira. Se as lesões infectam, necessitam antibióticos, para prevenir complicações. Procure seu dermatologista.

E você ficou com alguma dúvida sobre a sarna humana e gostaria que esclarecêssemos? Mande para a gente no box abaixo que teremos o maior prazer em lhe ajudar!